Com certeza devemos refletir sobre o porquê da existência do Covid-19. O que podemos extrair disso para a nossa vida espiritual e como podemos aplicar essa situação e projetá-la nesses últimos tempos?

Verdadeiramente, tudo está sob o controle do Senhor. Ele é soberano e esse vírus não vai frustrar Seus planos. A Bíblia não menciona nada a respeito do Covid-19, tampouco sobre Febre Amarela, Ebola, Peste negra, H1N1, etc., mas ela previu de modo amplo essas ocorrências:

“Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis” (2 Timóteo 3:1 – ARA).

“Haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais vindos do céu.” (Lucas 21:11 – NAA).

“Olhei, e diante de mim estava um cavalo amarelo pálido. Seu cavaleiro chamava-se Morte e o lugar dos mortos o seguia de perto. Foi-lhes dado o poder sobre um quarto de toda a terra, a fim de que matassem à espada, pela fome, por meio da pestilência e pelos animais selvagens da terra”(Apocalipse 6:8-  KJA).

Então, a primeira reflexão que faço é que a volta do Senhor está cada dia mais próxima. Talvez, muitos de nós tenhamos esquecido desse fato e passamos a viver desapercebidos. Será que ficamos confortáveis com a modernidade e ocupados demais com nossos afazeres? O mundo realmente é estável para nos comportamos dessa maneira? Não façamos como os hebreus, que em seu período de cativeiro no Egito se acostumaram com aquele lugar, mesmo na condição de escravos, oprimidos debaixo das mãos de Faraó e, mesmo depois de libertos, ainda sentiram saudades, desejando suas comidas. Nossa estadia aqui é passageira, fomos criados para estar com Deus.

As manchetes das últimas semanas falam que a economia mundial foi afetada, faltam alimentos e itens básicos em alguns lugares, os hospitais não conseguem atender a demanda. A vida das pessoas sofreu uma mudança brusca por algo tão pequeno que abalou o planeta, ou seja, por meio do Covid-19 percebemos, ainda mais, a efemeridade desse mundo, do homem e de sua glória (Eclesiastes 2:12; 1 Pedro 1:24) .

Antes mesmo de confirmarem casos aqui em Manaus, Amazonas, eu já estava preocupado e compreendia que era uma doença séria. Então, como “Noé” (Mateus 24:37-39) comecei a avisar meus familiares, mas semelhante às pessoas daquele tempo, que não creram na pregação dele , alguns me criticaram, rejeitando minhas advertências. Então, as coisas começaram a “explodir” aqui: casos foram confirmados e a quantidade de suspeitos aumentou, suspenderam as aulas, eventos; a saúde pública recomendou suspender os atendimentos eletivos e priorizar os de urgência; muitos órgãos públicos, empresas e lojas cessaram suas atividades e mandaram as pessoas para suas casas; então eles perceberam a gravidade da situação e graças ao Senhor ainda há tempo para adotar medidas preventivas.

Falando em medidas preventivas, vamos nos atentar às seguintes: evitar aglomerações, lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel, proteger ou cobrir o rosto ao tossir ou espirrar, são as mais recomendadas. Nesse ponto gostaria de traçar um paralelo entre essas e medidas e as recomendações do Senhor, que estão na Bíblia e são compartilhadas pelas igrejas: qual o nível de importância que damos a elas? Não lhes damos ouvidos porque Ele “tarda” em voltar? Estamos separados do mundo, temos lavado nossas mãos de praticar o mal, temos filtrado coisas antes de absorvê-las, aplicamos o sangue de Cristo em nossos pecados e Sua Vida para transformação de nossas vidas ou andamos desapercebidos?

Caro(a) leitor(a), considere sua situação diante do Senhor e se você tem andado desapercebido ainda dá tempo de voltar para os braços do Pai. Desperte do sono, mude de posição e então Cristo o iluminará (Efésios 5:14)!

Não desanime com essa pandemia ou com sua situação pessoal, porque Deus ainda é o mesmo de outrora (Hebreus 13:8), o que abriu o mar vermelho, que fez o sol retroceder, que curou coxos, cegos, surdos, mudos, expeliu demônios, ressuscitou mortos, que se entregou como propiciação pelos nossos pecados. Ele pode tudo (Lucas 1:37), inclusive mudar todas essas circunstâncias!

Certamente, somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos! Porque não fixamos os nossos olhos naquilo que é visível, mas naquilo que é celestial, que é eterno e temos a certeza de que essa crise que estamos passando vai nos produzir um eterno peso de glória! (2 Coríntios 4:8-9, 17-18)

Que a Graça do Senhor recaia sobre você e que nesse momento Ele o sustente, segure em sua mão e o conduza por onde Ele deseja. Que você considere todos esses acontecimentos e a sua própria condição, que o Espírito Santo o console e dê forças a você, diariamente, para prosseguir firme, até o fim!

Deixe seu comentário