Ó Cruz! Levantas minha fronte;

Alentas tu meu coração;

O Sangue por Jesus vertido

Garante minha salvação

E dá-me paz com Deus.

Se você anda triste e com o olhar caído, olhe para cima, levante seu rosto aos céus, contemple a grandiosidade daquele que é Santo e verá a obra de Cristo por você. Ao erguermos nossos olhos a Cristo, vemos essa cruz que é a prova do imensurável amor de Cristo, que nos libertou do império das trevas e que nos transportou para o reino do Filho do seu Amor (Cl 1:3). Ao estar diante dessa Cruz, somos encorajados, pois esse amor toma cada parte do nosso ser e não há como desanimar sendo estimulado por esse sentimento.Uma música que remete bem a esse sentimento é famosa “Quebrantado” da Vineyard:

Eu olho para a cruz

E para a cruz eu vou

Do seu sofrer participar

Da sua obra vou cantar

Quando olhamos para a cruz é algo natural que tenhamos o sentimento de não seguir o nosso Senhor como meros coadjuvantes, em vez disso, nós somos participantes dessa cruz e dos sofrimentos dela. De modo nenhum isso deve ser motivo de tristeza. Essa é uma dor que deve gerar alegria, pois fazemos parte de algo maior: a experiência de morte e ressurreição. Como o apóstolo Pedro escreve em sua primeira carta: “alegrai-vos na medida em que sois coparticipantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revelação de sua glória, vos alegreis exultando” (1 Pe 4:13).

Toda vez que contemplamos essa cruz, nosso coração se enche de alegria pois não vivemos num eterno funeral lamentando a morte do nosso Senhor – nós vivemos em alegria por essa morte, pois essa morte nos deu a chance de prosseguir e nos dá essa motivação diariamente. Nós podemos expressar o próprio Cristo e podemos nos tornar cada dia mais a sua imagem e semelhança. Não existe motivo maior que esse para estar cheio de alegria.

Na Cruz foi derramado o Sangue de Cristo. Cristo é o nosso cordeiro imaculado, sem defeito. Deus aceitou a morte de Cristo por nós e hoje temos livre acesso ao Santo dos Santos para nos achegar a Ele. Assim como o sumo sacerdote levava o sangue do animal imolado para o Santo dos Santos, nós levamos o Sangue de Cristo, o Sangue que é eterno. Esse Sangue é o nosso passe livre para nos achegar a Deus (Hb 10:19).

Graças a esse Sangue, temos a salvação! Não somente a salvação da perdição eterna, mas temos a salvação diária. Diariamente nós falhamos e nos afastamos de Cristo, mas nós podemos voltar nossas costas para o mundo e declarar: “EU TENHO O SANGUE!” Uma vez que temos esse Sangue como salvação, podemos estar constantemente na presença do Senhor – essa é nossa salvação diária. Nós não precisamos viver longe da presença de Deus! Nós podemos viver desfrutando dessa presença maravilhosa!

Essa salvação é o que nos trás paz (Is 53:5). Não uma mera paz que qualquer um sente, mas a verdadeira paz – a paz que somente o nosso Senhor pode nos proporcionar. Essa paz não quer dizer que está tudo bem em nossa vida, mas mesmo que nossa vida esteja em ruínas, nosso Senhor nos dá essa paz, pois sabemos que tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus (Rm 8:28). Essa paz só pode ser desfrutada na presença do nosso Senhor.

Convido você a repetir essa oração de todo o seu coração, se entregando a Deus:

Senhor, me leva a ver essa cruz. Mostra-me o tamanho amor que foi derramado por mim nessa Cruz. Eu sei que ainda não vejo claramente. Mas eu quero ver! Eu quero contemplar o teu amor! É em gratidão que faço essa oração. Gratidão, pois só Tu me trazes essa alegria. Essa alegria que me motiva diariamente, pois eu tenho a chance de prosseguir. Teu precioso Sangue já garantiu minha salvação eterna e me salva diariamente na Tua presença. E por isso, juntamente com Deus eu posso desfrutar a verdadeira paz. Por isso, me mostra essa paz! Revela essa paz ao meu coração! Me perdoe por minhas ansiedades. E remove todas elas! Me mostra a paz de que o meu Senhor está a me guardar! Louvado seja o Teu nome pela tua infinita misericórdia!

Te convido a ler novamente a estrofe que foi mostrada no começo do texto, mas desfrutando do real sentido das palavras contidas nessa estrofe:

Ó Cruz! Levantas minha fronte;

Alentas tu meu coração;

O Sangue por Jesus vertido

Garante minha salvação

E dá-me paz com Deus.

Obs: a estrofe mencionada neste texto pertence ao hino n. 199 do Hinário publicado pela Editora Árvore da Vida.

Deixe seu comentário