Muitas vezes, quando vemos a vida do Senhor Jesus e Seu período como homem aqui na terra, pensamos que Ele era uma pessoa sem debilidades ou vontades. Pensamos que nunca chegaremos a Seu grau de consagração, porque Ele, claro, como Filho de Deus, estava cheio de qualidades e aptidões que um ser humano normal jamais poderia alcançar. Mas me deixe te dizer algo: nós também somos filhos de Deus! Jesus Cristo veio à terra não apenas para morrer por nossos pecados, mas também para nos mostrar que é possível! Ele passou e sentiu todas as dores, igual a nós. Ele tinha debilidades, vontades e desejos, mas nunca Se deixou dominar por eles.

Ele era uma pessoa, não um robô!

Ainda não acredita? Leiamos os seguintes versículos:

“Então lhes disse: A minha alma está triste até a morte; ficai aqui e vigiai comigo. E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.” (Mt 26:38-39)

Ainda assim, para terminar de te convencer que realmente é possível, contarei a história de uma pessoa que, em sua juventude, estava cheia de pecados e paixões, que bebia muito, tinha companhias inadequadas, gostava de apostas, roubava, fraudava e enganava até seus melhores amigos.

Agora me pergunte: uma pessoa assim conseguiu entrar no reino dos céus? Sim. Quando essa pessoa deu lugar a Deus em sua vida, Ele começou a fazer Sua obra e resgatá-la desse lugar onde estava. Com o tempo, essa pessoa se tornou um exemplo de consagração e fé, para mostrar que é possível! Senhoras e senhores, com vocês: George Müller.

A História de George Müller

Para aqueles que não conhecem sua história, George Müller nasceu em 1.805, na Prússia, e sua infância e juventude careceram de ensinamento e influência cristã. Ele não teve Bíblia para ler. Seu pai dava a ele e a seu irmão muito dinheiro, considerando que eram apenas jovens; isso permitiu que seguissem em seus hábitos pecaminosos. No entanto, depois de um tempo, George se propôs a estudar com empenho e, por fim, aprendeu seis idiomas, incluindo hebraico, latim e grego.

Seu pai o estimulou a estudar Divindade na Universidade de Halle, já que isso serviria para dar uma vida cômoda para George e foi assim que começou a estudar em um seminário teológico. Embora fosse um estudante religioso, não tinha conhecimento algum do significado da salvação, como ainda continuava sua vida pecaminosa. Ainda que tivesse desejos em seu coração de se transformar, seus esforços para esse fim repetidamente falhavam.

Muitas vezes isso ocorre conosco, jovens. Cremos em Deus por causa de nossos pais. Vamos à igreja aos domingos por tradição e temos a Bíblia como um livro mais em nossa biblioteca. Dizemos ser pessoas de fé, mas só como título e, como George Müller, até seguimos com nossos maus hábitos, que não são de acordo com a fé que professamos. Às vezes até tentamos mudar, mas nossos esforços são inúteis. Terminamos fazendo o mesmo de sempre e até adquirimos hábitos piores. Se esta é a sua condição, continue lendo e veja qual foi o segredo que ajudou George durante toda a sua vida.

Quando tinha quase vinte anos, em um sábado à noite, George foi convidado à casa de uns cristãos para participar de um culto de oração. A reunião consistia de leituras bíblicas, oração e um sermão escrito. A mesma deixou uma grande impressão em George, que voltou para casa com grande gozo no coração. Deus havia começado uma obra de graça em seu coração, e este foi o começo de uma mudança em sua vida. A partir disso, Müller desfez as amizades pecaminosas, começou a ler a Bíblia e a orar:

“O resultado disso”, disse George, “foi a primeira tarde que me tranquei em meu quarto para entregar-me à oração e meditação sobre as Escrituras, em poucas horas, aprendi mais do que havia aprendido durante os vários meses anteriores. Mas a diferença particular era que recebi genuínas forças para minha alma…

Aqui está a chave do êxito! Ler a Bíblia e orar.

