­

Querido jovem, você está gostando dessa série?! O último post falamos sobre a importância de amizades na Igreja. Nesse texto compartilharemos um pouco sobre o relacionamento com a nossa família – especificamente com a família que se reúne.

Mas, se sua família ainda não reúne, não fique triste. Continue lendo porque você poderá aproveitar essas palavras para aplicar o que for possível na sua realidade atual e já orar pelo que o Senhor pode e deseja fazer no seu lar: conquistar todos os que estão na sua casa (Js. 24:15). Vamos desfrutar juntos?

Os filhos foram criados como uma expansão da família.

Quando Deus criou Adão, viu que este tinha uma necessidade especial – precisava de um ser semelhante a ele para completá-lo. Quando Deus criou o homem e a mulher Ele “viu que tudo o que havia criado era muito bom. Então Ele descansou. Os filhos não estavam presentes com Adão e Eva quando Deus descansou de Sua obra criadora.” Nós, filhos, portanto, somos a expansão da família, pois o núcleo dela são os nossos pais. O Senhor escolheu você de forma muito especial para fazer parte de sua família e o motivo foi soberano: Ele já sabia que era exatamente essa a família que você precisaria!

Vamos falar abaixo sobre pontos importantíssimos, que podemos e precisamos sempre nos lembrar na convivência com a nossa família. São 3 atitudes essenciais para você se tornar um filho vencedor…

#1 – Ser obediente.

Colossenses 3:20 diz: “Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor.” – Esse versículo não deixa espaço para nos desculparmos, porque diz aos filhos que obedeçam a seus pais em tudo. Muitas vezes preferimos obedecer nossos pais só nos assuntos que nós julgamos corretos. Mas aqui nos é dito “em tudo“. Eles podem nos dizer um “não, você não vai a tal lugar”, ou um “você precisa fazer isso”, mas desde que eles tenham nos dito, nossa atitude deve ser de obediência.

Outra parte importante nesse versículo é “pois fazê-lo é grato diante do Senhor.” A questão da obediência está ligada a gratidão ao Senhor. Temos um tesouro nesse versículo! Se você quer ser grato ao Senhor, é extremamente necessário que obedeça a seus pais.

É importante lembrarmos também, que a natureza que há no homem não é uma natureza que gosta de obedecer. A obediência vem de Deus! Por isso, Paulo diz: “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo.” Mesmo que você não queira obedecer, quanto mais você buscar diante do Senhor obedecer aos seus pais e praticar, mais a obediência será aperfeiçoada em você.

Que busquemos Deus, pois Dele procede toda a obediência, para que possamos praticá-la como o Senhor deseja! Desse modo, não veremos a obediência somente como um item a ser cumprido, mas, veremos a necessidade, diante do Senhor, de obedecer nossos pais.

Vamos mostrar outros versículos sobre obediência:

“[…] embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu” (Hb. 5:8). Jesus, O Filho de Deus, aprendeu a obediência e aqui diz que foi pelas coisas que sofreu. Não é tão simples obedecermos, porque exige deixarmos nossas vontades e essa atitude nos faz sofrer. Mas através dos sofrimentos, nosso Senhor Jesus apendeu a obediência!

Lucas 2:51 nos fala “E desceu com eles para Nazaré; e era-lhes submisso.[…]”, Jesus, poderia escolher obedecer ou não a seus pais, mas Ele não fazia Sua própria vontade, porque Ele era guiado sempre pela vontade do Pai. Da mesma forma, nós devemos sempre ser guiados pela vontade Senhor. Quando lemos Sua Palavra, encontramos Sua vontade e a Palavra nos diz para obedecermos nossos pais. Se obedecermos, o resultado será maravilhoso, pois como Cristo, aprenderemos também a obediência! Lembre-se: a vontade do Senhor é que obedeçamos aos nossos pais.

Em Romanos 13:1 lemos: “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas.“. Sempre precisamos identificar a autoridade do lugar onde estamos e sermos submissos a ela para sermos abençoados. Todas as autoridades foram estabelecidas por Deus. No contexto da família, a autoridade são os pais. Nossos pais são autoridades estabelecidas por Deus, se os obedecermos, seremos abençoados!

Eles também são ministros de Deus para seu bem (Rm.13:4a). Que doçura, jovem! Nossos pais não são generais, que querem nos torturar, nos maltratar. Nossos pais querem o nosso bem! Você acredita que seus pais oram por você? Antes de eles dormirem a noite, não é um plano infalível que eles tramam contra você, pelo contrário, eles oram por você! Eles se preocupam com você.

#2 – Tratar com respeito e honra, tendo gratidão.

No capítulo 13 de Romanos, o versículo sete diz: “Pagai a todos o que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra, honra.”. Nossos pais precisam que nós entreguemos o que lhes é devido. Nossos pais precisam de respeito e honra.

Vimos mais acima que obedecer aos pais é ser grato diante do Senhor. Gratidão deve ser algo que seja constante na nossa vida como cristãos e que devemos cultivar. Quanto mais gratidão existir em nosso coração, mais respeitaremos e honraremos nossos pais. Não é porque eles são muito próximos a nós que eles são “exceção” à necessidade de sermos gratos. Na verdade, antes de expressarmos a gratidão aos de fora, é necessário que pratiquemos isso na nossa casa. E praticar a gratidão em casa é algo totalmente possível!

