Quando João escreveu “não ameis ao mundo” (1 João 2:15), o mundo que ele conhecia não era o mesmo que conhecemos – óbvio. Mesmo assim, o alerta é válido até hoje. A embalagem do mundo mudou, mas o conteúdo ainda está lá para atrair os cristãos, oferecer a eles aparente satisfação sem Deus e O substituir nas suas vidas. Assim, entretenimento, ideologias, ídolos, música, conhecimento e status mudaram a forma como se apresentam, mas tenha algo claro em sua mente: a essência do mundo atual é a mesma a que João se referiu e instruiu a não amar.

A realidade é que por trás do seus atos, o mundo nutre ódio pelos filhos de Deus (1 Jo 3:13). É fácil ver isso quando cristãos são menosprezados nas faculdades, zombados no trabalho e desvalorizados nos ambientes sociais. Sendo assim, a amizade do mundo é inimiga de Deus (Tiago 4:4), já que se aproximar desse sistema criado por Satanás sempre traz distração, dano e sujeira para o coração humano. O mundo inteiro está morto e dia após dia apodrece em um caixão maligno (1 Jo 5:19). Que ligação queremos ter com um morto?

Embora o mundo seja tão atraente por fora, não se permita viver uma paixão por ele. Em vez disso, há algo muito melhor, que satisfaz mais e de verdade: Deus e Seu plano eterno! Amar é uma capacidade humana, logo, todos somos capazes de amar algo ou alguém. Deus nos criou com esse dom e privilégio, mas a escolha é nossa: podemos amar o mundo e as coisas que estão nele ou amar a Deus e Seu propósito. Se direcionarmos nosso amor a Deus, haverá um caminho sobremodo excelente (1 Coríntios 12:31; 13:1-8). Ao pavimentar essa via, você também será capaz de amar ao próximo.

Quando amamos a Deus, passamos a nos importar com o que Deus se importa. Isso é porque, quando deixamos nosso amor chegar a Deus, Ele derrama mais da sua vida transformadora em nós. Dessa forma, nossa emoção se enche de amor e faz nossa mente e vontade começarem a pensar e a buscar as coisas lá do alto (Colossenses 3:1-2).

Jovem, sabendo disso tudo, o que é o mundo diante de Deus e de Seu plano para você? Não é nada. Com certeza, é por isso que o apóstolo Paulo disse que considerou todas as suas conquistas humanas como lixo para ganhar Cristo (Filipenses 3:8). De fato, o mundo não merece o nosso amor.

Diante disso, agora podemos entender João, sua preocupação e seu amor em nos alertar para que não caiamos nesse buraco maquiado de coisas atraentes, que nunca poderão saciar nosso interior.  E, além de entendê-lo, nos juntarmos a ele nesse resgate repetindo seu alerta amoroso: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo. Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” (1 João 2:15-17).

Colaboração enviada por Andressa.

Uma versão deste texto foi publicada no Jornal Árvore da Vida (JAV), um periódico cristão mensal com diversas colunas. Clique aqui para saber mais ou clique aqui para fazer sua assinatura.

Deixe seu comentário