Vivemos em uma sociedade que fala muito sobre o amor, mas que infelizmente não sabe mais amar. A cada dia nos tornamos mais frios, individualistas, exclusivistas e negligentes. O que se vê na sociedade, de um modo geral, é a luta para gerar a aparência do amor. Queremos que todos saibam que somos pessoas boas e amáveis, mas pouco importa se realmente o somos.

Não me restam dúvidas de que o sinal descrito em Mt 24:14 (“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos”) refere-se aos nossos tempos, pois temos sérias dificuldades em amar. Até tentamos, esforçamo-nos, mas somos extremamente frios quando precisamos demonstrar amor para com um desconhecido ou mesmo alguém que gostamos. Nosso amor está completamente condicionado às nossas preferências e afinidades. Caso alguém não atenda às nossas exigências, é imediatamente descartado. Agindo assim, declaramos ao mundo que também não amamos a Deus: “Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a que vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.” (1 Jo 4:20).

Sem amor perdemos a utilidade nas mãos de Deus porque amar uns aos outros não é apenas um mandamento, mas um caminho por meio do qual podemos ser úteis a Ele. Mais que isso, o amor é o único caminho que temos para conhecer a Deus.

“Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor.” (1 Jo 4:7-8)

Os versículos acima deixam claro que, caso não amemos, não podemos conhecer a Deus. Além disso, eles dizem que Deus é amor. Talvez essa seja uma das frases mais comuns no meio cristão, tão comum que muitas vezes nos esquecemos de seu significado e de suas implicações. Não estamos nos referindo ao amor como um atributo, um adjetivo ou um dom de Deus. Este versículo trata Deus como o próprio amor! Deus não é tratado aqui como um ser ou um recipiente que contém doses abundantes de amor. Ele é tratado como o próprio amor!

Aqui torna-se importante ressaltar algo: a falta de amor que existe hoje no mundo não é um resultado apenas de nosso coração desesperadamente corrupto, ela é um resultado da falta de Deus. Do mesmo modo, o nosso esforço por amar mais às pessoas jamais surtirá efeito se tentarmos amar com nossas próprias forças, com nosso “amor humano”. Como Deus é o amor, a única forma de amarmos mais é ter mais de Deus acrescentado a nós. Precisamos desesperadamente nos alimentar de Cristo em oração e na leitura da Palavra, só isso poderá infundir mais da vida e natureza de Deus, mais amor, em nós.

Paulo, em sua carta aos coríntios, fala um pouco sobre o amor:

O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba.” (1 Co 13: 4-8a)

Seguindo a premissa de que Deus é amor, chegaremos à conclusão óbvia de que, caso o amor não esteja em mim, Deus também não estará. Por mais que eu insista em afirmar que Deus habita em mim, se eu não amo meus irmãos, a vida Dele não pode estar em mim, pois a vida de Deus necessariamente gerará amor! Este é meu grande desespero ao escrever este texto. Não pretendo que todos fechem essa página e automaticamente se tornem as pessoas mais amáveis que o mundo já testemunhou, mas espero que estas palavras sirvam de alerta. Que você se lembre durante o seu dia qual a razão da sua falta de amor. Nós precisamos buscar o amor! Nós precisamos buscar a Deus!

Se falta amor, falta Deus em nossas vidas! Precisamos nos amar, mas nunca conseguiremos isso sem buscarmos a Deus, afinal Ele é o amor. Para amar, precisamos ir ao encontro do amor, precisamos ir ao encontro de Deus. AME! Vá ao encontro de Deus!

Espero que este texto tenha te encorajado a ir ao encontro de Deus, a amar mais e a ser cada vez mais útil nas mãos Dele. Comente as impressões e sentimentos que você teve durante a leitura, compartilhe sua experiência conosco, isso nos ajuda e nos encoraja a prosseguir.

acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição” (Cl 3:14)

Deixe seu comentário