Oi, pessoas! Nossa série de testemunho está caminhando pro fim e eu já estou com saudade de escrever para vocês. Mas está sendo maravilhoso expor essas palavras para alcançar todos que já passaram, estão passando, ou ainda vão passar por experiências parecidas. Que todos possam ser ajudados na luz do Senhor Jesus.

Prossigamos. Parei na parte que marcamos do Felipe ir à minha casa, certo? Então, eu simplesmente não dormi na noite em que ele estava viajando. Meu coração estava a mil por hora e eu não conseguia parar de pensar em tudo o que poderia acontecer daí pra frente. Acho que toda ansiedade que não tive durante a juventude eu senti nessa fatídica noite, mas eu me lembrei de um versículo que minha mãe sempre cita pra mim: “Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.” (Mateus 6:34) Após me lembrar disso, me voltei ao Senhor e orei, falei para Ele tudo o que eu estava pensando, contei a Ele todos os meus medos, dúvidas, vontades, e Ele me tranquilizou. Amados, se há algo no viver de um cristão que precisa estar presente em todos os momentos, é a oração. Tudo em nossas vidas precisa começar, se desenvolver e ser finalizado em oração, pois dessa maneira teremos o selar do Espírito em nossos atos ou então o Seu desaprovar antes de agirmos erroneamente. A própria palavra de Deus diz:

“E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho.” Jo 14:13

Meu pai acordou e fomos até a rodoviária buscar o Felipe. Eles se abraçaram e eu também o abracei. Fomos para minha casa e lá ficamos conversando até que todos chegassem para o almoço. Até então ninguém havia tocado no assunto relacionamento entre Sara e Felipe. Até meu pai resolver reunir os homens na sala para a tal conversa. Sentaram lá o Felipe, meu pai, meus irmãos Marcus e Messias. As mulheres e crianças foram para a cozinha e, claro, começaram a especular o que estaria acontecendo lá na sala. De repente, o Messias vem até a varanda falando no celular. Ele estava simplesmente perguntando informações sobre o Felipe ao irmão responsável pela nossa região do Espírito Santo. Pois é jovens, tenham um bom testemunho, busquem ter boas atitudes, lembrem-se que, se decidimos viver por Cristo, temos que agir como tal e, portanto, buscar aquele padrão que Ele deixou para nós na Palavra. Há muitos versículos na Bíblia que falam para nós exatamente como devemos agir. Os seguintes são alguns destes:

“Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” 1 Tm 4:12

Messias voltou lá para a sala, sem nem dar uma palavra a nós, mulheres curiosas. E nós, que o conhecemos bem, não nos atreveríamos a perguntar algo (ele é bravo). Depois de um breve tempo, fui chamada até a sala e lá se desenvolveu a conversa. Felipe falou suas intenções e eu também. Enfim, era real, estávamos comprometidos um com o outro diante de meu pai, meus irmãos e suas respectivas mulheres. Só faltava agora o último passo, na reunião da Igreja naquela noite os irmãos anunciariam para a Igreja nosso relacionamento, e isso aconteceu. Neste dia, apesar de todo nervosismo e ansiedade, eu também me senti muito feliz e muito certa de que era o Senhor que estava fazendo tudo. Tudo estava dando certo, todos eram a favor e o Senhor confirmou em todos os aspectos nossa comunhão em prol de um relacionamento eterno. Depois da reunião, saímos e começava neste dia o cultivo do nosso amor.

