Se a vida cristã fosse uma escalada, os cristãos seriam os escaladores. Esta é uma jornada individual. Embora possamos ajudar uns aos outros a escalar, ninguém pode escalar pelo outro. A experiência de Charles Spurgeon serve de grande ajuda para aqueles que desejam ter equilíbrio e evitar deslizes em sua escalada cristã. Confira.

A VIDA CRISTÃ É COMO UMA ESCALADA

Se compararmos a vida cristã a uma escalada, veremos que ambas possuem uma meta. Em uma escalada, a meta é atingida quando se chega ao topo de uma parede rochosa, de um bloco ou de um muro. Em nossa vida cristã,  nosso alvo é obter a coroa para reinar com Cristo. O apóstolo Paulo mostra que assim como o atleta corre com um objetivo, que é obter o prêmio, a coroa [de louros], ele também corria com meta, para obter a coroa incorruptível, a coroa da justiça (2 Tm 4:8).

“Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. Assim corro também eu, não sem meta; assim luto, não como desferindo golpes no ar.” 1 Co 9:25-26

Na vida cristã, ninguém pode “escalar” por você. Ninguém pode te carregar. Apesar disso, todos nós somos cuidados, preparados e equipados por outros  “escaladores” mais experientes (Gl 4:2). Eles servem de referência para nós, indicando-nos os melhores “trechos” e as melhores “rochas” em que podemos nos apoiar. Assim, ao subir cada rocha, evitaremos os lugares em que podemos deslizar e veremos onde é possível estabelecer um ponto de ancoragem ou sustentação.

O “ESCALADOR” CHARLES SPURGEON: FILHO DE CRENTE, CRENTINHO NÃO É

Charles Haddon Spurgeon foi um grande pregador inglês do século XIX. Pregou para multidões de ingleses e pôde ser muito usado por Deus. Os textos deste escalador da vida cristã ajudaram e até hoje ajudam os cristãos em suas escaladas.  Entretanto, mesmo nascendo em um lar cristão, Spurgeon teve sua experiência de conversão somente em sua adolescência.

À luz disso, caro leitor, atente-se para a seguinte frase: “filho de crente, crentinho não é”. Ela é interessante porque ilustra bem a situação de Spurgeon: sua família era cristã, sendo seu pai e seu avô pastores. Apesar disso, até os seus quinze anos o jovem Charles Spurgeon ainda não havia tocado em Cristo.

Como vimos, na escalada cristã ninguém pode escalar por você. Ser filho de  cristãos não o torna um. As experiências de nossos pais ou daqueles que pregaram o evangelho para nós nos conduzem somente até certo ponto. Depois, precisamos ter as nossas próprias experiências com Cristo, pois  elas sustentarão nossa vida cristã.

AS EXPERIÊNCIAS SÃO COMO PONTOS DE ANCORAGEM

Nossas experiências com Cristo são muito importantes, pois elas funcionam como os pontos de ancoragem de nossa escalada cristã. Um ponto de ancoragem bem fixado garante a retomada da escalada, sem grandes prejuízos, mesmo após um deslize ou queda. Da mesma forma, em nossa vida cristã, após algum “deslize”, podemos retomar nossa “escalada”,  arrependendo-nos e nos voltando ao Senhor, o qual deseja que todos cheguemos ao fim (Ef 4:13).

A primeira experiência de Spurgeon com o Senhor (ou primeiro ponto de ancoragem afixado) foi tão marcante que ela é datada: 6 de janeiro de 1850, aos 15 anos de idade. Spurgeon passou vários meses em oração pedindo que se houvesse um Deus, que tocasse em seu coração, pois se sentia o maior dos pecadores. Em uma noite tempestuosa, Spurgeon visitava uma igreja quando um dos membros pregou de maneira bem simples uma mensagem baseada em Isaías 45:22, parte “a”:

“Olhai para mim e sede salvos, vós, todos os limites da terra.” Is 45:22a

A pregação foi simples, mas causou um grande impacto em Spurgeon, que não conteve suas lágrimas. Ele compreendeu que não era necessário fazer alguma coisa, mas apenas olhar. Ele então não olhou para si mesmo. Olhou para Cristo e pôde ser salvo.

Creio que a experiência de Spurgeon o tenha marcado e sustentado em toda sua vida cristã. E você, caro leitor, possui algum dia especial que merece ser lembrado? Se possui, ótimo! Se não, ainda há oportunidade. Basta buscar com coração sincero.

O QUE APRENDEMOS COM SPURGEON

Podemos aprender muito com a experiência de Spurgeon. Primeiramente precisamos orar, falar com Deus, buscar Sua presença de maneira pessoal. Isso nos dá equilíbrio e nos sustenta em nossa escalada da vida cristã. Veja um trecho do livro #Atitude que remete a esse assunto:

“Para manter-se equilibrado, você precisa ter uma vida individual com o Senhor. Você precisa ter aqueles momentos de estar no seu quarto sozinho e orar. Tenha sua vida pessoal e íntima com Deus. Tenha sua vida secreta com Deus (Mt 6:5-6). Esse momento não tem nada a ver com seus pais nem com seus líderes da igreja. Isso é entre você e Deus. Há momentos em que você precisa olhar para o Senhor e dizer: “Senhor, fala umas palavras só para mim. Eu não quero que o Senhor fale comigo só de maneira coletiva, como na reunião da igreja. Fala comigo de maneira íntima e pessoal.” (Livro “#Atitude” publicado pela Editora Árvore da Vida, p.58-59)

Outro ponto que aprendemos com Spurgeon é ser tocado pela palavra. Ele, ao ler as escrituras, pedia a Deus que lhe mostrasse o sentido daquele texto. E ainda disse duas frases interessantes:

“É maravilhoso como o texto, duro como a pederneira, emite faíscas quando batido com o aço da oração”.

“Orar acerca das Escrituras, é como pisar uvas no lagar, trilhar trigo na eira, ou extrair ouro do minério”.

Na vida de Spurgeon, a oração era fundamental para que ele pudesse extrair o melhor da palavra. E você também pode fazer o mesmo. Ore ao ler a palavra!

OLHAR FIRMEMENTE

Por fim, em nossa escalada cristã, não podemos olhar para as circunstâncias ou para nós mesmos, devemos olhar para o alvo. O medo de cair pode surgir, mas é nesse momento que precisamos nos voltar a Cristo e crer que Ele está nos sustentando com sua destra (Is 41:10). O segredo é nunca desanimar, perseverar e olhar firmemente para Jesus (Hb 12:1-2).

“Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.” Fp 3:13-14

Chegamos ao fim de mais um texto. Se você se sentiu encorajado a prosseguir em sua escalada cristã, curta, comente e compartilhe! O seu retorno é importante e também nos motiva a prosseguir.  😉

Que Deus te abençoe e até o próximo texto!

 

Deixe seu comentário