Quando Cristo vive, não há lugar para que outro viva. Nem mesmo eu posso viver. Em nossa vida, no grande combate interior diário, o próprio Amor é o esplêndido lutador. Ao contemplar cada vitória Dele, desfrutamos a maravilhosa experiência cotidiana de segui-Lo. É morte. É ressurreição. É vida. É Renovação. E, como tantas vezes acontece,  foi exatamente assim um dia desses. Um dos muitos dias em que o Amor fez e refez o ser de um dos seus seguidores.  Apesar dos muitos desfechos da história, algo não pode deixar de ser destacado agora: uma vez mais Ele venceu!

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação” (2 Co 4:17)

Hoje estou ouvindo aquela mesma canção que trilhou tantos dos meus planos. O coração que bate jamais será o mesmo. Sim, é a mesma canção. Aquela que soa ao redor daqueles mesmos sonhos e desejos tão profundos. Aqueles tão intensos que, muitas vezes, nem eu mesmo pude tocar. Mas hoje o som é diferente. Hoje o coração se alegra.

Não que os planos tenham sido realizados ou que o coração tenha alcançado o que um dia, com tanta força, havia almejado. Não que a corrupção dentro de si, um dia tão dolorosamente descoberta, não o faça mais entrar em colapso. Definitivamente, não, não e não. Mas hoje o coração se alegra.

Apesar de ser a mesma canção de amor, os planos que desta vez ganham forma, momentaneamente, trazem dor. E agora os planos não são mais meus, chegaram ao “plano real”. Deixaram a esfera dos planos e mais planos… E de repente… A Realidade. A verdade. O Amor. Então, hoje o coração se alegra.

A música continua tocando e, a essa altura, o coração encontrou o sorriso. Encontrou o toque. Encontrou o rosto. Encontrou uma vez mais o abraço do Irmão, do Pai, do Amigo, do Senhor, do Seu Amor. E mais do que isso, na verdade, hoje o coração se alegra, pois sabe que só pode descansar porque foi encontrado. Pois sabe que, apesar de não merecer, é muito amado. Que nenhum dia sequer foi deixado. E por isso, mais e mais, hoje o coração se alegra.

Talvez a canção jamais toque como o esperado. Talvez ela sequer toque lá, naquele plano que ficou pra trás. Mas isso alegra quem conhece o que é ter os planos destruídos para dar lugar aos do Amado. Não há mais o que fazer. Não há mais lugar para se esconder. Os muros falsos foram derrubados. E Ele está lá. Com Glória. A Luz. O Eterno Amor. Perfeito. É Ele! Jesus! Incomparável! A Resposta. A Salvação. O próprio Autor. O que é! O que eu serei. Todas as grandes canções. Por isso, hoje o meu coração se alegra.

Sobretudo,

Nele o meu coração se alegra…

Deixe seu comentário