Certa vez, Jesus foi recebido por Marta em sua casa. E como uma boa anfitriã Marta certamente amava o Senhor Jesus e queria fazer muitas coisas para Ele com o fim de agradá-Lo:

“Entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa.Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos.” (Lc 10:38-39).

Marta fez muitas coisas no intuito de agradar o Senhor e isso fez com que ela ficasse agitada. Assim como eu e todos aqueles que ficam inquietos, ela colocou a culpa sobre alguém,  quando foi questionada pelo Senhor. Veja o texto bíblico:

“Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: “Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.” (Lc 10:40-42).

Uma só coisa! Marta fez muitas coisas, mas o Senhor disse que só uma coisa era necessária. Qual é a única coisa que é necessária? A presença de Cristo!

Todo Cristão deve trabalhar. Paulo diz aos Corintios: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão”(1 Co 15:58). No entanto, algumas vezes estamos tão ocupados desde a manhã até a noite que não achamos tempo para orar ou ler a Bíblia diante do Senhor. Graças a Deus que naquela situação não havia apenas Marta, mas também Maria.

Maria escolheu a melhor parte que é a comunhão com o Senhor.

Martinho Lutero, uma das figuras mais importantes do Cristianismo e expoente da Reforma Protestante, dizia: “Se eu deixar de empregar duas horas em oração todas manhãs, o diabo terá vitória o dia inteiro. E tenho tanto trabalho que não posso realiza-lo sem gastar três horas diariamente em oração.” Seu bordão era: “Aquele que orou bem, estudou bem”. Este é o viver que cada um de nós pode ter!

Observe o mar. Embora em sua superfície haja ondas impetuosas sopradas por ventos fortes, nas profundezas não há um movimento sequer. Lembremo-nos que a força da nossa vida depende da comunhão mais intima com Deus. Em Isaías capítulo 30, nos é dito: “Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força,” (Is 30:15).

Qual a nossa escolha? Ser Marta ou Maria? No nosso cotidiano, nos acostumamos mais a fazer as coisas para Ele do que estar com Ele. Antes de sairmos por aí arregaçando as mangas e fazendo coisas, devemos nos aproximar Dele!

Que o Senhor nos dê graça para capacitar-nos a Crer que Ele pode levar todos os nossos fardos e dificuldades, e nos fazer dispostos a submeter-nos à Sua vontade para nós. O descanso não pode vir enquanto houver incredulidade e vontade própria. Se você crer em Deus e obedecer-lhe, os fatores exteriores não poderão perturbá-lo. Sua constante comunhão com Deus irá capacitá-lo a suportar todas as coisas exteriores. Leitor, que todos nós possamos entender, que no descanso nossa força será encontrada!

Texto inspirado no livro Doze Cestos Cheios de Watchman Nee.

Deixe seu comentário