Você já fez algum amigo porque tinha algo em comum com ele? “Que pergunta boba, é claro que já; porque é sempre assim”. Talvez você responda assim neste exato momento. E vamos admitir: você está certo. Amizades se formam porque há interesses comuns.

Jogar o mesmo videogame, ouvir o mesmo tipo de música, assistir aos mesmos filmes e até ter os mesmos hobbies – todos estes itens aproximam pessoas. Sabe outra coisa que também junta uma galera? A boa e velha zoeira. É… brother, é bom demais rir, brincar e se divertir sem compromisso com os amigos. Na verdade, essa é a melhor parte. Tem apenas um detalhe nessa história: a brincadeira tem de ser saudável.

Um irmão nos contou que se arrependia de uma zoeira inconsequente dos tempos de ensino médio. Vamos chama-lo de José. Ele voltava para casa em um transporte escolar com outros alunos e descobriu que, apesar de a mãe de um dos colegas ser funcionária pública do alto escalão, seu pai era um sapateiro. Já sabe o que aconteceu, né? A zoeira rolou solta. Todos voltaram rindo o caminho todo para casa enquanto ele fazia piada do colega. José conta que chegou à casa achando muita graça e que estava tranquilo, porque, afinal, na hora todos riram. Porém, no dia seguinte, ninguém queria falar com ele e nas semanas seguintes também. O motivo era: apesar de todos rirem, a zoeira passou dos limites e ofendeu o colega.

O mundo é assim: ri da zoeira malvada que você faz e depois se volta contra você. Por isso, cuidado, pessoas não são brinquedos – não dá pra zoar sem limites e não haver consequências. Se arranhar um brinquedo, o máximo que vai ter de aguentar vai ser a bronca dos pais. Mas, se machucar pessoas, as consequências são muito mais intensas e as marcas da tristeza que você provocou podem virar uma cicatriz permanente.

Além disso, pessoas que se ofendem nem sempre possuem força suficiente para responder no exato momento em que são atingidas. O colega ofendido não reagiu e até meio que riu junto, porém, assim que José saiu do transporte, a chuva de reclamações de todos surgiu e a reprovação coletiva aconteceu. E assim todos se uniram contra ele, que viveu meses de isolamento social no retorno para casa.

Cara, esse é o tipo de zoeira que tem um efeito contrário ao esperado. Em vez de trazer as pessoas para perto, as leva para longe. E se ela trouxer amigos para perto, na verdade, terá apenas unido você aos inimigos que a pessoa ofendida tinha. Ou seja, não há amizade real.

Se liga, a amizade existe para alegrar o coração (Provérbios 15:30), logo a maneira de construí-la é através de diversão saudável, que faz rir das coisas que acontecem, em vez de fazer rir das pessoas. Por isso, parceiro, cai fora dessa de fazer amigos na zoeira contra outros. Que Deus abra seus olhos para entender como fazer amizades verdadeiras, sem ofender ninguém, e assim abençoe você com amigos espetaculares!

Uma versão deste texto foi publicada no Jornal Árvore da Vida (JAV), um periódico cristão mensal com diversas colunas. Clique aqui para saber mais ou clique aqui para fazer sua assinatura.

Deixe seu comentário