Este texto foi utilizado como roteiro para elaboração do vídeo que está ao final. Leia o texto ou assista o vídeo, mas se desejar a experiência perfeita, então faça os dois.  😉

Quem é você? Qual a identidade humana?

Pergunte-se: “Quem sou eu?“. Agora tente formular a resposta.

“Quem sou eu?” se relaciona com a identidade do ser humano e esta se relaciona com seu conteúdo, que é expresso por meio de suas atitudes. Podemos entender isso ao comparar o homem com um violão.

A Identidade Humana Pode Ser Vista no Exemplo de Um Violão

IDENTIDADE

Suponha que você tenha ganhado um violão na infância e que gostou tanto que até mesmo o chamou de Jack. Com os anos, o violão sofre danos e precisa ser reparado. Algumas peças têm que ser trocadas e substituídas. Desempeno do braço, substituição do plugue de áudio e constantes trocas de cordas – essas são transformações que a aparência do violão sofre.

Até você ficar adulto o violão Jack já mudou bastante e perdeu algumas das suas aparências originais. Nesse contexto, uma pergunta surge: “ainda que tenha perdido várias de suas características originais, o violão Jack continua o mesmo?”. Sim, com certeza. “E se com as antigas partes dele fosse montado um novo violão, ele se tornaria o Jack?”. Não, não se tornaria.

Da mesma forma, quando se fala de identidade, o mesmo se aplica ao ser humano. Os reparos, desempenos e trocas que a jornada da vida proporciona, apesar de mudarem a aparência, jamais terão poder para mudar a essência, a identidade de uma pessoa. O nosso corpo biológico, por exemplo, funciona exatamente assim. Nossas células nascem e morrem todos os dias e, ainda que isso ocorra, a essência e a identidade de cada pessoa permanecem imutáveis.

Identidade, Conteúdo, Função e Finalidade

Identidade

Assim como o corpo do violão que existe para que ele atenda sua função, ou seja, para que ele produza música, o corpo biológico existe para que atendamos nossa função, nossa identidade, nossa essência. Que função é essa? Que identidade é essa? Que essência é essa? Nossa função, identidade e essência estão relacionadas com o fato de ter a Fé!

Somos humanos, somos aparência e essência. Somos identidade e conteúdo. Uma folha de papel pode ser dobrada para assumir diferentes formas e ter diferentes finalidades. Pode se tornar um avião, uma carta e um barquinho. Nós também somos assim. Não somos apenas carcaça, somos também conteúdo e finalidade.

Que conteúdo maravilhoso! Somos recipientes da Fé, o maior tesouro do universo. Podemos acreditar em Deus e podemos acreditar em realizar nossos sonhos. Também temos uma finalidade: cumprir o plano de Deus. Fomos criados para ser protagonistas do plano de Deus!

Ao saber de tudo isso, guarde esse pensamento: as coisas que você exterioriza dizem quem você é para as outras pessoas. Entretanto a mesma regra não funciona para Deus, pois Ele é capaz de saber tudo que você interioriza e até o que esconde Dele. Não adianta nada dizer: “Sou filho de crente, logo, sou crente”; “Tenho esse título alto, como eu sou importante!”; “Não faço esse tipo de pecado, sou muito puro e limpo!”. Aos olhos de Deus, todas essas coisas são apenas tentativas de ser a imagem que você passa.

Saiba que nenhuma atitude boa ou ruim forma sozinha sua essência, sua função e sua identidade. Sua essência, sua função e sua identidade são formadas quando você se enche de Deus e de todas as intenções provindas Dele. Assim que se unir a elas será um espírito com Ele. Você pode fazer isso praticando Os 5 Exercícios da Academia de Deus. Isso te torna alguém de grande valor!

Identidade, Valor e Utilidade

Identidade

Sob a ótica humana e espiritual, o valor pode ser definido pela utilidade. Suas mãos tornam você apto a segurar um celular, por isso você as valoriza. Seu celular possibilita que você fale com seus amigos, por isso você o valoriza. Seu violão, Jack, dá asas ao seu talento musical, por isso você o valoriza.

Para Deus, você é como o violão Jack: um instrumento que pode ser utilizado para extrair melodias de alta qualidade. Deus te valoriza, porque vê a utilidade que você tem e sabe exatamente como tirar tons e semitons de afinação absoluta.

Assim, lembre-se… Deus te considera pelo que você é em Cristo e não pelo que aparenta. Qualquer estrutura aparente é passageira e efêmera, mas seu conteúdo, essência, função, identidade, finalidade e conteúdo em Cristo são permanentes, profundos e, por vezes, invisíveis. Deus deseja orquestrar sua vida dentro de um arranjo divinal. Considere tudo isso e permita-se ser tocado!

Gostou do post? Sim? Então, divida conosco o que você mais foi tocado por meio dos comentários abaixo. Se puder, compartilhe o texto nas suas redes sociais e envie para seus amigos. Jesus é o Senhor! Até a próxima oportunidade. 😉

Agradecimento
Agradeço a Paulo Estéfanas da Igreja em Teresina/PI pela comunhão  e amizade que permitiram essa colaboração se tornar realidade de forma muito natural e espontânea. Esse texto, mesmo sendo uma adaptação de seu roteiro original, acabou se tornando o roteiro final do vídeo que você encontra abaixo. Jesus é o Senhor!