Os jovens enfrentam diversos tipos de problemas no dia-a-dia. Possuem temores, conflitos pessoais, dúvidas sobre estudos, carreira profissional, sentimentos e relacionamentos. Além disso, ficam ansiosos para casar, ter filhos e coisas assim, surgindo muitas angústias e ansiedades que podem resultar em depressão e sofrimentos. Esses são grandes vilões dos seres humanos e, em geral, vêm acompanhados de intensas aflições que podem gerar problemas de saúde.

Como vou encarar tudo isso? Será que alguém pode me ajudar a resolver? Será que alguém me entende?

Diariamente alimentamos todos esses conflitos e dúvidas. E nessa hora parece que ninguém pode cuidar de nós, ninguém vai nos entender. Mas há uma pessoa que passou por tudo isso e é capaz de nos compreender de modo pleno: nosso amado Senhor Jesus.

“Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o Senhor tem sido generoso para contigo. Pois livraste da morte a minha alma, das lágrimas, os meus olhos, da queda, os meus pés.  Andarei na presença do Senhor” (Sl 116:7-9)

Mas, sendo Deus, será que Ele pode me entender de fato?

“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado” (Hb 4:15).

Muitos têm um conceito de que Jesus era como um “Super-Homem” e tinha “superpoderes” para fazer e resolver tudo. Porém, ao ler o Evangelho de Marcos, é impressionante a forma como o sentimento de Jesus é descrito no capítulo 14:

“Então, foram a um lugar chamado Getsêmani; ali chegados, disse Jesus a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu vou orar. E, levando consigo a Pedro, Tiago e João, começou a sentir-se tomado de pavor e de angústia. E lhes disse: A minha alma está profundamente triste até a morte, ficai aqui e vigiai” (vs. 32-34).

Você acha possível que Jesus tivesse esse tipo de sentimento sendo um Super-Homem? Alguém com superpoderes certamente enfrentaria todos e resolveria qualquer situação que o deixasse apavorado e angustiado. Ali, porém, Ele prostrou-se em terra e orava para que, se possível, lhe fosse poupada aquela hora (v. 35). Como homem, Jesus também temeu o sofrimento e a dor, também esperou passar por provações sem que precisasse vivenciar angústia e aflição, mas era necessário que Ele se fizesse como cada um de nós.

“E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra” (Lc 22:44).

Hoje, como resultado do caos em que o mundo está se tornando, muitos jovens, por não conseguir se desvencilhar das adversidades, acabam sendo acometidos por profunda tristeza, até cair em depressão. A angústia de Jesus foi tão grande que foi descrita como “alma profundamente triste” (Mc 14:34). Diante de tamanho sofrimento experimentado por Ele, podemos afirmar com convicção que Ele pode condoer-se e compadecer-se de nós em todas as nossas fraquezas. E não importam o tamanho e a natureza de nossas aflições, Ele sempre está do nosso lado.

Considere ainda mais um sofrimento vivido pelo nosso amado Salvador. Logo em sequência, podemos ver a traição de Judas e os acusadores levando-O para ser julgado. Muitos testemunharam falsamente contra Ele (v. 57) e inventaram histórias, embora o testemunho deles não fosse coerente. Então, o sumo sacerdote lhe perguntou: “És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito?” (v. 61), e, ao responder que era o Filho de Deus (v. 62), Ele foi julgado, foi proferida a pena de crucificação e, em seguida, alguns se puseram a cuspir Nele (v. 65). Ainda que tal atitude não machuque fisicamente, ela é capaz de abrir enormes feridas na alma. Hoje temos relatos de jovens que passam por situação de bullying, principalmente em escolas. Alguns se sentem rejeitados pelos colegas, outros foram até mesmo agredidos fisicamente e, assim, feridas profundas são criadas em seus corações. Suas cicatrizes contam suas histórias. Se você já enfrentou alguma dessas situações, saiba que Jesus também passou por tudo isso e Ele deseja curar você de todas as coisas que marcaram negativamente a sua vida.

