Estava em um período atípico da minha vida. Confesso que nem mesmo em minha adolescência havia experimentado algo parecido: eu não queria um amor. O envolvimento com minha vida acadêmica e profissional necessitavam de extrema atenção.

Precisava focar em definir meus sonhos, onde queria chegar e quais ações tomar para isso. Muito esforço seria necessário e não havia espaço em meu coração e em minha vida para ninguém. Alguns me apoiavam e entendiam a minha condição, outros criticavam ou debochavam. Contudo, eu estava firme em minha escolha e não abriria mão dela facilmente. Até que um dia, algo ocorreu.

Em uma manhã, estava indo para a aula e me sentia meio sonolenta. Meu desejo era poupar minha energia naqueles minutos gastos no trajeto de casa para a faculdade, para conseguir enfrentar todos os desafios que aquele dia iria me trazer.

Enquanto o veículo andava por uma estrada de asfalto cinzento e cercado de uma vegetação meio seca, vi algumas flores amarelas em meio a um arbusto. Assim que as vi, ouvi uma voz me dizendo:

– Sei que você gosta de flores, e essas são especialmente para você, minha linda! Te amo!

Imediatamente despertei, mas as flores já haviam ficado para trás. Então, a doce voz prosseguiu a sussurrar em meus ouvidos:

– Eu sempre te observei e agora decidi Me declarar. Quero viver a mais bela história de amor de todos os tempos, exclusivamente com você, querida! Prometo corresponder a todas as suas expectativas, não irei te frustrar. Todos os dias Eu te falarei palavras amáveis, te darei doces beijos e aconchegantes abraços. Estarei ao seu lado, te ajudando a vencer todos os desafios. Quando você ficar triste e chorar, secarei todas as suas lágrimas. Se ao longo da jornada você se cansar, te prometo, minha amada, meu colo confortável. Também quero fazer ainda mais especiais todos os momentos de alegria. Você aceita a minha proposta? Eu Sou o Criador de todas as coisas, sei que já nos encontramos várias vezes, mas você ainda precisa me conhecer melhor, descobrir quais as minhas verdadeiras intenções, afinal, o amor surge na convivência. Mas te rogo: Dê-me apenas uma chance! Deixa eu te conquistar?

Naquele momento eu me senti tocada pelo Amor (1Jo 4:8b). Não pude resistir. Respondi imediatamente: – Sim! E minha vida nunca mais foi a mesma. Havia acabado de entrar no relacionamento mais sério e apaixonante da minha história!

Alguns dias depois, em um pôr do sol de um dia quente, decidi fazer uma caminhada. Enquanto andava a passos largos, uma suave brisa veio ao meu encontro. Logo reconheci: era a doce brisa do meu Amado, vindo me refrigerar. Aquele suave sopro de amor logo se tornou mais forte.

Era o Dono do meu coração me abraçando, de forma terna, calorosa e aconchegante. Exatamente da maneira como Ele havia dito que faria. Não me controlei, abri um sorriso radiante e declarei: – Eu te amo, Amado meu! Como é bom ser a Sua amada!

Muitas vezes, achamos que o amor de Deus por nós se restringiu àquela cruz. Ele morreu, nos salvou da perdição eterna (Jo 3:16) e, agora, escolhemos um viver independente Dele. Outros podem estar na condição de tocar no Amor apenas quando estão reunidos com os demais filhos de Deus, em um culto de adoração.

Há ainda aqueles que se aproximam apenas quando estão com problemas, buscando uma solução. Mas não é isso que Ele planejou para nós. Nosso Amado, a cada instante, deseja falar ao nosso coração, ter a nossa presença, ter prazer em nós, nos tocar e nos deixar tocá-Lo (Ct 2:10).

Jovem, toda a criação animal, vegetal, todas as cores, formas e texturas e até mesmo o seu ser tripartido, seu corpo, alma e espírito (1Ts 5:23), são uma forma do Criador chamar a sua atenção  e te dizer:

Estou aqui, olhando exclusivamente para você! Tenho planos de paz para sua vida, para te dar um futuro e uma esperança. (Jr 29:11)

Mas qual tem sido a sua postura? Você tem deixado o Amor falar com você? (Os 2:14)

Quando estudamos o universo, vemos a grandiosidade de todas as coisas criadas por Deus (Rm 1:20). Os professores abordam diversos temas espetaculares: o comportamento químico da água que permite a existência da vida, o funcionamento de cada célula do corpo; o equilíbrio do universo pelas leis da física. Mas, diante de todo esse conhecimento extraordinário, qual é o seu sentimento? Puxa, que matéria mais chata! Ou você consegue ouvir ali mesmo na sua classe, a voz forte e amável do nosso Pai dizendo:

– Eu sustento todas as coisas pela Palavra do Meu poder (Hb 1:3). Tudo foi feito especialmente para você me notar, meu filho! Estou olhando para você, olhe para Mim também!

Que você, caro leitor, tenha a experiência de ouvir essa voz singular em cada situação e por meio de cada coisa criada (Sl 86:8).

Que o arco-íris no final de uma chuva te dê a plena convicção de que a aliança que Ele fez com você é imutável (Mt 24:35).

Que as folhas caídas pelo chão durante o outono, fortaleçam a sua fé e te digam:

“Nenhuma folha cai sem a minha permissão. Eu estou cuidando de cada uma das suas necessidades” (Mt 10:29-31;).

Que a sombra fresca em um dia de verão te leve a almejá-Lo como seu refrigério.

“Venha meu filho, debaixo das minhas asas é fresco e seguro” (Mt 23:37).

Que o inverno rigoroso te faça crer que logo chegará a primavera, e toda semente que você tem sofrido para plantar, dará o seu fruto (Gl 6:7).

Que cada notícia de guerra, fome, catástrofe natural, apostasia (Mt 24:6-14) ecoem em seu coração:

“Eu não criei a terra para ser um caos (Is 45:18), Eu venho sem demora (Ap 3:11). Fale do meu amor incondicional para todos e persevere até o fim. Não temas, estou assentado no trono (Ap 5:13), olhando para você. Tudo coopera para seu crescimento e bem (Rm 8:28)”.

Independente da sua condição, não permita que a ansiedade e carência desviem a sua atenção para outros amores. Somente nosso amado Salvador pode te preencher e te fazer se sentir verdadeiramente amado. Não seja indiferente, se entregue sem reservas e deixe Ele te amar.

Que em todos os momentos você consiga ouvir Ele te dizer: EU AMO VOCÊ!

Se toda história de amor possui uma letra e melodia, sinta-se tocado por essa música:

Deixe seu comentário