“Imagine uma mão segurando uma caneta. Suponha que a mão é Deus e a caneta é você. O que é necessário fazer para que a caneta fique presa na mão? A mão precisa estar fechada, não é mesmo? Mas, como fazer para que a caneta fique presa na mão caso ela se abra? Somente, por um milagre!”.

Ouvi esse exemplo de uma irmã da igreja enquanto ela compartilhava em uma reunião e fiquei impressionada e refletindo. Após isso, ela falou que Deus nos sustenta porque nos ama. Estarmos em Cristo é um milagre, pois a nossa natureza é totalmente diferente da natureza divina (Rm 11:17-24). Quando Ele “abre a mão”, tudo que não é da vontade de Deus “cai”, ou seja, tudo que não tem “a ver com Ele” é lançado fora, mas tudo que é da vontade Dele permanece de alguma forma. Como isso ocorre? Pelas misericórdias de Deus.

Já parou para pensar que são pelas misericórdias Dele que estamos de pé (1 Co 10:12; Lm 3:22-26)? Passamos por tantos perigos e Ele ainda continua nos sustentando. Negamos Seu nome e Ele continua nos sustentando. Erramos tanto e Ele continua nos sustentando. Isso precisa impressionar-nos! Ele não faz isso por um dever, uma obrigação, mas por amor. Estarmos vivos é a maior prova de amor que hoje Ele pode dar-nos.

“Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.” Is 41:10

É impressionante o amor Dele por nós. O versículo 10 de Isaías 41 mostra-nos isso, mesmo tão sujos, tão errantes, tão indignos, Ele está de prontidão para estar conosco, nos fortalecendo e ajudando. Ele sustenta-nos com sua destra fiel.

O que acontece muitas vezes é que queremos “sair” da Sua mão. Queremos nos erguer sozinhos. Mas como pode uma caneta funcionar sem a mão? É impossível! Assim também é impossível termos uma vida de expressão sem Cristo. Não faz sentido. Precisamos de Cristo. Precisamos de um sustento, se não esmorecemos e perdemos a nossa essência.

Renda-se a Cristo. Somos apenas uma “caneta”. Somos um instrumento para Ele usar-nos nessa terra. Já parou para pensar a grandiosidade de sermos a expressão de Cristo? Não perca esse privilégio, pois hoje estamos na era da graça, onde ainda podemos achá-Lo (Is 55:6). Haverá um tempo que mesmo clamando-O não O acharemos. Almejaremos a morte, e ela fugirá de nós (Ap 9:6).

Lembre sempre: Deus sem você continua sendo Deus, mas e você sem Deus?

Não se distraia, jovem! Busque-O hoje. Valorize a oportunidade de Cristo poder te usar!

Deixe seu comentário