Ao lermos a Bíblia, deparamo-nos com maravilhosos relatos daqueles que seguiram o nosso Senhor. Entretanto, se compararmos as histórias desses grandes homens e mulheres com a nossa, nos sentimos meio derrotados. Mas eu tenho uma boa notícia: o Senhor não vê como você vê,

“porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.” (1 Sm 16:7b)

Nesse texto, veremos a história de Sara, uma dessas grandes pessoas, contada de duas maneiras: a que está diante dos nossos olhos, relatada no Antigo Testamento,  e a que o Senhor viu,  registrada na passagem de Hebreus.

“Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa.” (Hb 11:11)

Ou seja, segundo Hebreus, pela fé, Sara confiou na promessa. Gênesis conta que mesmo após o Senhor ter prometido fazer a descendência de Abraão ser tão grande quanto o número de estrelas no céu (Gn 15:5), Sara concedeu sua serva para que Abraão pudesse ter filhos. Sara tinha por certo que não poderia gerar filhos e quando o Senhor apareceu com dois anjos em sua casa e disse-lhe que ela daria à luz um filho, ela riu (Gn 18: 10-12).

Você consegue perceber a diferença entre essas duas passagens? Em Gênesis vemos alguém que, por falta de Fé, ri quando ouve a promessa do Senhor. Porém, no livro de Hebreus, lemos a história de uma mulher que pela Fé recebeu o poder para ser mãe, não olhando a sua idade avançada

Muito provavelmente, se me pedissem para escrever a história de Sara seria diferente. Eu destacaria todas as suas falhas e a usaria como um exemplo negativo. Do mesmo modo, quando olho para a minha história, o que os meus olhos veem, o meu ponto de vista diverge muito do que o Senhor escreve.

“e no Teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.” (Sl 139:16b)

No fim, Deus não atentou para todas as vezes que Sara duvidou, e sim para o momento que seu coração creu. Além disso, todas as vezes que ela hesitou levaram-na para mais perto da plena certeza de Fé. Logo, o que importa não é o que achamos de nós mesmos ou das nossas capacidades, mas o que permitimos que Ele faça em nós. Não são as falhas ou fraquezas, mas a transformação operada por Deus quando nos arrependemos que tem relevância. Os erros e faltas, por mais graves que sejam, devem-nos conduzir ao arrependimento, e assim, o Senhor pode usá-los para nos fazer crescer, ou seja, Ele pode nos lapidar. Nós somos da Fé, não é o auto-aperfeiçoamento que nos leva a Ser o que Deus deseja, mas é achegarmo-nos confiadamente ao Seu trono de graça. Ele disse para Abraão ainda em Gênesis:

“Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda na minha presença e sê perfeito.” (Gn 17:1b)

A perfeição, que tanto buscamos, está em andar na presença do Deus Todo-Poderoso, para Ele nada é muito difícil (Gn 18:14), assim o Senhor nos faz perfeitos!

“Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo; porque eu não vim para julgar o mundo, e sim para salvá-lo.” (Jo 12:47)

É comum olharmos para o nosso passado e vermos todas aquelas falhas e a nossa insistência em certos erros. Mas a partir de agora quando você olhar para a sua vida, não fique pensando em como consertar seus erros, volte-se ao Senhor e Ele te dirá exatamente o que fazer. Lembre-se que o Senhor não vê como vê o homem e é Ele quem escreve a nossa história.

“É ele quem nos liberta, e é por meio dele que os nossos pecados são perdoados.” (Cl 1:14 NTLH)

Que o Senhor te abençoe e continue te escrevendo essa linda história. Ande na presença Dele e seja perfeito. Se somos um, curta, compartilhe e comente, a sua resposta nos incentiva a continuar.

“Eu não tinha nada e agora eu tenho vida e uma história nova e linda escrita pelo dedo de Deus.” (Thalles Roberto)