Ultimamente tenho refletido sobre o que barra o crescimento da vida de Deus em nós. Lendo alguns livros e ouvindo a experiência de alguns irmãos, percebi que a resposta não é tão complexa; mas, quando ignorada, pode trazer grandes complicações para nós e para Deus.

Certo dia, um jovem questionou a um determinado irmão o que fazer para crescer espiritualmente. Tal irmão perguntou-lhe “Quantos dias se passaram, sem você ter lidado com os pecados?”. Aí está a chave: lidar com os pecados.

Mas o que são pecados? Há dois aspectos relativos ao pecado. Pecado no singular representa a natureza do pecado dentro de nós. Pecados no plural são os atos pecaminosos exteriormente. O lidar com os pecados diz respeito a lidar com os atos pecaminosos que cometemos exteriormente, os pecados em nossas ações. Em 1 João 5:17 nos é dito que “toda injustiça é pecado”. Todos os feitos de injustiça são pecados das nossas ações, é com isso que precisamos lidar.

Em Provérbios 28:13, lemos: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. A palavra é clara: sem a confissão dos pecados, não há como prosperar. Não há como avançar. A nossa comunhão com o Senhor é, então, interrompida (Is 59:2).  Não conseguimos mais tocar em Deus. Acusados pela consciência, passamos a correr o risco de naufragar na fé e deixar todas as coisas espirituais vazarem por causa disto (1 Tm 1:19).

“Quando o pecado entra, o governo de Deus é danificado, a ordem do universo é quebrada, a glória de Deus é pisada, a santidade de Deus é profanada, a autoridade de Deus é rejeitada e a verdade de Deus é destruída.”  – Miguel Ma

Querido jovem, toda vez que deixamos nossas ações serem regidas pelo inimigo de Deus, independente do que façamos, isso traz dor ao coração de Deus. Obstáculos são imediatamente colocados entre nós e Ele. Desfrutar da palavra, das reuniões e buscar ao Senhor torna-se um peso. Isso são sintomas de que algo não está bem. O segredo para sair dessa situação é confessar os pecados. Se confessarmos os nossos pecados, o Senhor é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça (1 Jo 1:9). Ocultar nossos pecados só nos trará dano. Mas no momento que nos separamos de toda impureza, o Senhor nos recebe e nos trata como filhos e filhas (2 Co 6:17-18). O apóstolo Paulo faz um rogo aos coríntios: “tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (2 Co 7:1).

Lidar com os pecados não é uma ordenança da lei, mas uma exigência da comunhão com Deus. Lidamos com o pecado porque sentimos em nosso interior que ofendemos a Deus.  Para tocar nas promessas e para crescer espiritualmente é necessária uma separação das coisas impuras e injustas. Sem separação não há ambiente adequado para vida crescer. Quando em nossa vida não há “muros” que nos separem das impurezas, somos presas fáceis para o inimigo e acabamos tropeçando. A causa de nossas derrotas é a falta de separação.

Amado jovem, diante da luz da palavra precisamos pedir ao Senhor força e sensibilidade para apartar-nos de toda impureza, todo pecado. Se você sente que sua vida espiritual não está avançando, volte-se ao Senhor com um coração de arrependimento, disposto a receber ajuda da parte de Deus. Ele quer ver-nos crescendo, amadurecendo, sendo jovens saudáveis, separados de impurezas e pecados. A obra que o Senhor quer fazer não é exterior e definitiva, mas é gradual. Da mesma forma, precisamos todos os dias nos achegar mais e mais ao Senhor. Sempre haverá algo para confessar, o segredo é ter um coração que se arrepende rapidamente.

Espero que este breve texto tenha falado ao seu coração e mostrado a vontade do coração de Deus para você!

 

Deixe seu comentário