Integrar fé e trabalho em meio a todo o caos desse mundo não é uma tarefa fácil. Entretanto, mesmo diante de tanta adversidade, nosso Pai não nos desampara. Além de estar ao nosso lado a cada momento (Mt 28:20), Ele nos deixou orientações valiosas sobre como lidar com esse assunto tão importante.

Para compreender o papel do trabalho no viver de um cristão, Timothy Keller nos traz luz em seu livro e base deste texto, “Como Integrar Fé e Trabalho”. Em seu conteúdo, o autor aborda de forma fantástica a maneira adequada de colocarmos a nossa profissão a serviço do Reino de Deus. O livro é dividido em três partes que relacionam o trabalho com o plano de Deus, com as nossas dificuldades e com o evangelho. Devido à extensão do conteúdo, minha intenção aqui é apenas pincelar uma pequena parte do que foi instruído pelo autor e deixar a sugestão de leitura para você.

Que você, amado jovem, possa perceber que o trabalho tem um papel muito maior do que apenas ser sua fonte de subsistência nessa vida aqui na terra!

A bênção do trabalho X a queda

Após criar todas as coisas em seis dias, Deus deu ao homem o grand finale de Sua extraordinária criação, algumas funções importantes no jardim. Além de dar nome a tudo o que foi criado, Adão recebeu a comissão de cultivar e guardar o paraíso (Gn 2:15, 19-20). Uma vez que ele recebeu tais responsabilidades antes da queda, concluímos que o trabalho é uma bênção de Deus ao homem.

Com a queda, entretanto, o desempenho das atividades propostas ao homem se tornou extremamente árduo (3:17-19). E isso abriu espaço para a separação da humanidade em duas categorias distintas: os preguiçosos e os diligentes. Uma vez que o trabalho é algo instituído por Deus ao homem, todos precisamos exercer alguma atividade que nos permita expressar a sabedoria e habilidade que Deus deu somente ao ser humano.

A preguiça, portanto, é descumprimento de algo primordial estabelecido por Deus. Quem rejeita esse princípio certamente cai em destruição (Pv 6:6-11). Assim como a preguiça, trabalhar além do devido também é uma distorção dos mandamentos sagrados. Se até Deus descansou após a conclusão de toda a criação, nós devemos seguir o mesmo modelo (Gn 2:3; Êx 20:8). Vemos nisso, que nossa visão em relação ao trabalho precisa ser equilibrada. Tanto trabalhar freneticamente como não trabalhar transviam aquilo que Deus estabeleceu para cada um de nós.

O trabalho e a idolatria

Ao analisarmos a sociedade ao longo das eras, é possível ver que o trabalho tem ocupado uma posição no coração humano diferente da inicialmente definida por Deus. O primeiro mandamento é claro: Eu sou o Senhor, teu Deus (…) não terás outros deuses diante de mim (Êx 20:2-3). É comum que as pessoas, sejam elas filhas de Deus ou não, coloquem a profissão em uma posição de “deus” em suas vidas. Assim, o que seria inicialmente uma bênção, se torna uma idolatria. Uma vez que ídolo é tudo aquilo que ocupa o lugar de Deus, todos precisamos avaliar o papel do trabalho em nossos corações.

Cristo nos comprou com Seu sangue e tem direito sobre nós (1 Pe 1:19). Somente Ele é nosso redentor (Ef 1:7). Dessa forma, é Sua presença e não um trabalho com bom retorno financeiro e prestígio social que nos garante a verdadeira felicidade e prosperidade. Sob essa mesma perspectiva, não devemos ser menos felizes quando o Pai nos agracia com uma condição de trabalho mais humilde daquela pela qual ansiamos.

Nesse aspecto, independentemente do nível de habilidade intelectual e motora que demande a execução de uma determinada atividade, todo trabalho feito pelo homem é uma forma de exaltar a sabedoria de Deus (Rm 1:20). Diante disso, um gestor de uma organização de sucesso, bem como o porteiro dessa mesma empresa desempenham funções que somente um ser humano pode fazer. Como Deus é maravilhoso!

Caso você, querido leitor, trabalhe em algo que esteja aquém de sua capacitação, não se menospreze. Certamente, um cachorrinho ou gatinho não poderiam fazer o que você faz! Portanto, seja fiel no pouco e como parte promessa, no devido tempo, você será colocado sobre muito e Cristo será glorificado (Lc 16:10). Não despreze os humildes começos.

Por outro lado, se Deus colocou em seu coração o desejo de seguir uma carreira que exija muita responsabilidade e habilidades intelectuais, não se intimide! Se prepare adequadamente e creia que toda vitória vem Dele (Pv 21:31). Nosso Pai sempre nos capacita a executar aquilo que Ele traçou para nós. Pelo princípio da semeadura, quando plantamos boas sementes, temos uma boa colheita no devido tempo (Gl 6:7).

Caro leitor, vamos colocar nossa profissão na posição devida em nossos corações. E que tudo seja feito com sobriedade e excelência, para Sua honra e glória.

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus (1 Co 10:31) ”.

“E tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. (…) Fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens” (Cl 3:17; 3:23 b).

O trabalho e o evangelho

Ainda é importante ver que, ao desempenharmos nossas funções, podemos cooperar com Deus pregando o evangelho e ofertando parte de nossos recursos para Sua obra. Assim, as pessoas que nos observam podem ser atraídas a Deus pelo nosso bom testemunho. E isso é possível até mesmo em ambientes onde não há liberdade de divulgar a Palavra abertamente. Se temos um coração de usar nossa profissão para servir ao Senhor, certamente Ele mesmo nos proporcionará experiências de evangelismo gloriosas.

O papel do trabalho na vida de um cristão

Portanto, além de ser fonte de suprimento, o trabalho nos leva a manifestar a sabedoria de Deus por meio de nossas habilidades e atividades. Para isso, três atitudes são importantes. A primeira é colocar o trabalho na posição devida, não sendo preguiçosos ou rejeitando o tempo de descanso necessário. A segunda é aceitar o que Deus nos dá, não menosprezando ou superestimando nosso potencial e habilidades. E a terceira é evangelizar, dando testemunho sobre quem Deus é por meio de um viver adequado com colegas de trabalho e investindo recursos financeiros em Sua seara. Que sejamos esses que sabem integrar fé e trabalho!

Jesus é o nosso Senhor!

 



Deixe seu comentário