Dali em diante começamos a colecionar “primeiras vezes”, primeiro passeio juntos, primeira vez a pegar na mão, primeira vez a assistir um filme juntos, e, quando menos esperava, acabou o fim de semana e ele tinha que ir embora. Nessa hora, começamos a encarar uma grande dificuldade: a distância. Nos víamos apenas uma vez por mês e a saudade maltratava, mas o celular ajudava. Na minha casa só tinha sinal de celular na varanda na parte sem cobertura, ou seja, enfrentei chuva e frio para falar com meu amado, mas eu não me importava, queria mesmo é conversar com ele o máximo possível, até porque precisava conhecê-lo bastante, afinal, pretendíamos passar o resto de nossas vidas juntos. Nesse período da relação, nós procuramos ter bastante comunhão, oramos juntos, lemos alguns livros juntos, compartilhávamos um com o outro sobre o que havíamos ganhado de vida espiritual naquele dia, e creio que isso só veio reforçar, firmar nossa vida juntos. Todos que desejam se relacionar pra futuramente se casar precisam ter em mente que o relacionamento acima de tudo precisa ser para Cristo e para a Igreja, se os dois concordarem e conservarem esse princípio tudo tende a dar certo. Foi Deus que criou o casal, para que se completem, mas não apenas para que satisfaçam suas vontades sentimentais e físicas, mas, principalmente, para juntos fazerem a obra do Senhor nesta terra. No nosso manual de instruções, a Bíblia, vemos muitos versículos onde Deus mostra Seu amor pela união entre o homem e a mulher, como por exemplo:

”Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.” Gn 2:18

Depois de alguns meses, surgiu para mim a oportunidade de fazer um concurso na cidade dele, para a Prefeitura Municipal. Confesso que não estava muito animada, não acreditei muito que ia passar e quase não estudei. Eram duas vagas apenas para a área que escolhi e muita gente faria a prova. Mas, para a honra e glória do Senhor, eu passei. Fiquei surpresa e amedrontada, pois mais uma vez minha vida ia mudar. Nesse momento, eu já não tinha mais planos, estava nas mãos do Senhor e Ele agiu. Me atrevo até a dizer que Ele me carregou no colo, pois me deu tudo que eu precisava: casa, móveis, trabalho, irmãos da igreja muito amorosos e a família do Felipe, que me recebeu de braços abertos. O que mais eu poderia pedir, não é mesmo?

Nesse mesmo mês em que me mudei para Itaguara – MG, o Felipe aprontou pra mim na Estância Arvore da Vida (Sumaré – SP) e me pediu em casamento. Eu sempre achei que ele não fosse capaz de esconder nada de mim, pois ele é bem ansioso, mas ele me surpreendeu e fez a maior “tramóia” que alguém já fez pra mim. Ele conseguiu mobilizar todos os nossos amigos e eu não desconfiei de nada. Não consigo explicar o que senti naquele momento, foi um misto de alegria, medo, vergonha, enfim, emoções variadas e extremas. Não fui capaz de transparecer nenhuma delas em meu semblante, virei uma pedra. Depois do acontecido, pensei em tudo antes da surpresa, e dava até para eu desconfiar de algo, mas creio que aconteceu tudo com a ajuda do Senhor. Foi simplesmente lindo e a cada vez eu tinha mais certeza de que ele era o homem certo pra mim. E, olhando para ele, ainda hoje vejo o quanto o Senhor me abençoou ao dá-lo a mim. Jovem, quando nós buscamos ter um relacionamento de acordo com a vontade de Deus é gratificante ver a bênção do Senhor sobre nós. Não fiquem ansiosos além do normal, não pulem etapas, esperem o tempo certo e a pessoa certa. Quando chegar a hora vocês vão saber claramente que é o Senhor dando Seu “OK”. O Senhor nos diz em Sua palavra: “Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões; nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniquidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça” (Rm 6:11-14).

Valeu a pena cada dificuldade, cada lágrima de saudade. E posso dizer que sofri bastante com a saudade. Primeiro, porque ele morava longe e, depois, porque era minha família que morava longe. Mas em tudo o Senhor mandou Seu consolo e provou, mais uma vez, Seu amor por mim. Quando o amor do Senhor nos constrange, a consequência não pode ser outra senão vivermos todos os dias de nossas vidas por Ele e para Ele.

É isso meus amigos, até a próxima.