Imaginemos a seguinte situação: você está segurando uma xícara de café, quando alguém chega e encosta no seu braço, fazendo com que você derrame café por todo lado.

– Mas por que você derramou café?

– Bem, porque alguém encostou em mim, é claro!

Resposta errada! 

Você derramou café, porque o café estava na xícara. Se dentro houvesse chá, você teria derramado chá. O que quer que esteja dentro da xícara é o que será derramado.

Percebe, amado leitor? A nossa expressão reflete o que há em nosso depósito. Se estamos cheios de Cristo, “derramaremos” Cristo. Se estamos cheios de tristeza, “derramaremos” tristeza.

Muitas vezes, o mundo nos sufoca, fazendo com que não consigamos nos encher de Cristo. Estamos tão cheios de tormentos, aflições, angústias, que quando a dificuldade vem e nos “chacoalha”, transbordamos todos os sentimentos naturais do ser humano e, várias vezes, ferimos nosso próximo.

Mateus 12:34b nos diz que a boca fala do que está cheio o coração, por isso, faz-se necessário estarmos cheios de Cristo para transbordarmos os frutos do Espírito (Gl 5:22-23): amor, alegria, bondade, longanimidade, mansidão, domínio próprio, dentre outras virtudes.

Quando a tribulação vem e nos “chacoalha”, precisamos lembrar que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus (Rm 8:28). Muitas vezes, sozinhos não conseguimos nos esvaziar desses sentimentos carnais e então Cristo, por amor a nós, vê-se necessário permitir uma provação, para que, dessa forma, consigamos “derramar café”, ou seja, nos esvair de tudo que vem de nós, para que Ele possa ter mais espaço para ser a nossa constituição.

Em diversas ocasiões, as dificuldades são meios que nos conduzirão às bênçãos de Deus. Por isso, não se desespere quando “derramar o café”. As situações são necessárias para provar a nossa fé e nos tornar mais puros do que ouro depurado (Is 13:12).

Confie no processo de Deus na sua vida e creia: Ele corrige a quem ama (Pv 3:12).

Deixe seu comentário