E ai pessoal! Como vão vocês? Espero que muito bem. Então, conforme prometi, hoje é dia de contar para vocês sobre a minha primeira ida a Cachoeiro. Lembro-me muito bem como foi. Era algo como “um passo para uma nova vida”.

Eu e Sara já havíamos combinado tudo: eu iria pegar um ônibus em BH (Belo Horizonte) à noite, viajar durante a madrugada inteirinha e, de manhã, eu iria rever minha amada (que iria se tornar minha namorada naquele dia).  Foi exatamente assim que aconteceu… em 31 de agosto de 2013, eu desembarcava na rodoviária e ela estava me esperando juntamente com seu pai. É isso mesmo! O sogro já veio logo me encontrar e ver quem eu era. Inclusive, ele já tinha procurado saber a meu respeito, ele tinha dado aquela olhada no face! Ele veio ao meu encontro com um grande abraço e um sorriso no rosto dizendo: “seja bem vindo, meu filho!”

Jovem, sua rede social diz grande parte do que você é! Graças a Deus não havia nada comprometedor lá, até porque, graças ao Senhor, sempre busquei ter um viver adequado, não deixando brechas para um mau testemunho. Vocês acham que se ele tivesse visto algo que o desagradasse a recepção seria essa? Dependendo do caso, nem me receberia. Então, fique atento ao que você tem feito! Isso pode se tornar público e trazer grandes consequências. Sejamos pessoas de boa reputação, escolhidos para fazer o serviço a Deus, como diz a Bíblia: “Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço.” (At 6:3).

Qual sua identidade? É de um filho de Deus? Então haja com tal. Não só nas reuniões da igreja ou em casa perto dos pais, mas em todo lugar. Uma pessoa escolhida por Deus precisa ter características como essas: boa reputação entre as pessoas, buscar sempre o Senhor a fim de se encher do Espírito e de sabedoria. Se você pensa que pode “aprontar” um pouquinho aqui escondido que ninguém vai perceber nada, então pode ser aí a sua grande queda. Lembre-se: existe uma luz que revela todas as coisas, nada fica encoberto diante dela e, às vezes, essa luz pode usar seu amigo que tirou uma foto meio comprometedora. Aí, meu camarada, já era. Outro ponto: não devemos ter atitudes adequadas só porque alguém poderá ver, mas sim porque essa é a sua identidade, uma identidade de cristão. Então, devemos ter atitudes que agradem a Deus.

Prosseguindo, depois que fui recebido na rodoviária, fomos para a casa deles. Chegando lá, encontrei minha sogra que me recebeu com abraço e foi dizendo: “seja bem vindo!”. Tive uma ótima recepção. Tomamos café da manhã e conheci os avós. Minha ansiedade pelo almoço só crescia. Não era pela comida, mas sim pela conversa que teríamos depois, com toda a família.

Um a um foram chegando. E depois que todos já tínhamos almoçado veio o meu sogro, colocou a mão no meu ombro e disse: “Você queria conversar com a gente?”.

Havia chegado a hora. Então, nos reunimos na sala. Meu sogro disse tudo o que esperava de um futuro marido para sua filha, tanto espiritual como humanamente falando. Depois foi minha vez de falar tudo que eu queria para o meu relacionamento com a Sara.

Você, que já pretende ter comunhão com uma pessoa a fim de se relacionar, quais são suas intenções? Quer estar com ela por saber que casais, famílias são coisas que estão no coração de Deus ou só para falar que está namorando e que tem uma namorada?

“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.” (Gn 2:18). O homem precisava de mais alguém para que seu serviço ao Senhor fosse completo. Então, Deus preparou para Adão uma auxiliadora idônea: Eva. Era exatamente esse meu pensamento e o que eu queria para o meu relacionamento. Eu queria uma auxiliadora idônea.

Durante a conversa, um dos irmãos da Sara, na condição de irmão responsável da igreja em Cachoeiro, pegou o telefone e ligou para um outro irmão que já me conhecia para saber de minha história e meus antecedentes. Isso mostra mais uma vez a importância de termos um bom testemunho diante de Deus e dos homens.

Então, depois de ter passado por tudo isso, nós recebemos a aprovação tanto dos pais, quanto dos irmãos responsáveis de Cachoeiro e de Itaguara. Foi muito bom perceber como o Senhor estava conduzindo as coisas. Realmente víamos a mão Dele em tudo. Havia entre nós uma distância cruel que nos separava (mais ou menos uns 560 Km), mas até nisso sentíamos a mão do Senhor conduzindo nosso relacionamento, pois tudo estava acontecendo seguindo os princípios que foram ensinados para nós.

Se você jovem, está em um relacionamento e não sente a mão do Senhor te conduzindo é melhor parar e refletir um pouco. Ore ao Senhor e peça para que Ele te mostre onde está o erro, pois um relacionamento errado pode gerar um casamento errado. Um relacionamento sem paz pode gerar um casamento sem paz. Casamento é como se fosse uma arma de um tiro só: se atirar e acertar ótimo, mas se errar já era. Então, fique atento com os sinais que Deus te dá hoje para não ter uma grande decepção e se arrepender depois.

Mesmo com a distância que nos separava o sentimento de ambos aumentava. Fazíamos o possível para nos ver, no mínimo, uma vez por mês. Ora eu ia à Cachoeiro, ora ela vinha à Itaguara. Nós conversávamos todos os dias, sem falta. Tivemos uma comunhão muito saudável. Nós orávamos, líamos alguns livros juntos e compartilhávamos. Éramos e ainda somos companheiros espirituais um do outro.

Um ponto que quero ressaltar: se seu companheiro te afasta de Deus tenha certeza que não é isso que Deus quer pra você. Talvez possa ser até a pessoa certa, mas talvez vocês estejam no momento errado. A pessoa certa no momento certo te aproximará de Deus. A pessoa certa, mas no momento errado, faz as coisas darem errado e te afasta de Deus.

Depois de um tempo nessa luta com a distância, o Senhor abriu uma porta. Era uma oportunidade para a Sara trabalhar aqui em Itaguara. Graças ao Senhor, a prefeitura municipal abriu algumas vagas para concurso e logo falei com ela. Oramos e ela decidiu fazer. Eram apenas duas vagas para a área que a Sara havia escolhido, mas, quando determinada coisa está no coração de Deus não há quem barre. Resultado: a Sara fez a prova e foi aprovada. Arranjamos tudo para que ela pudesse morar aqui e mais uma vez o Senhor conduziu todas as coisas.

Diante desse acontecimento, eu pensei: “já que é assim, acho que está na hora do noivado.” E foi o que fiz. Como ela iria se mudar para Itaguara em julho, eu queria aproveitar a oportunidade, pedir ela em noivado na conferência de Jovens na Estância Árvore da Vida e fazer uma surpresa. Alguns de vocês podem se lembrar, mas, pra quem não viu, no final do post está o vídeo do que aprontei.

Consegui a aliança e liguei para meus sogros pedindo a autorização, mais uma vez, só que agora para o noivado. Graças a Deus obtive a autorização e fiz o pedido. Foi muito bom.

Cada dia que passava o Senhor confirmava mais nossa comunhão. Queria contar o resto, mas acho que vou deixar para a próxima oportunidade.

Até mais pessoal! Senhor continue abençoando vocês!