Podemos conferir com exemplos práticos. Quando seus pais compram as suas roupas, um celular novo ou seus materiais escolares, o que você pensa sobre isso? Você pensa algo como: “isso é a obrigação deles”? Ou você pensa algo como: “Poxa!! Meus pais talvez não tivessem como comprar isso pra mim agora, mas eles me deram.”. Qual a sua atitude nesse momento?

É importante pensarmos nessas perguntas para sabermos se estamos tratando nossos pais de uma maneira que o Senhor se agrada ou não. Por mais que pareça “pequeno” algo que nossos pais façam por nós, ainda assim, podemos ser práticos e dizer um simples e sincero “obrigado”. Isso já traz grande alegria para eles! Nossos pais precisam da nossa gratidão. Jovem, seja grato, agradeça seus pais pelas coisas mais simples. Agradeça por suas roupas, seu celular, seus materiais escolares. Agradeça por tudo o que eles te derem. Cultive a gratidão como um estilo de vida.

Se tivermos essa atitude hoje, a gratidão aumentará em nosso coração alegrando o nosso Senhor e nossos pais! E ainda quando formos mais velhos e nossos pais precisarem de nós, continuaremos a ter gratidão a eles. No futuro, não os desprezaremos, mas lembraremos de que eles são prova do amor de Deus por cada um de nós. Afinal, eles prepararam nosso coração para recebermos nosso Amado Senhor! (Pv.22:6)

Nossa gratidão a eles também os encoraja na vida com o Senhor; lembre-se! Nossas atitudes podem trazer vida ou desânimo espiritual a eles.

#3 – Santificar-se em favor dos pais.

João 17:19: “E a favor deles eu me santifico a mim mesmo, para que eles também sejam santificados na verdade.” – Nosso Senhor Jesus, que já era santo, se santificou a favor dos discípulos para que eles fossem santificados. Os nossos pais se santificam por nós, mas nós também precisamos nos santificar pelos nossos pais!

O que?! Eu preciso me santificar em favor dos meus pais? Sim! Cada um de nós precisa se santificar. À medida que nosso viver com Cristo se intensifica e somos santificados, nossa vida familiar se torna mais agradável. Torna-se possível amar sem cobrar. Isso faz nossos pais desfrutarem mais do Senhor.

Além disso, precisamos nos santificar, pois nossos pais também são humanos, têm suas falhas e possuem vidas que estão dentro de uma batalha espiritual. Você pode imaginar o quanto Satanás já quis destruir sua família? O inimigo várias vezes quer destruir você, seus irmãos mais novos, os seus irmãos mais velhos, o casamento dos seus pais.

1 Pedro 5:8 diz: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar;“. Se você deixar de se santificar e de se preocupar com sua família, você pode deixar uma brecha para o inimigo. Olhe para a sua casa. Você percebe brechas na vida familiar? Será que o Senhor tem reinado ou muitas coisas do inimigo conseguiram entrar pelas brechas e estão trazendo sofrimento na convivência familiar? Como está nosso desfrute com o Senhor?

Todos esses são itens que precisamos estar atentos. Se não tínhamos a oração pela família como um aspecto importante, agora precisamos ter. Talvez, você seja o que se encontra mais forte espiritualmente na sua casa. Se for essa a situação, não se aproveite para se orgulhar e cobrar seus pais. Em vez disso, supra seus familiares de vida, porque o que faz a diferença, não é cobrá-los, mas suprí-los com vida!

Se você tem percebido que as coisas na sua casa “andam atacadas” pelo inimigo e que existem brechas, ore ao Senhor, desesperadamente, para que Ele mude toda a situação. Ele pode libertar dos ataques e ainda reparar a brecha. Ainda é tempo! Nosso Senhor nos ama! Ele não te deixará sozinho.

(Se o item das brechas já estiver sendo bem cuidado na sua casa, então é importante perseverar na oração!).

Graças ao Senhor por podermos confiar Nele para nos tornarmos vencedores! Ele preparou tutores e curadores bem próximos a nós que nos amam e nos levam a crescer em vida (Gálatas 4:2)!

Vimos nessa primeira parte do post sobre família que se reúne, que precisamos ser obedientes aos nossos pais, sermos gratos a eles e nos santificarmos a favor deles. Queria encorajá-los, porque sabemos que nem sempre conseguimos viver desse modo. Em algumas situações, vamos errar, é verdade… Mas o importante é recebermos a luz do Senhor, nos arrependermos diante Dele, pedirmos perdão aos nossos pais e prosseguirmos! Um filho vencedor aprende também com os seus erros.

Se você gostou do texto, lembre-se de compartilhar em suas redes sociais.

Além disso, deixe seu comentário abaixo.

Acesse outros textos da série:

Jesus é o Senhor! Até o próximo post. 🙂

No próximo post teremos mais comunhão sobre nossa vida familiar em aspectos práticos! Esperamos por você, amado jovem! Jesus é o nosso Senhor!