Bom pessoal, chegamos ao meu ultimo post nesta série e eu já estou com saudade de escrever para vocês.

Fico triste com o fim da série, mas, ao mesmo tempo, fico feliz em saber que o testemunho meu e da Sara pôde ajudar vocês. Meu desejo é que tenha ajudado bastante!

No último post, paramos falando sobre nosso noivado. Espero que tenham curtido o vídeo também, mostrando o que eu aprontei com ela.

Como vocês já sabem, o Senhor conduziu todas as coisas em nossa vida, desde a aquisição da aliança, até ao trabalho pra ela aqui na cidade. O Senhor sabe de todas as nossas necessidades.

Depois daquela conferência, Sara voltou para Cachoeiro e eu para Itaguara. Ela foi ajeitar suas coisas por lá e eu as coisas para recebê-la aqui. Casa, móveis – tudo, o Senhor foi conduzindo tudo para nós.  A nós coube apenas orar e esperar, pois Deus estava caprichando em tudo.

Sara chegou em Belo Horizonte junto com sua mãe e eu fui buscá-las. Posteriormente, seu pai também veio. E veio decidido a sair daqui com a data do casamento marcada. Eu sabia que ele não iria deixar a filha dele mudar para a cidade do noivo e ficar muito tempo sem estarem casados. E foi isso, certo dia a noite ele me pediu para marcar com um dos irmãos responsáveis da igreja para uma pequena reunião em minha casa. Eu já sabia o assunto da reunião: seria o casamento. Mas atendi ao que o pai da Sara pediu. Temos aqui um ponto a ressaltar, se não o mesmo já destacado em posts anteriores: sermos submissos às autoridades espirituais a quem estamos sujeitos. Como diz Rm 13:1 – “Todo homem esteja sujeito a autoridades superiores; porque não ha autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas”.

Muitas pessoas pensam que os irmãos responsáveis ou pastores não precisam saber o que você faz ou deixa de fazer com sua vida. Se esquecem que “igrejar” vai além de um viver de reuniões, inclui também sua vida social, familiar e espiritual. Se esses irmãos não souberem quais decisões que você quer tomar ou necessita tomar, como vão poder orar por você pedindo que Deus abençoe e sele essa decisão? Por isso, acho de suma importância incluir algum irmão responsável, uma genuína autoridade espiritual sobre sua vida. Incluir irmãos é importante principalmente em questões como relacionamentos, que envolvem algo além de você. Nesse caso nosso relacionamento envolvia Sara, nossas famílias, eu e, acima de tudo, envolvia nosso viver espiritual.

Continuando, nessa pequena reunião nós oramos e acertamos a data. Os nossos pais e irmãos oraram por nós e sentimos a benção do Senhor sobre nossas vidas. Sentíamos que tudo estava sendo direcionado pelo Senhor, sabíamos que o Senhor é quem iria cuidar de tudo.

E de fato Ele cuidou de tudo: desde a marcação no cartório, até o ultimo detalhe no grande dia. Antes de falar do tal grande dia, gostaria de falar um pouco aos que já são noivos. O noivado é algo muito importante diante dos olhos de Deus, pois é a partir daí que Deus começa a confirmar com mais clareza o relacionamento. Deus começa também a selar o relacionamento. Isso não quer dizer que está tudo liberado.

Genêsis 4:7 diz: “Se procederes bem não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz a porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.” Esse versículo sempre me ajudou bastante. Por mais que você tenha seus desejos, que são naturais do ser humano, você também é responsável por dominá-los, não deixando que estes sejam maiores do que você. Para isso, seu espírito deve estar alimentado e deve estar forte. Então, vigie e procure sempre estar com os irmãos, em comunhão.

Falando ainda sobre Sara morando aqui, foi muito de Deus ela ter passado no concurso. Foi meio que uma recompensa por tanto tempo que passamos longe um do outro. Sei que a vida dela virou de pernas para o ar e, de certa forma, eu ficava mal com isso. Não queria vê-la triste, o que era inevitável, mas confiava no Senhor. O que nos dava tal confiança no Senhor eram as diversas confirmações que Ele já havia nos dado. Portanto, se era a vontade do Senhor não havia o que temer, nem motivos para tristeza.

“Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.” Pv 3:5-6

Voltando a falar sobre o casamento, foi aquela festa! Irmãos de várias cidades.Parecia mesmo uma conferência, mas isso vou deixar pra Sara falar. Ela saberá falar melhor do que eu.

Então é isso pessoal. Espero que vocês tenham gostado e continuem acompanhando o finalzinho de nossa série.

Gostaria de encerrar com um versículo que mostra o tamanho da alegria do Senhor com um casamento que seja pra Cristo e seu reino.

“Porque, como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposarão a ti; como o noivo se alegra com a noiva, assim de ti se alegrará teu Deus.” Is 62:5