A Bíblia é a palavra de Deus e reflete todo desejo de Seu coração. Todo pensamento divino é encontrado na Bíblia. Ela veio de Deus por meio do Espírito e Deus usou alguns homens para fazer com que essa palavra fosse registrada e, hoje, estivesse a nossa disposição (2 Pe 1:21).

Acerca da oração, orar antes e também durante a leitura é muito bom. Transformar as palavras da Bíblia em nossa oração é agradável, precioso e, acima de tudo, muito saudável. Ler a Bíblia dessa maneira nos ajuda a extrair a vida e o Espírito que há na palavra.

Essa prática saudável que George aprendeu em sua intimidade com o Senhor serviu para entender os planos que Deus tinha reservado para ele em sua vida. Ao aprender que o fato de fazer dos versículos bíblicos sua oração, ao identificar-se com o sentimento dos autores naquele momento, dava “genuínas forças para sua alma”, ele se animava cada vez mais a continuar praticando isso.

Uma vez que encontremos algo tão precioso que nos ajude a conectar-nos mais com Deus, a conhecê-Lo mais, a entender Seus planos para nós e que nos faça sentir de tal maneira que só Cristo pode fazê-lo…. jamais O deixaremos ir! Só devemos aprender a valorizar Sua palavra e o tempo que possamos com Ele em oração.

Ao voltar de uma viagem, George sugeriu a seus colegas que se reunissem pelas manhãs, das seis às oito, para orar e ler as Escrituras, e para compartilhar o que o Senhor lhes estava mostrando. Ele relatou que várias vezes, nas tardes, depois de um tempo de leitura, encontrou “uma comunhão tão doce com Deus” que seguiu orando até a meia-noite e logo foi ao quarto de outro irmão, onde passaram como que duas horas em oração. Estando assim, demasiado cheio de gozo para dormir, ficava acordado até às seis da manhã, para orar com seus colegas.

George experimentou meditar, orar e ler a Bíblia. Sentiu que aquilo não podia ficar somente para ele, que algo tão precioso precisava ser compartilhado. Assim decidiu levar seus amigos mais próximos a terem comunhão com Deus. Que maravilhoso!

Muitas vezes chamamos nossos amigos para irem ao cinema, a festas, mas lembre-se do que o apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 6:12: “todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas não me deixarei dominar por nenhuma delas”. Isso quer dizer que passar o tempo com amigos não é algo mau, mas o que fazem quando estão juntos? Será que você está levando seus amigos para mais perto de Deus ou para mais distante?

Se você, realmente, ama seus amigos, uma demonstração de afeto não é pagar o convite de uma festa, mas sim levá-los a orar. George viu que orar e ler a Bíblia lhe fazia tão bem que o quis compartilhar por amor a Deus e por amor a seus amigos. Com o tempo, esses “amigos” se tornaram seus companheiros espirituais.

Não muito depois de deixar a escola, pediram-lhe que pastoreasse uma igreja em Teignmouth. Sendo um pastor jovem, percebeu que ele não sabia qual era o melhor texto para a congregação. Começou com o hábito de ir ao Senhor em oração, para decidir qual texto deveria usar. Às vezes ficava de joelhos longo tempo antes que Deus lhe desse um texto apropriado. Se nada vinha a sua cabeça, calmamente, seguia lendo as Escrituras até que um texto lhe era trazido à memória. Também houve vezes que teve de ir ao culto sem texto algum, mas o recebeu de Deus uns poucos minutos antes da pregação. O Senhor sempre lhe foi fiel quando ele O buscava em oração.

Lindo, né? “Ser guiado pelo Senhor”, mas… que isso significa realmente? George começou a buscar o direcionamento do Senhor quando precisava dar uma palavra na igreja. Diante disso,  como posso ter uma experiência semelhante em minha vida cotidiana? Veja, Romanos 8:14 diz: “Pois todos os que são guiados pelos Espírito de Deus são filhos de Deus”. O “ser guiados por Deus” é algo que está dentro de nosso “DNA espiritual”. Basta aprender a perceber isso.

