Oração no casamento é extremamente importante em todas as etapas da vida. Naturalmente, no casamento continua sendo essencial.

Durante toda nossa vida cristã, a nossa comunhão com Deus não define somente para qual destino seguimos ou por qual caminho andamos, mas também como seguimos e andamos até a Terra Prometida.

A diferença é que, neste momento da vida, as situações, contextos e cenários são diferentes, aqui a questão não é somente o nosso caminho e o dos irmãos,  mas também do nosso cônjuge.

Confira a seguir, o relato da irmã Ma acerca das diversas circunstâncias da vida de casal envolvendo a oração e sabedoria.

INÍCIO DA PARTE 3

EVE: O casal deve orar junto com que frequência?

Rebeca: Todos os dias. Não importa se cinco minutos, meia hora ou mais tempo, o importante é reservar um momento para oração.

Creio que o ideal é pela manhã, porque é um período importante para nos ligarmos ao Senhor.

Mas, dependendo do casal, de manhã pode ser mais difícil conciliar os horários. Nessa situação, o marido ora individualmente e a esposa também e oram juntos em outro horário.

EVE: Deve ser difícil conseguir conciliar sempre, não é?

Rebeca: Há dias em que não vão conseguir dormir no mesmo horário, mas é importante que orem.

Na hora de dormir é importante que consigam se deitar no mesmo horário para orarem  juntos. Se a esposa for dormir mais cedo, pode chamar o marido e dizer: “Estou cansada, vamos orar. Preciso dormir mais cedo”.

Se o casal tem uma vida de oração contínua, o marido nunca vai falar não. Também haverão dias em que seu marido estará cansado.

Quando você perceber que ele está indo para o quarto já pode perguntar: Vamos orar? Agora, no caso dele dizer “Venha orar comigo, já vou dormir”, largue tudo é vá. Depois da oração, você termina os afazeres.

EVE: Hoje em dia pelo fato de homens e mulheres trabalharem é ainda mais difícil terem um momento para orar juntos e para conversar, devido ao cansaço de ambos.

Rebeca:  Sim. Nesse caso, se os dois trabalham fora, é necessário e importante que haja diálogo: “Eu também trabalho fora, também fico muito cansada, então vamos dividir o serviço de casa”.

A mulher também não pode ficar calada, senão pode ficar com depressão e a casa “explode” de repente.

Não deixe que a situação chegue a esse ponto. “Os fios de cabelo podem entupir o ralo. Se tem cabelo, limpe-o antes que se amontoem.”

Marido e mulher vão ter problemas, sim. Só que colocamos diante do Senhor, em oração. Por isso é muito importante esperar o casamento no Senhor. Porque você pode falar: “Deus, foi você quem me deu, então você tem que me dar graça” (risos). Ou então: “Senhor, faz à sua maneira”.

EVE: Como lidar com ataques do inimigo?  Qual papel da mulher quando vê que o inimigo está atacando seu casamento?

Rebeca:  As grandes restaurações vêm do arrependimento. “Qual a lição que o Senhor quer que eu aprenda? Como devo fazer?” Deus certamente é vivo e Ele vai amparar o casamento.

É Ele quem vai fazer. Muitas vezes não queremos obedecer a Deus. Na minha experiência, o que Deus mandou é: primeiro, precisamos voltar nosso ser e pedir perdão.

“Senhor, se errei, me perdoa. E se não errei, me dá graça suficiente e me direciona neste momento.”

EVE: Puxa! Pedir graça e direcionamento em vez de agir do nosso jeito.

RebecaIsso. A maioria de nós, quando se depara com esse tipo de situação, começa a falar. Desculpa meninas, mas mulher fala demais.

Uma frase que não significa nada para você, pode machucar a outra pessoa. Assim, se você não faz da sua casa um lar, um refúgio, quando seu marido pensar em casa, ele não conseguirá lembrar “doce lar” e vai procurar ficar longe de casa.

Deixe seu marido saber que você é uma com ele. Não no sentido de ser dependente e grudenta, ou de ser unânime em coisas erradas. Acredito que isso seja muito importante.

Gostamos de consolo, não é? Mas também precisamos saber qual momento ele está precisando de consolo.

EVE: E companheiras espirituais, são importantes?

RebecaÉ muito bom e importante ter. No momento em que se está “pra baixo”, sempre tem que vir alguém para firmar, suportar.

Não somente a vida de casal. Nossa vida espiritual não está sempre no auge. É como uma montanha-russa. Quando você está em cima, está tudo bem.

Mas se você está no momento baixo, alguém tem que falar: “Vamos!” E, nesse momento, a esposa como amiga espiritual é essencial.

Você está na fraqueza, precisa de uma pessoa pra lhe levar para frente e o seu marido pode ser seu companheiro espiritual. Nunca, nesse momento, procure amigo no mundo.

Nem fique só. Vá atrás de oração com uma irmã que seja mais espiritual, no caso de você ser uma mulher (ou um irmão, no caso de você ser irmão).

EVE:  Tem coisas que o marido não fala para esposa e fala para os companheiros espirituais. Que dizer para a esposa que está com ciúmes dos companheiros espirituais do marido?

Rebeca: Tudo depende da natureza, do conteúdo da conversa. Se ele não está falando para a esposa, deve ter uma razão.

Se nunca fala com a esposa, ele está errado. Também existem os casos em que as esposas procuram companheiras espirituais para compartilharem entre elas.

As duas oram juntas, oram para o marido amar mais ao Senhor. Quando casei, meu pai me deu uma frase: “Se ele está no Senhor, amém, aleluia. Ore sempre por ele”.

Então, eu tinha que orar para ele sempre buscar ao Senhor. Se ele tem companhia espiritual, excelente! Não ache ruim,  mas se um dia ele procurar outros amigos no mundo, aí pode ocorrer um desastre no casamento.

EVE: Muito melhor estar servindo ao Senhor do que no mundo!

RebecaConheço uma irmã que ficava reclamando que o marido só ficava na reunião, só com os irmãos, só servindo ao Senhor.

Por que não fazia mais companhia a ela? Aí, um irmão falou para ela: “Cuidado! É perigoso! Porque o homem tem o alvo dele e a mulher tem o alvo dela.

Não é sempre igual. Então, se você não quer que ele sirva ao Senhor, tem que ver o que ele vai fazer.

Ele não vai ficar o tempo todo com você em casa. E o que ele vai fazer?” Dois anos depois, o casamento quase terminou e a vida de obreiro dele quase desmoronou.

Somente aí que ela se arrependeu e Deus restaurou o casamento. Mas poderia não ter volta. As esposas não podem ficar pensando: “Ele não faz isso, ele poderia fazer aquilo”. Não! Ele é vivo. Nem sempre vai fazer aquilo que você quer. Não pense assim: “Ele é um objeto, tiro aqui, coloco ali”. HOMEM É VIVO.

FIM DA PARTE 3

Louvado seja o Senhor, pois a oração e a comunhão são fundamentais para que o casamento seja saudável e o casal cresça.

As diversas experiências proporcionadas pelo Senhor, se bem aproveitadas, permitem que a vida divina aumente no casal e, ao mesmo tempo, que a relação de ambos com Deus seja abençoada.

Na próxima semana, a irmã Ma vai relatar suas experiências de batalhas espirituais e ataques do inimigo no casamento. Ela também falará um pouco sobre vida financeira.

Deixe seu comentário