Nessa última semana, a curiosidade de muitos foi provocada pelo viral “Charlie, Charlie, are you here?” (“Charlie, Charlie, você está aqui?”). Trata-se da invocação de um espírito (Dt 18:11-13) – algo condenável pela Bíblia? Uma porta de entrada do maligno em nosso quarto, casa, família? Curiosamente, o viral é  “apenas” a promoção de um novo filme de terror que está para ser lançado em Julho deste ano. Ou seja, foi apenas uma jogada de marketing brilhante, uma simples brincadeira. Será? Sem dúvida que não.

Por trás dessa simples brincadeira está o inimigo de Deus, tentando entrar na sua vida. Jovem, isso não é sensacionalismo, não é ser chato ou “careta”, levar as coisas a sério demais. Isso é ver as coisas como são de acordo com a Bíblia. Experimentar as trevas não nos faz imunes e resistentes a ela, apenas nos afasta do Senhor e nos enfraquece espiritualmente. É natural que gostemos de fazer novas descobertas, ou queiramos bancar os destemidos para os amigos, ou apenas participar de uma corrente viral que se tornou “modinha” na internet. Mas qual o resultado de invocar nome de um morto? A morte! Você está preparado para encarar o mundo das trevas e suas consequências?

Estamos no centro de uma grande luta espiritual (Ef 6:12), não podemos ignorar os efeitos que nossas escolhas podem gerar (1 Pe 5:8). Nós fomos comprados pelo sangue do Senhor, somos filhos da luz e devemos temer nos envolvermos com tudo aquilo que pode gerar trevas (2 Pe 2:20-22), ainda que, aparentemente, seja uma brincadeira qualquer (do lápis, do copo, ou do compasso), com explicações científicas. O princípio do discernimento vale para tudo na nossa vida, em especial, para atos que remetam a práticas obscuras e a esoterismo. O inimigo é muito habilidoso e astuto. Ele conhece nossas fraquezas. Sabe também como se achegar até nós, muitas vezes, de formas aparentemente inofensivas, e nos envolve em sua trama maligna (2 Co 11:14). Mas, como jovens fortes e ativos, como a geração que trará o Senhor de volta, precisamos identificar e fugir do engano de satanás.

Não é errado ter curiosidade, mas precisamos tomar cuidado com aquilo que buscamos; um pequeno desvio pode gerar consequências irreparáveis. Foi assim com a queda do homem, quando, por curiosidade, Eva comeu do fruto proibido pelo Senhor (Gn 3:6); também foi assim com os setenta homens de Bete-Semes que foram feridos de morte por Deus por terem olhado para dentro da arca (1 Sm 6:19). Ou seja, precisamos discernir para qual fim buscamos determinada informação ou praticamos determinado ato: se for para edificação nossa e da Igreja, a curiosidade é boa  (Sl 111:10; Pv 3:13), mas se for para nos destruir, afastar-nos do Senhor, questionar os limites que estão na Palavra de Deus, ela não é saudável e deve ser firmemente rejeitada.

Se fosse para invocar o nome do Filho de Deus, a repercussão seria a mesma? Por que são “over” as coisas de Deus, mas o desconhecido é empolgante, “é da hora”? Apenas por ser misterioso? Ou por ter respostas imediatas? Muitas pessoas têm vergonha de invocar o nome do Senhor Jesus. Mas quando, de repente, surge um vídeo na internet mostrando que invocar o nome de um espírito chamado “Charlie” é legal, elas começam a fazer isso sem qualquer reflexão do que estão realmente fazendo. Por que pedir conselhos a Charlie? Você pode se aconselhar com o próprio Deus! “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes” (Jr 33:3). O problema é que gostamos de respostas imediatas, mas as coisas de Deus nem sempre são assim. Muitas vezes, o Senhor precisa primeiro trabalhar em nós para nos mostrar algo; outras vezes, não ouvimos Seu falar por não estarmos com um atitude correta. Satanás se aproveita de nossa impaciência oferecendo soluções rápidas para nos enganar.

Em todo o universo, há apenas um nome que deve ser invocado e esse nome é o nome do Senhor Jesus. É o único que salva e promove libertação (Jo 10:10); qualquer outro será laço e armadilha, que provocará dano certo. Além do mais, qualquer um que troque o nome do Senhor por outro, está afrontando diretamente a determinação do Pai (At 4:12).

Jovem, nós amamos e cuidamos de você, porque nós fomos amados e cuidados e, por isso, continuamos aqui perseverando. O fato é que o mundo cada vez mais nos aperta e tenta vender como comuns situações condenadas por Deus e absolutamente desastrosas para a vida espiritual. Agora, te convidamos a invocar “Ó Senhor Jesus!” e a experimentar todos os benefícios que Ele pode trazer para a sua vida. Lembre-se de pedir conselhos a Ele em todas as situações da sua vida. Jesus deseja falar com você!

Queremos encerrar orando com você:

Senhor Jesus! Graças Te damos, porque Teu amor permanece e insiste em nos trazer de volta a Ti. Senhor, reconhecemos que temos pecado e muitas vezes estamos insensíveis ao Espírito, com a consciência cauterizada e vulneráveis aos ataques do inimigo. Senhor, pedimos pelo Teu sangue restaurador! Lava-nos com ele e nos purifica de todo pecado e de toda insensibilidade. Quebra toda cadeia que nos prende – queremos ser livres em Ti! Senhor Jesus, nos arrependemos e consagramos nossa vida a Ti. Aceitamos o Senhor como nosso Salvador e declaramos nosso amor a Ti! Guarda-nos cobertos pelo Teu sangue. Ó Senhor Jesus! Jesus é o nosso Senhor!”

Esse artigo te ajudou? Indicamos também a leitura desses:

Quando Deus nos faz esperar
Separar tempo para a comunhão com Deus
E se eu cair?

English     Español

Deixe seu comentário