Oi, gente! Neste texto gostaria de compartilhar uma reflexão que tive.

Eu estava conversando com uma amiga da faculdade, que é mais velha, casada há bastante tempo e tem uma filha. Enquanto lanchávamos observamos que eu como bem devagar e ela depressa. Daí ela comentou que se preocupa com a filha, pois esta também come rapidamente, mesmo que peça para que coma devagar, pois a imita. Nesse contexto, ela disse: “Tenho essa preocupação, porque criança aprende mais pelo que vê do que pelo que ouve”.

Lembrei-me, então, de 1 João 3:2, que diz: “Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque haveremos de vê-lo como Ele é”. Esse versículo diz que quando Deus se manifestar nós seremos semelhantes a Ele, o que nos permitirá vê-Lo como Ele é, na sua manifestação visível.. Minha oração, ao me lembrar desse versículo foi: “Senhor, preciso gastar mais tempo Te contemplando. Se ainda me falta semelhança Tua, é porque preciso Te contemplar mais”.

Tiago 1:22-24 diz: “Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da Palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era sua aparência”. A partir desses versículos, comecei a me perguntar: “Onde estão meus olhos? Que tenho olhado? Tenho olhado apenas para mim mesma?”. Aqueles que ouvem a palavra e não praticam, não são transformados porque, ao invés de contemplarem a glória de Deus como um espelho, olham apenas para si mesmos.

Às vezes ouvimos a Palavra e olhamos para nós mesmos. Até nos sentimos mal, sentimos remorso, mas logo nos esquecemos. Porém, se vemos Deus, que é luz, na Palavra, Ele irá mostrar nossas falhas e, em lugar de remorso, nos arrependeremos; e não nos esqueceremos do que vimos. Imaginemos um bebê: se a criança que engatinha olhasse apenas para si mesma e sua incapacidade de andar, ficaria triste e logo desistiria, posto que é incapaz; porém, a criança olha para os pais, que andam, então aprende a andar. Assim somos nós, se olharmos apenas nossa incapacidade, vamos desistir; mas, se olharmos para Aquele que a tudo enche em todas as coisas, aprenderemos a ser como Ele é.

Pensando ainda sobre ouvir e contemplar, me lembrei de Jó. Ele sempre teve fé: “homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal” (Jó 1:1). Porém, depois de sofrer muito, ao final, disse: “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos Te veem. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza” (Jó 42.5-6). Porque viu Deus, Jó experimentou o verdadeiro arrependimento e se tornou mais parecido com o Senhor. “Eu, Tássia Camila, preciso ver mais o Senhor”; essa é a minha oração.

Por isso o Senhor pedia tanto ao povo de Israel que olhasse para Ele. Isaías 45:22a diz: “Olhai para mim e sede salvos”. Minha salvação está no Senhor, em contemplá-Lo. Eu cri no Senhor, tenho Sua vida e hoje sou Sua filha, mas se quero parecer mais com meu Pai, devo contemplá-Lo cada vez mais! Minha fé deve me levar a isso.

Por fim, 2 Coríntios 3:18 expressa todo esse sentimento: “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”. Glória se refere à expressão de Deus. Quanto mais eu contemplá-la, gradativamente, serei transformada à Sua própria imagem. Preciso trocar o espelho de Tiago 1:22-24 pelo de 2 Coríntios 3:18. Em lugar de olhar para mim mesma, quero aprender com o Pai, Ele mostrará minhas falhas e aprenderei a agir conforme a Sua vontade. Hoje, minha oração é que eu me espelhe no meu Pai.

Deixe seu comentário