Um dia desses na faculdade eu estava me sentindo muito pesarosa. Com o coração apertado e com a mente preocupada. Sem confiança alguma no Senhor. Uma sensação terrível. Isso tudo, porque eu iria fazer uma prova muito difícil.

Sentei numa carteira e logo uma colega da minha classe chegou e ficou comigo ali. Começamos a revisar a matéria. Naquele momento eu só sabia falar o quanto estava aflita e angustiada por aquela prova. Ela parecia estar como eu.

Enquanto estudávamos concentradas, uma amiga de outro período chegou de forma afobada, pois queria aproveitar o tempo para continuar o tão temido TCC antes que a aula começasse. Ela somente nos saudou e foi desesperadamente correndo para o laboratório de informática fazer o trabalho.

Eu permaneci ali, estudando, até que essa amiga que estava querendo terminar o TCC voltou e veio na minha direção, falando com muita alegria:

“Mari, agora que me lembrei! Minha turma não tem aula hoje. Então vou para casa terminar meu TCC.”

Respondi:

“Isso, amiga, aproveite. Vá com Deus.”

Ela me questionou:

“Hoje vocês têm prova, né?”

Respondi que sim.

Até que, surpreendentemente, ela disse:

“Você viu a mensagem de texto que te enviei agora a pouco? Falei que trouxe um negócio para você. Vamos lá no pátio que quero te entregar.”

Fiquei surpresa pois não havia recebido nenhuma mensagem da parte dela.

Quando me levantei da carteira e fui, ela prontamente me disse:

“Amiga, não mandei nenhuma mensagem para você. Só inventei isso para você vir aqui comigo. Eu sei porque vim aqui hoje. Eu vim porque eu precisava orar por você. Só pode ser isso, porque eu nunca esqueço quando não tenho aula (risos). Venha aqui, deixa eu te dar um abraço, quero orar por você.”

Não aguentei e me derramei em lágrimas. Ela sabia exatamente do que eu precisava naquele momento de angústia.

Naquele momento senti o abraço do meu Senhor. Senti Ele me carregando. Senti-me plenamente confortada e aliviada da sobrecarga que eu mesma havia posto sobre mim. Tinha colocado minha prova como um tremendo gigante, mas com aquela oração, eu me rendi aos cuidados do Senhor.

Sabe, jovens, assim será a vinda do Filho do homem. Ele virá sem ao menos sabermos o dia e a hora. Ele virá para nos resgatar de toda opressão que sentimos. Ele virá para nos livrar de toda angústia, medo, cansaço espiritual, mental, e de toda fortaleza diabólica que esse sistema nos causa. Ele virá  para nos buscar e nos levará para repousar em Seu jardim.

Nessa experiência, o Senhor deixou claro ao meu coração que a vinda Dele será para nos trazer a paz. Ele sabe o que você passa. Ele sabe o que eu passo. Ele sabe do que precisamos.

Para toda essa agonia do mundo acabar, Ele precisa vir. Porém, para que esse dia não seja uma surpresa negativa, vivamos hoje intensamente, buscando-O sempre, deixando nossa carne ser aperfeiçoada da maneira que Lhe apraz.

Hoje, se você pecou, arrependa-se. Se ficou magoado, perdoe. Se odeia, ame. Coloque todas as situações que você passa diante Dele. Não deixe para depois, pois pode ser tarde demais.

Não duvide. Ele vem!

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Apocalipse 2:7 

 

Deixe seu comentário