HÁ UM HOMEM QUE CUMPRIU TODAS AS EXIGÊNCIAS

Desde pequena, ouvia falar sobre Jesus e tudo que Ele sofreu como homem. Sabia que O tinham crucificado e que Ele tinha morrido para me salvar. Sempre me emocionava com a história triste e todo o sofrimento Dele, mas não entendia exatamente o porquê. Se ele sofreu para me dar a salvação, não bastaria eu mesma sofrer para a minha salvação e cada pessoa sofrer para salvar a si próprio?

Foi aí que me contaram uma história…

ONDE TUDO COMEÇOU

Era uma vez um casal que vivia em um jardim, cujo dono, o Senhor Deus, era muito cuidadoso e supria todas as necessidades deles. Eles poderiam se alimentar de uma árvore chamada Árvore da Vida, que estava no centro do jardim e quem dela comesse viveria eternamente (além de todas as outras árvores do jardim); porém, havia outra árvore ali, chamada de Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, e não poderia ser usada como alimento, pois tornaria os que dela se alimentassem conhecedores e praticantes do bem e do mal.

Porém, eles desobedeceram ao Senhor e se alimentaram do fruto proibido, tornando-se conhecedores e praticantes do bem e do mal, transgressores da orientação divina e pecadores contra Deus. Talvez você esteja pensando (como eu também já pensei): por que eles não comeram da Árvore da Vida para serem como antes? Não! Se eles comessem da Árvore da Vida, após se tornarem pecadores, teriam que viver eternamente nesta condição e jamais poderiam se achegar a Deus e o reflexo disso seria um sofrimento eterno.

A PRIMEIRA MANIFESTAÇÃO DO AMOR DE DEUS

Deus, então, precisou tomar uma atitude de justiça para com aquele casal. Em Sua sabedoria, por causa do Seu grande amor pelo homem, tirou-os do jardim e colocou um querubim com uma espada de fogo para impedi-los de viverem eternamente no pecado.

O querubim representa a glória de Deus, a espada simboliza a Sua justiça e o fogo, a Sua santidade. Uau! Isso é maravilhoso, mas ao mesmo tempo, muito difícil ao homem, naquela condição, tornar a ter acesso à Árvore da Vida.

Sabendo que o homem jamais conseguiria cumprir as exigências de Deus, Ele mesmo toma outra atitude tremenda! Deus se fez homem, na pessoa de Jesus, e, como um homem, cumpriu todas as justas exigências do Pai, quais sejam: Sua glória, justiça e santidade. A humanidade perfeita de Jesus veio de um viver real, com dores e sofrimentos, fome, sede, angústia e muitas outras coisas pelas quais todos nós passamos; porém, Ele nunca pecou (Hb 4:15)!

A RESPOSTA

Jesus foi um homem perfeito, cumpriu todas as exigências do Pai; Ele aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu (Hb 5:8). Sua morte na cruz não foi por culpa de Herodes nem dos judeus, mas foi pela soberania de Deus e por amor à humanidade. Agora há um homem que cumpriu todas as exigências de Deus e o acesso à Árvore da Vida foi novamente aberto. O Senhor Jesus, como homem, sem pecado, é o único que pôde ser sacrificado em nosso lugar e nos permitir, novamente, o acesso à Árvore da Vida, à presença de Deus.

Há um cântico¹ que retrata bem este momento:

“Deus ao aceitar o sacrifício de Jesus,

Suas exigências satisfez;

Como prova disto, ao Senhor ressuscitou.

E com Ele hoje vivo eu!”

Jesus foi ressuscitado por Deus Pai, pois Sua obra foi aceita e cumpriu as exigências de Sua glória, justiça e santidade. E o melhor disso tudo é que eu e você, novamente, podemos ter acesso a Deus, tomar a Árvore da Vida e receber a vida eterna (Jo 6: 47-48, 51, 54, 57; 15:1).

Se você também entendeu que o sacrifício de Jesus é o único meio que nos permite entrar na presença de Deus e que nós mesmos não temos condições de cumprir Suas justas exigências, convido você a orar comigo:

“Ó Senhor Jesus, obrigado pelo Teu imenso amor e por todo o Seu sacrifício na cruz. Sem sua obra no calvário eu jamais poderia me achegar ao Pai, pois sou um pecador. Eu jamais teria condição de pagar o preço e cumprir as exigências de Deus. Creio em Ti, na Tua obra e confesso que Tu és o meu Salvador e para sempre meu Senhor. Amém!”.

 

¹Cântico número C42 do livro hinos publicado pela editora Árvore da Vida.

Deixe seu comentário