Apresentamos a seguir um vídeo feito pela escritora do Eu vos Escrevi, Carolina Lacerda, e publicado no Instagram do Huios, grupo de jovens cristãos do Distrito Federal que tem como missão ajudar adolescentes e jovens a alcançar a maturidade cristã. Em seguida está o texto adaptado do vídeo:

TEXTO ADAPTADO

Como vencer a frieza espiritual

Um dos motivos pelos quais podemos nos sentir frios espiritualmente é que pode haver em nós pecado oculto. Um pecado não confessado nos deixa abatidos, frios. Consequentemente não conseguimos ter o mesmo relacionamento com Deus que temos quando não estamos vivendo na prática do pecado ou quando não há em nós um pecado que ainda não foi confessado.

Por isso, se você está frio espiritualmente, a primeira coisa que tem de fazer é orar e perguntar: “Senhor, há pecado em mim? Se há pecado em mim, Senhor, mostra-me. Sonda meu coração, prova aquilo que há em meu interior. Mostra-me se há algo de que preciso me arrepender”.

Se você descobrir que há pecado de que ainda não se arrependeu e ainda não foi confessado, confesse e peça perdão ao Senhor. Ele perdoa um coração arrependido. Sua graça lhe concederá paz. E você conseguirá estar na presença Dele sem o peso do pecado para afastá-lo. Lembre-se: você não tem de carregar esse peso. Cristo já pagou sua dívida na cruz. Apenas creia, confesse, e seja santificado pela vida divina.

Pecadores ainda somos e eventualmente pecaremos. A diferença de nós para os outros é que quando caímos em pecado, o Espírito nos constrange, reconhecemos, recebemos graça e deixamos aquela prática pela ação da santificação de Cristo em nós.

Não podemos estar em pecado. Estar em pecado nos afasta de Deus. Por isso é importante ter a prática de confessar e pedir perdão. Isto é aplicar a obra da cruz, é estar revestido pelo sangue. Assim, quando Deus olha para nós, vê Cristo e a redenção, não nossos pecados. E, se for um pecado que você cometeu contra alguém, procure pela pessoa, confesse e peça perdão a ela também.

Há ainda a possibilidade de não ser algo que precise confessar a alguém por ter pecado contra a pessoa, mas de praticar a confissão orientada por Tiago em sua epístola: “Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo” (5:16). Tal atitude deixará você mais leve e mais seguro. Ter alguém que sabe quais são suas dificuldades, lutas, tentações, pode ser de grande valor. Essa pessoa poderá orar com e por você e poderá alertar quando você estiver em uma situação que precise fugir ou resistir à tentação.

Agora, avancemos um pouco mais. Se você tem certeza de que não está vivendo em pecado, não precisa pedir perdão a ninguém, o Senhor já sondou seu coração e, mesmo assim, você ainda diz que tem a sensação de que está frio espiritualmente, analisemos de onde procede esse pensamento e se ele é verdadeiro.

Talvez sua fé tenha como referência sentimentos. Talvez você tenha experimentado muitas emoções no seu relacionamento com o Senhor e aprendido a ter uma vida cristã que depende de emoções. Você pode ter aprendido a usá-las como indicativo para saber se está frio espiritualmente. Por exemplo: se você se acostumou a ouvir Deus de uma determinada maneira, pode achar que Ele não fala mais com você, se não ouvi-lo daquela determinada maneira. Você também pode ter se acostumado a reagir de um determinado modo quando se impressiona com algo que Deus fez, por exemplo reagir chorando quando canta um belo hino.

Ora, não é porque Deus não está falando com você da forma como você estava habituado que Ele não está falando. Deus fala por meio da unção interior, por meio das Escrituras, dos nossos pastores e mestres e das circunstâncias. Nossos sentimentos variam, não possuem estabilidade, nem são confiáveis. Um dia você está alegre, no outro triste. Num dia gosta de determinada coisa, no outro não. De manhã está de mau humor, à tarde destilando gentileza.

Não podemos ser apenas emocionais. Devemos sim usar as emoções, mas também devemos ser racionais. As convicções e o entendimento estão em nossa mente. A fé é racional. Não perdemos a fé porque temos certeza, convicção do que cremos. Não cremos quando estamos de bom humor e deixamos de crer quando estamos de mau humor. Sabemos quem Deus é, o que Ele fez, quem nós somos e o que recebemos. Nenhum sentimento pode ser capaz de mudar essas certezas. Nenhum sentimento pode ser capaz de mudar aquilo que está escrito na Bíblia.

Perceba: não temos de esperar sentir vontade de ler a Bíblia para lê-la. Não temos de esperar sentir vontade de orar para orar. Sabemos que temos de orar e que temos de ler a Bíblia. Isso é suficiente para que façamos. Porém como fazer?

Já vimos que não é adequado que usemos apenas as emoções no relacionamento com Deus. Mas seria adequado usar apenas emoções e razão? Também não. As emoções devem estar debaixo da mente, onde há estabilidade, mas a mente deve estar sujeita ao espírito. Uma vida cristã adequada deve ser controlada pelo espírito.

