Este texto fala sobre mais um livro dos Profetas Menores do Antigo Testamento: Habacuque. Esse profeta de nome peculiar foi contemporâneo de Naum e Sofonias (outros dois do grupo dos Profetas Menores) e viveu na terra de Judá por volta de 600 anos antes de Cristo. Uma característica do profeta fica muito clara ao longo do livro: Habacuque era muito questionador. E seu livro já começa com uma indagação:

“Até quando, SENHOR, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritar-te-ei: Violência! E não salvarás? Por que me mostras a iniqüidade e me fazes ver a opressão?” Hc 1:2-3a

O profeta mostrou um quadro de violência e injustiça em Jerusalém e perguntou até quando aquilo aconteceria com o povo escolhido por Deus. Habacuque pediu por justiça e livramento ao povo, entretanto, a resposta de Deus não foi exatamente o que ele esperava. Primeiramente, Deus concordou com a situação exposta, o povo injusto e violento precisava ser castigado e a determinação de Deus é que fossem seriamente punidos pelos caldeus (Hc 1:5).

O povo caldeu era amargo e impetuoso (Hc 1:6), destruíram várias, possuíam o seu próprio direito, ou seja, seguiam as decisões de acordo com as suas vontades e, além disso, faziam de seu poder, um deus (Hc 1:7-11).

Vendo a determinação de Deus, o profeta Habacuque tentou mais uma vez interceder pelo povo, questionando a decisão do Senhor.

“Não és tu desde a eternidade, ó SENHOR, meu Deus, ó meu Santo? Não morreremos. Ó SENHOR, para executar juízo, puseste aquele povo; tu, ó Rocha, o fundaste para servir de disciplina.” Hc 1:12

Nos versículos 12 a 17 do primeiro capítulo, há uma tentativa do profeta de convencer Deus de aquela decisão não era a melhor para Judá. Ele argumentou mostrando que Deus não poderia destruir seu povo escolhido e, além disso, Deus não usaria um povo ímpio para punir um povo relativamente justo como Judá. O profeta não agiu com arrogância e prepotência, mas esperou para ouvir a resposta de Deus aos seus questionamentos. Entretanto, o Senhor respondeu:

“Escreve a visão, grava-a sobre tábuas, para que a possa ler até quem passa correndo. Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, não tardará. Eis o soberbo! Sua alma não é reta nele; mas o justo viverá pela sua fé.” Hc 2:2-4

E após esta declaração, o Senhor ainda detalhou em 15 versículos (Hc 2:5-20) todas as coisas que ocorreria com os caldeus em virtude daqueles que se excederam na disciplina para com o povo de Deus, profecia conhecida como os cincos ais dos caldeus. Depois de duas respostas de Deus, Habacuque foi iluminado. O Senhor lhe assegurou que a palavra iria se cumprir, mas ele precisava ter fé.

A lição que o profeta deixa com seu livro é uma já conhecida no meio cristão: “o justo viverá pela sua fé”. Quando questionamos os acontecimentos à nossa volta, quando as situações nos pressionam e nós começamos a reclamar, precisamos ter um atitude: crer. Crer que o nosso Deus é poderoso para suprir cada uma nas nossas necessidades (Fp 4:19) porque Ele conhece o nosso coração (1 Rs 8:38-39) . Habacuque, primeiramente, questionou a demora de Deus para cumprir a justiça. O que precisamos entender aqui é que Deus não demora em cumprir a sua palavra, Deus é longânimo. Ele queria dar a chance do povo se arrepender, e ele age da mesma forma conosco. O Senhor não nos deixa sem resposta, toda petição será respondida (Mt 7:7-8), mas se Ele nos faz esperar é por que está sendo longânimo.

Habacuque era como nós, carentes de fé, mas depois de ser iluminado pelo Senhor, ele pôde provar da sua graça e louvar o nome Dele com um cântico.

“Ainda que a figueira não floresça e não haja frutos nas videiras, ainda que a colheita de azeitonas não dê em nada e os campos fiquem vazios e improdutivos, ainda que os rebanhos morram nos campos e os currais fiquem vazios, mesmo assim me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação! O SENHOR Soberano é minha força! Ele torna meus pés firmes como os da corça, para que eu possa andar em lugares altos.” Hc 3:17-19 – NVT

Jovem, que possamos ser como Habacuque! O profeta creu na promessa de Deus para o Seu povo e pode se alegrar e exaltar o nome do Senhor. Muitas vezes não entendemos o plano de Deus, mas uma certeza deve arder em nossos corações: Há um plano arquitetado para cada um de nós. E foi o nosso maravilhoso Pai que fez. Por mais que nós almejamos ter o controle sobre a nossa vida, uma coisa é certa, só seremos completamente felizes quando entregarmos tudo – tudo mesmo – nas mãos do Autor e Consumador da nossa fé.

“Deus é muito bom com aqueles que confiam nele, e frequentemente surpreende-os com bênçãos inesperadas” (Charles Spurgeon).

Deixe seu comentário