“Ficai aqui e vigiai”

Em Mateus 26:37, lemos que Jesus rogou a Seus três discípulos mais íntimos, Seus amigos: “A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo”. É muito importante ter amigos com quem conversar, a quem confiar os sentimentos. Para isso, o ambiente da igreja é ideal, pois é como nossa casa, nossa família. Na igreja temos acolhimento, proteção e, acima de tudo, Deus pode expressar Seu amor e cuidado por nós, por meio do cuidado dos irmãos, pois é a família da fé (Gl 6:10).

Todos passamos por momentos assim na vida. Quando não cuidamos, essas coisas nos impedem de seguir adiante, de explorar todo o nosso potencial, tanto nos estudos, como no trabalho, ou até mesmo nos relacionamentos em geral. Elas frustram nossos planos de vida e principalmente nos impedem de servir a Deus. Resultam em complexos de inferioridade, baixa autoestima ou até mesmo algum tipo de trauma. Jovem, Deus quer libertar você! O Senhor Jesus pode curá-lo! Ele passou por tudo isso, compreende as mais profundas angústias do coração humano, pode compadecer-se de cada um de nós, consolar-nos, aliviar e livrar-nos de cada uma dessas coisas. Ele não escondeu Seu sofrimento de nós; antes, Ele desejou que soubéssemos de tudo aquilo pelo qual passou, mostrando que entende as situações pelas quais também nós iríamos passar. Além do Senhor Jesus, muitos outros personagens bíblicos também experimentaram sofrimentos, angústias e tribulações.

“Amo o Senhor, porque ele ouve a minha voz e as minhas súplicas. Porque inclinou para mim os seus ouvidos, invocá-lo-ei enquanto eu viver” (Sl 116:1-2)

“Contudo, não seja o que eu quero, mas sim o que tu queres” (Mc 14:36).

Jesus veio à terra para ser verdadeiramente um homem como cada um de nós; a diferença é que em nenhum momento Ele foi contra a orientação de Deus (Jo 6:38). Uma dificuldade pode tornar-se um trauma em nossa vida, mas também pode se transformar em grande bênção, quando nos voltamos ao Senhor, aceitamos Sua vontade e dependemos da Sua graça e misericórdia. Ele nos diz: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza(2 Co 12:9). Ele não quer que a nossa força seja limitada; antes, deseja que confiemos Nele, em todas as ocasiões. Precisamos buscar entender a vontade de Deus na nossa vida, cumpri-la, vivê-la e estar sempre prontos a obedecê-la, mesmo que vá contra aquilo que queremos. Só a obediência nos traz a paz e só quando permitimos é que Deus poderá trabalhar em nós assim como Ele quer.

Ainda que silenciosamente, o conforto e a graça de Deus estão conosco. Não pense que Deus não entende você; afinal, Ele mesmo o criou e o escolheu. Ore ao Senhor e dê descanso a seus pensamentos. Para Deus não existem situações menos ou mais difíceis e Ele nunca é pego de surpresa. Todo e qualquer detalhe em sua vida passa pelo olhar Dele. Em Sua soberana providência, Ele está sempre presente, seja nas situações mais importantes ou nas mais triviais. “Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores” (Rm 8:37).

“Faze-me, Senhor, conhecer os teus caminhos, ensina-me as tuas veredas. Guia-me na tua verdade e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia. […] Todas as veredas do Senhor são misericórdia e verdade […]. Ao homem que teme o Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher. […] A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança. […] Volta-te para mim e tem compaixão, porque estou sozinho e aflito. (Salmos 25:4-5, 10, 12, 14, 16)

“E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós” (1 Co 2:3).

Texto inspirado no livrete “Deus conhece os meus sofrimentos”, publicado pela Editora Árvore da Vida.

 

Deixe seu comentário