Primeiro, sujeitamos as emoções à mente e abrimos mão do que sentimos por aquilo que sabemos que temos de fazer. Depois é a vez da mente se sujeitar ao espírito. Assim, não apenas faremos, mas faremos no espírito. Pensando no que é celestial, não no que é terreno. Não para cumprir uma cartilha, mas para ter uma relação com Deus. Não buscando mero conhecimento, mas buscando vida.

Há dias em que acordo com vontade de orar, de ler a Bíblia, de compartilhar com os irmãos. Há outros tantos em que não tenho sinto vontade alguma. Mas não importa o que sinto. Importa que sou cristã, sou filha de Deus e devo ter um relacionamento com Ele. Há vezes que ouço Deus falar comigo de forma muito perceptível, em outras há apenas silêncio.

E qual o problema nisso? Ele deixou de ser Deus? Ele deixou de me ouvir? De modo algum! Ele pode não me responder naquele momento e daquela forma como eu gostaria, mas ele irá responder. Ele me orientará por meio da Palavra, ou usará as circunstâncias e os irmãos para isso. Há reuniões em que choro quando ouço um hino, mas em outras ocasiões não choro quando ouço o mesmo hino. Não é que estou fria espiritualmente. Só tenho de aprender a saber o que Deus quer me dar como experiência naquele momento.

Ore até que consiga orar. Leia a Bíblia até que ame lê-la. Pelo exercício da oração e da leitura da Palavra, a vida divina irá se infundir em você, sua mente começará a ser renovada e todo o seu ser transformado.

Não fique olhando para si mesmo. Olhe para o Deus Trino. Olhe para o que o Pai é, o Filho é, e o Espírito é. Três sendo eternamente um! Olhe para o relacionamento perfeito que há na Trindade e para o relacionamento que a Trindade quer ter com você. O único, eterno e santo Deus quer se relacionar com você! Volte a sua mente para o que Ele realizou desde antes a fundação do mundo quando escolheu você, para o que Jesus fez na cruz quando se entregou para redimir você, para a salvação que o Espírito trouxe a você e como Deus o sustém e o faz perseverar até que Ele complete Sua obra em você.

Não fique olhando para sua imperfeição, para suas falhas, para seus sentimentos variáveis. Mantenha-se olhando firmemente para Aquele em quem não há variação ou sombra de mudança. Deus não muda. Deus não tem sentimentos variáveis. Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre. E Ele convidou você para ter um relacionamento com Ele. Isso independe de seus sentimentos voláteis. Confie em Deus. Entregue-se ao relacionamento com Ele.

Isso posto, daremos a seguir algumas dicas práticas para caso você realmente esteja frio espiritualmente e não tenha apenas sido confundido por suas emoções.

5 dicas para vencer a frieza espiritual

1. Busque lenha logo pela manhã. Aqueça-se logo cedo. Como assim? – Você pode indagar. É simples. Comece o dia orando e consagrando-se a Deus. Peça para andar com Deus naquele dia. Não fique pensando no dia seguinte, no mês seguinte, no ano seguinte. Pense em viver aquele dia na presença do Senhor. Pense em viver como filho de Deus e cidadão do reino naquele dia. O viver cristão é diário.

2. Leia a Bíblia e pratique o que lê. Antes de ler a Bíblia ore e peça entendimento a Deus. Peça para que Ele fale com você, para que a letra se torne em vida. Avance no conhecimento de Cristo. E não fique apenas no que entendeu. Quando a Palavra se torna vida, nós passamos a praticá-la. Viva de acordo com as Escrituras.

3. Tenha bons companheiros espirituais. Seja amigo de pessoas com quem você pode contar para amadurecer espiritualmente. Amigos que vão orar por você e com você. Amigos com quem você poderá desabafar, pedir ajuda, de quem poderá receber bons conselhos

4. Tenha um viver coletivo. Estamos num corpo, não somos membros isolados. É preciso ter um viver coletivo, um viver em comunidade com os irmãos. Participe das reuniões da igreja. Aprenda com os mestres, seja apascentado pelos pastores. Aprenda com as experiências compartilhadas pelos irmãos. Watchman Nee, em suas lições para o viver cristão, disse que nas reuniões da igreja vemos a glória de Deus de uma maneira diferente e também recebemos refrigério mútuo. Tal refrigério é obtido quando vemos o desfrute dos irmãos e a vida que cada um compartilha. Essa é a edificação do corpo. E, se no momento você não tiver como fazer isso presencialmente, faça de modo virtual mesmo. Só não deixe de viver esse aspecto coletivo.

5. Confissão de pecados. Aqui retomamos o que foi dito no início. Tenha o hábito de orar pedindo que o Senhor sonde seu coração, confesse seus pecados, peça perdão a Ele e peça perdão aos irmãos, se pecou contra eles. Aplique o sangue de Cristo.

Prossigamos juntos, educando uns aos outros, perseverando, até que todos cheguemos à unidade da fé, à medida da estatura da plenitude de Cristo e sejamos filhos maduros, filhos Huios.

 

Deixe seu comentário