George, nos dá a chave de tudo mais uma vez: ler a Bíblia e ir ao Senhor em oração. Essa é a forma para conhecermos qual é a vontade de Deus para nossa vida. Cada vez que lemos a Bíblia ou escutamos uma pregação, devemos orar para que Ele fale conosco. Com esse coração aberto, é mais que seguro que algo do que você está escutando ou lendo lhe “tocará” e não sairá de sua cabeça. Quando isso acontecer, ore a Deus por esse sentimento e Lhe pergunte qual deve ser sua atitude para com essa palavra que você recebeu. É importante também que o coloque em prática. Apenas conhecer Sua palavra é algo objetivo e teórico. No entanto, devemos levar essa palavra à nossa experiência subjetiva diariamente para, assim, conhecer cada vez mais a vontade de Deus em nossas vidas. Ao conhecer Sua vontade é só questão de colocar em prática o que nos foi dito e pronto, assim você seguirá o direcionamento do Senhor.

Meditar na palavra e orar foi o alimento principal para a fé extraordinária de George Müller.

Com o tempo, as dificuldades já não eram um problema para ele. Antes, agradecia ao Senhor por mais uma oportunidade de depender Dele e para dar testemunho que Deus existia às pessoas sem fé.

George Müller: um Homem de Fé em Razão de Um Abrigo

George não foi reconhecido como um homem de fé por ter feito milagres, nem por ter estado à beira da morte pelo evangelho, mas por ter construído um abrigo para crianças órfãs na Inglaterra; ele e sua esposa, no ano 1836, estabeleceram em sua própria casa uma espécie de albergue para trinta meninas. A obra continuou crescendo a ponto de ser necessário construir um edifício distinto, terminado em 1849, com capacidade para 300 meninos e meninos. Vinte e um anos depois, cerca de 2000 crianças estavam hospedadas em uns cinco lares desse tipo. A obra de Müller foi prova da providência de Deus, suprindo-o em todo momento. Muitas vezes, carecendo de alimentos para dar às crianças, recebia apenas horas antes doações anônimas para as mesmas. Nesses lares, as crianças recebiam uma boa educação, alimentação e vestimenta, levando consigo Bíblias quando partiam de lá.

Ele nos mostrou que é possível viver por fé, viver pura e exclusivamente pela provisão do Senhor. Ele mesmo havia confiado em Deus e em Sua palavra, e havia provado Sua fidelidade; e aos temerosos queria encorajar para que fizessem o mesmo. Se eles podiam observar-lhe, um homem sem muitas coisas materiais, estabelecer e manter um orfanato por meio da oração e fé, certamente, eles se animariam a igualmente confiar no Senhor. E, possivelmente, os não convertidos se convenceriam da realidade e veracidade acerca do vivo e genuíno Deus. E, claro, em seu coração estava também o desejo de ajudar os órfãos, não somente aliviando sua necessidade material, mas também os guiando ao caminho de Deus. E assim o fez.

Jovem, Deus não te pede muito, apenas que tenha fé. Confie Nele. Sabe, a capacidade para ser um vencedor está dentro de você, ainda assim, não é você mesmo, mas Jesus! Nós temos um Deus poderoso que criou os céus e a terra, que ressuscitou a Jesus Cristo dentre os mortos e que deu a capacidade a George para que vencesse todos seus obstáculos. Existe algo impossível para Ele? “Se Deus é por vós, quem será contra vós”? Conecte-se com esse Senhor maravilhoso, invocando Seu nome, “Ó! SENHOR JESUS!”, e mostre você também que É POSSÍVEL!

Se você passou por alguma prova de fé, como George, gostaríamos que compartilhasse conosco sua experiência, assim, outros jovens poderão ser animados a depositar sua confiança em Deus ao ler seu testemunho. Deixe seu comentário!

Deixe seu comentário