Dentre os vários exemplos de fé presentes na Bíblia, neste texto abordarei sobre uma característica marcante de Abraão: ter uma vida de tenda e altar.

Quando lemos em Gênesis 12, vemos que Deus chama Abrão para uma nova terra. Porém, esse lugar não foi especificado por Ele, pois apenas disse: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei (v. 1). E a decisão de Abrão foi: “Partiu, pois, Abrão, como lho ordenara o SENHOR” (v. 4a). Naquela época, obviamente, não existia GPS, nem mesmo outros aplicativos de navegação. Abraão era guiado, simplesmente, pela voz do SENHOR, em que, pela fé, deixou tudo o que tinha e O seguiu. Vemos aqui uma lição para nós: não ficar analisando se pode ou não, se quer ou não, mas ouvir e reagir de acordo com a vontade de Deus – seguindo para onde Ele for.

A partir disso, foi Abrão guiado pelo SENHOR e onde ele parava montava a sua tenda e edificava um altar ao SENHOR, como é visto no versículo 8: “Passando dali para o monte ao oriente de Betel, armou a sua tenda, ficando Betel ao ocidente e Ai ao oriente; ali edificou um altar ao SENHOR e invocou o nome do SENHOR”. Mas o que significa ter uma vida de “tenda e altar”? À luz da Palavra e de livros espirituais, pude compreender que, primeiramente, uma vida de tenda é uma forma de exercitarmos a nossa fé. Para Abrão, era uma confirmação da promessa que Deus fez a ele “porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador” (Hb 11:10), ou seja, a terra onde ele estava não era a que Deus lhe prometera, mas apenas algo temporário. Onde eu quero chegar com essa definição? Quando nos achegamos a Deus e oramos por determinada coisa (uma faculdade, um emprego, um casamento, etc) nem sempre ela vem imediatamente. Daniel registrou no capítulo 10 de seu livro que desde o momento em que fez uma oração a Deus, Ele ouviu, mas apenas depois de vinte e um dias é que a oração se cumpriu (vs. 10-13). Que isso seja para nosso ânimo, pois uma oração feita em fé e no espírito é recebida pelo Senhor no momento em que é feita. A partir desse momento, Ele trabalha a nosso favor, nos mostrando “terras temporárias para montarmos nossas tendas”, isto é, Ele provê meios para chegarmos ao que pedimos em oração: uma terra com fundamentos!! Isso é maravilhoso!! Que tenhamos fé em aguardar nossos desejos!!

E o que seria uma vida de altar? Vimos, anteriormente, que onde Abraão parava para armar a tenda, edificava ali um altar. Isso é uma demonstração de que ele adorava a Deus e que entregava a Ele tudo o que era e que tinha para servi-lo. Além disso, demonstrava gratidão e temor a Deus, pois aprendeu a seguir ao seu chamado e com isso não abandonava o SENHOR, e Ele não o abandonava. Além disso, no final do versículo de Gênesis 12:8, lemos que ele invocou o nome do SENHOR, indicando sua total dependência a Ele, porque via que o fruto das bênçãos que recebia provinha Dele!

A partir de uma vida assim, Abraão aumentava a sua fé por cada experiência que passava, até ser reconhecido como “o pai da fé”. E quanto a nós? Será que temos a capacidade de ter uma vida de “tenda e altar” como teve Abraão? Claro! Basta “levantarmos um altar” por onde quer que estivermos, ou seja, voltando-nos mais e mais ao Senhor, demonstrando nossa total dependência Dele, aumentando diariamente nossa fé! Por mais que as provações sejam difíceis, basta lembrar que são apenas “terrenos para nossas tendas” e que um dia estabeleceremos nossa “morada fixa”, onde Deus está nos aguardando com Suas mui grandes bênçãos! Jesus é o Senhor!!

Este texto foi inspirado no Devocional “Alimento Diário”, publicado pela Editora Árvore da Vida, série “A Fé do Evangelho”, volume 2: “Devedores no Evangelho”, especialmente na semana 7.

Deixe seu comentário