A esposa tem um papel importante como companheira e auxiliadora. E quando o marido serve ao Senhor, a responsabilidade aumenta. Abrange não só o lado espiritual, mas também o humano. Nesta segunda parte da entrevista, a irmã Rebeca Ma trouxe algumas situações e exemplos bastante úteis no que diz respeito ao cuidado mútuo e outros contextos da vida a dois.

início da parte 2

EVE: Às vezes, com o serviço da igreja, com a obra, o esposo chega em casa sobrecarregado. Como ajudá-lo nisso?

RebecaVocê tem de saber, naquele momento, o que ele quer. Se quer ficar sozinho, quietinho, se quer um pouco de espaço. Quanto a isso, meu sogro e minha sogra ensinaram -me muito. O esposo já está sobrecarregado, chega em casa e precisa de refúgio, quer um pouco de espaço, neste momento não vá lá cutucar: “Que aconteceu? Que é?”.

EVE: É importante saber o momento de falar e o que falar?

Rebeca: Sim.  Chegando em casa, às vezes, não todas, ele só quer ter o ambiente dele. Então, se você pressionar virará uma Guerra Fria: “Você não quer falar, então, também não vou falar com você”. Tem  que ser diferente. Você talvez possa perguntar: “O que você precisa? Quer comer alguma coisa? Beber algo? Falar alguma coisa?” e ele pode responder: “Não, só quero ficar quietinho.”. Então, Amém.

EVE: Então há situações em que é melhor não falar nada?

Rebeca: Sim! Tudo depende do momento. Se no momento ele disser que quer ficar sozinho, então, deixe-o sozinho, depois você volta. Não precisa falar nada, simplesmente faça companhia. Ele não fala nada, tudo passa em silêncio. Quando chegar o momento da oração à noite, talvez faça uma oração curta e você ache estranho: “Ora, hoje não deveria ter uma longa oração para entregar todas as ansiedades ao Senhor?”. Mas não, uma palavra curta, entregando ao Senhor, é suficiente, pois vocês se achegaram ao Senhor. O papel da mulher é muito dinâmico. Temos que pedir a sabedoria de Deus.

EVE: Mas como falar quando necessário?

Rebeca: Se ele quer falar, largue tudo que está fazendo e, simplesmente, ouça. Às vezes ele nem quer que você dê palpite, ele só quer que você escute, mas você já vem com uma opinião.  Aí ele não quer falar mais nada porque você toma as coisas como “eu tenho que carregar”. Nada disso! Entregue para o Senhor, ore. Ninguém consegue carregar o jugo do outro quando o Senhor mediu para o outro (1Co 10:13) ( Gl 6:5).  Isso é aprendizado.

EVE: Entregar tudo nas mãos do Senhor costuma ser difícil para maioria. Como aprender a confiar Nele nesse tipo de situação?

Rebeca: Aprendemos com pequenas situações. Primeiro, entregamos coisas menores, depois  conseguimos  entregar coisas cada vez maiores ao Senhor. Chega um ponto que você acha que se não tomar aquilo para resolver, a casa vai cair, mas não cai de jeito nenhum! Até aprender isso, você toma para si e a casa cai. Então, você diz: “ Senhor Jesus, me desculpe, fiz algo que o Senhor não pediu”. Isso trará amadurecimento. Todo casamento tem um aprendizado. É momento de aprendizagem. Quem entrega, aprende.

EVE: Um irmão enviou a seguinte pergunta:  “Estou servindo na igreja e às vezes ocorrem problemas. O que  posso contar para minha esposa e o que não posso contar?”

RebecaAs coisas mais complicadas, melhor não contarPorque a situação é da igreja, é dos irmãos. Não sei se nessa irmã a vida de Deus já cresceu o suficiente. É necessário saber se o cônjuge tem esse crescimento. Ao meu ver, a maioria não tem. A maioria ainda é um membro mais frágil, como a Bíblia diz (1Pe 3:7).

EVE: Não pode falar para todo mundo?

Rebeca: Coisa tratada na reunião de presbíteros e diáconos é para ficar lá. Se o irmão que serve precisa de ajuda para resolver um problema da igreja,  deve procurar um irmão que esteja à sua frente para ajudá-lo. Então, vai crescendo em vida porque vai usando o óleo do Senhor, o encargo de Deus, para lidar com esse serviço.

EVE: Então, quando o marido não conta, ele está guardando a esposa?

Rebeca: Está guardando a esposa e a família. Ele pode falar para a esposa os encargos espirituais que serão levados a toda a igreja. Pode também compartilhar encargos de oração. Não pode transmitir assuntos sensíveis que os irmãos decidiram manter só entre os irmãos que servem.

EVE: Por quê?

Rebeca: Porque é necessário que a vida tenha crescido suficientemente para suportar mais. Há muitas coisas que um pai não conta ao filho. Ao invés disso, ele dá alimento para que cresça. Veja, minha mãe, antes do Senhor levá-la, com quase 90 anos, havia muita coisa que não contávamos para ela. Não por não amá-la,  pelo contrário! Por amar muito protegemos e guardamos a família.

fim da parte 2

Hoje, tivemos a oportunidade de ver que, muitas vezes, temos o mau hábito de tentar salvar o mundo e o problema de todos. Contudo, de fato, o Senhor deu a cada uma de nós a medida que podemos suportar e, se formos obedientes, Ele continuamente nos dará mais da Sua sabedoria. Como somos insensatas ao tentar carregar um fardo que o Senhor não nos entregou! Ó Senhor Jesus!

Na próxima entrevista, a irmã Rebeca falará sobre a importância da oração,  comunhão e diálogo com o seu cônjuge. Não perca!

Deixe seu comentário