Por vezes me pego “no ego”, em mim mesmo. Acho que fiz algo, conquistei algo, que sou capaz e tal. A propósito, é essa a maneira que me via no mundo ao ouvir alguns “coaches” e imagino que seja a de muita gente também. Mas confesso que, no meu caso, isso não me levou a nada, a não ser ao desespero e à raiva. Desespero ao perceber que meus esforços não estavam me levando onde queria chegar. Raiva ao ver outros conseguindo, menosprezando a mim mesmo.

Pensei: “Será que sou o único a ter passado por isso?”. Estou sendo franco aqui justamente para expor algo que tanto protejo: meu ego. E ele é o culpado de tudo.

Sabe, tenho visto que, em minha vida, meus melhores momentos foram quando reconheci que o que tinha recebido era bênção, sem mérito meu, mas da verdadeira graça de Deus. A família, o estudo, o emprego, a namorada e tudo o mais.

Por muitas vezes tenho pedido um mentor para me ajudar a alcançar objetivos. Por outro lado, não o ouço quando me aparece algum. Sabe por quê? Ego. É ele que levanta muros sobre nós, e assim, não recebemos a graça que nos é dispensada, não vivemos por Cristo e nem O desfrutamos.

Vejo que em minha vida, com relação às minhas metas pessoais, tenho recebido um apoio descomunal de diversas pessoas, sejam as mais abastadas ou as de condição financeira inferior, sejam as mais velhas ou as mais jovens, as mais duras ou as mais sensíveis. Mas por me considerar superior ou por ter me ferido em alguma ocasião, não ouço e, logo, não aprendo. 

A verdade é que tive muitos “professores” ao longo de minha vida. E acredito que você, leitor, também tenha tido. Mas se tapar seus ouvidos para as pessoas que foram enviadas a você, como aprender com elas? É preciso dar uma oportunidade! 

Em meu caso, aprendi de meus pais como sonhar; de meus amigos, como cuidar; de meus colegas de trabalho, como lidar com a pressão e gerenciar tarefas; e de irmãos da Igreja como viver no Espírito. Veja, é só graça. Agradeço a Deus por todos eles, os quais não nomeio, pois daria em um texto infindável.

E quando atingir minhas metas? Bom, tenho orado para que Deus me transforme no homem que Ele vê em mim, inspirado em Davi, que diz: “Cria em mim, ó, Deus, um coração puro e um espírito inabalável” (Sl 51:10). A história desse versículo nos mostra que Davi, um homem cheio de pecado, reconhecia em Deus o verdadeiro poder para fazê-lo diferente. 

Quando eu me tornar esse homem, será Deus quem o terá feito. Pode confiar! Sem ego, por favor.

Desejo que mais pessoas possam ganhar com essa minha experiência e aprender a negar o ego em troca da graça do nosso Senhor, a saber, Jesus Cristo! (cf. Mt 16:24-25).

Colaboração enviada por Henrique Rosa.

Deixe seu comentário