Sabe aquele momento em que você se sente morto? Parece que não tem mais ânimo para nada. Tudo está dando errado – não está bem no trabalho, está indo mal nas provas, com algumas dificuldades financeiras, não tem um bom relacionamento com as pessoas que convivem com você e simplesmente não aguenta mais. Todos já passamos, estamos passando, ou ainda vamos passar por fases assim. Mas não estou aqui para falar do caso de esperar uma resposta de Deus que resolva tudo, quero falar sobre desfrutar do silêncio de Deus e saber confiar Nele. Para isso vou tomar como exemplo a história de Noemi, sogra de Rute.

O livro de Rute começa contando a história de um homem chamado Elimeleque e sua esposa Noemi que saíram de Belém de Judá e foram viver na terra de Moabe (Rt 1:1). Durante o tempo que estiveram em Moabe, Noemi perdeu seu marido, seus dois filhos, e ficou só com suas noras moabitas (Rt 1:3-5). Contudo mesmo enfrentando essa difícil situação, não é registrado nenhum momento em que Deus apareceu a ela e mostrou uma solução. Porém Noemi sabia quem era o seu Deus e nunca perdeu a fé. Por causa dessa fé, Noemi retornou para Judá e, seu testemunho de seu amor para com Deus fez com que sua nora, Rute, declarasse o Deus de Israel como o seu próprio Deus.

Observe que na história de Noemi tudo deu errado, mas ela tinha paz, pois sabia quem era o seu Deus. Você sabe quem é o seu Deus? Ser filho de Deus não significa que viveremos num mar de rosas – mas que, por sermos Seus filhos, podemos ter paz em meio à tempestade. Paulo escreve em 1 Coríntios 10:13a: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças”. Podemos ter paz, pois Deus é fiel em nos guardar para que não sejamos tentados além do que possamos suportar.

Em 2 Coríntios 4:7-9 Paulo escreve: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos”. Sempre teremos problemas e passaremos por tribulações, porém não seremos destruídos, por mais que as situações nos abalem. Devemos saber aproveitar a paz de Deus que excede todo entendimento e nos faz dormir tranquilos mesmo em meio à tempestade. Assim como o Senhor Jesus sabia que estava guardado pela poderosa mão de Deus em meio à tempestade (Mt 8:23-27; Mc 4:35-41; Lc 8:22-25).

No Salmo 23, Davi escreve o sentimento que ele teve para com o Senhor: “O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome” (vs. 1-3). Até aí vemos o quanto Deus é maravilhoso em nos guardar e nos dar paz, mas esse trecho só pode ser entendido por completo com a continuação dele: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam” (vs. 4). A sombra de algo é a semelhança deste, então “andar pelo vale da sombra da morte” é passar por uma situação semelhante à morte – como vimos em 2 Coríntios, por mais que estejamos atribulados, perplexos, perseguidos e abatidos, não precisamos ficar angustiados, desanimados, desamparados ou destruídos. Isso só é possível se estivermos na presença de Deus, desfrutando de tudo o que Ele é, pois Ele é quem opera tudo em todos (1 Co 12:6) e somente Ele pode vencer as batalhas por nós!

Deixe seu comentário