A história de Simei

2 Sm 16: 5-13; 19: 16-23; 1 Rs 2:8,36-45

Liberdade: o tudo de Deus

Amados adolescentes e jovens, antes de iniciar o texto gostaria de lembrá-los que essa passagem da Bíblia, que está no antigo testamento,  ocorreu em uma época em que existia a realeza e os homens eram julgados conforme seus atos, não sendo tidos  por inculpáveis constantemente. Muitas vezes destoantes dos princípios morais do novo testamento e atuais, mas Deus usou essa época para deixar exemplos valiosos para nosso ensino e não podemos deixar de ressaltar que esse período testemunhou também sobre a vinda de Cristo (Rm 15:4; 1 Co 10:11; Gl 3:24). 

LIBERDADE, uma breve reflexão inicial: somos livres?

Premissa universal: eu tenho liberdade! Agora suponha, quero ir da minha cidade até a Ásia a pé. Eu sou livre para querer isso? Sim! Mas é possível? Não. Por quê? Porque tem um oceano que nos separa. Outro exemplo, quero fazer uma live pelo Zoom flutuando no ar com minhas próprias mãos. Eu posso querer? Sim! Mas é possível? Não. Por quê? Porque sempre estaremos sob a lei da gravidade. Seja uma lei da física, gravidade, seja a lei do país em que vivemos, penal, civil, sempre estaremos sob alguma lei. Dessa forma, como podemos definir  liberdade? Poder escolher sob qual lei estarei (Rm 8:2).

A história de Simei: 

1A) LIÇÃO DE SABEDORIA

“Quem foi Simei? Foi um homem da casa de Saul, que saiu para amaldiçoar o rei Davi no momento em que esse estava fugindo de Absalão, seu filho. E depois que Davi foi restituído o que Simei fez? Voltou ao rei Davi e implorou por clemência (2Sm 16: 5-13;19:16-23)”.

O que podemos aprender com relação a Simei? Um exemplo de uma pessoa falsa, em quem não se podia confiar, por isso vemos o conselho de Davi a Salomão sobre Simei antes de partir para o Senhor: não ter mais Simei como inculpável, mas exercer o juízo de forma sábia (1 Rs 2:8-9). Por que Davi falou isso para Salomão? Porque Simei não era uma pessoa de confiança e mudava de lado conforme as circunstâncias, ora era adversário, ora pedia clemência e enaltecia o rei.

Hoje, o mundo está cheio de pessoas assim, por isso temos que ser sábios. Por essa razão, adolescentes e jovens, precisamos sempre estar em contato com os nossos pais, com as pessoas mais velhas ou mais maduras, para termos maior discernimento sobre as situações que nos cercam e sermos guardados do mal (Pv 15:22).

2A) PARA NOSSA VIDA CRISTÃ

 Salomão, em sua infinda sabedoria, soube como julgar Simei. Qual foi o veredito? Simei teria que residir em Jerusalém e não poderia sair da cidade, pois no dia que saísse sua vida seria tirada. Simei achou boa a palavra e se propôs a guardar esse juramento. Mas a sua palavra só durou 3 anos (1Rs 2:36-38).  

Amados jovens e adolescentes, Simei propôs no coração cumprir as sábias palavras de advertência dadas por Salomão. Mas ao cabo de três anos, dois escravos seus fugiram e ele dispôs seu jumento e saiu da cidade e foi a Gate em busca de seus escravos (1Rs 2: 39-40). Que lições para nossa vida cristã podemos tirar desse trecho? Podemos ver que Simei conseguiu permanecer fiel a sua palavra por três anos, assim inferimos que provavelmente ele, pouco a pouco, começou a contemplar o Ribeiro de Cedrol, região de Gate fora de Jerusalém.

A lição que fica para nós é que independente de quanto o tempo passe, devemos nos manter tão fiéis ao Senhor quanto no início, quando O conhecemos. Muitas vezes pensamos que se sairmos e escaparmos só por um pouco ninguém perceberá, mas como vemos na história de Simei não é isso que acontece, pois o rei percebeu. (1Rs 2:41). Adolescentes e jovens, muitas vezes são as pequenas escapadas que podem fazer com que nossa vida se perca, também o reino e o “descanso com o Senhor” (1Rs 2:42-46). Salomão avisou que por causa das escolhas que fez, Simei sofreria as consequências. E Simei fez aquilo sabendo das consequências.

Senhor Jesus, tenha misericórdia de nós. Isso deve arder em nós. Às vezes ficamos confiando no amor do Senhor, que Ele vai nos perdoar as consequências da mesma forma que nos perdoa o pecado, mas não vai (Gl 6:7). Deus não é um avô, espero que entenda a metáfora, mas um pai que corrige a todo filho que ama (Hb 12:6). Por isso, nós precisamos pensar antes de agir, consultar o nosso Senhor, exercitar o nosso espírito e fugir quando necessário, como Paulo fala a Timóteo, porque as consequências virão: “foge, outrossim, das paixões da mocidade” (2 Timóteo 2:22).

E o último ponto nessa história tão cheia de exemplos para cada um de nós é que às vezes nos perdemos por quase nada. No exemplo de Simei, foram meros 2 escravos (me entenda aqui, não falo que essas pessoas não tinham valor, mas o que são dois escravos para um homem rico como Simei?). Simei poderia simplesmente pedir a Salomão e esse recuperaria seus escravos. Nós temos a paz do Senhor, a eternidade com o Senhor, não troque o tudo de Deus pelo nada de Satanás. Os limites de Deus não tiram a nossa liberdade, mas garantem ela. Fique dentro dos limites que o Senhor estabeleceu para você na Igreja.

Texto inspirado em uma pregação do Pastor Felippe Amorim sobre o tema visto, “por acaso”, pela televisão, junto com a necessidade que surgiu servindo os jovens.

Deixe seu comentário