Introspecção

Antes de tudo, preciso te explicar uma doença espiritual chamada: Introspecção. Ela ocorre quando consideramos todos os fatos de acordo com os nossos sentimentos. Cristãos introspectivos são conduzidos pelo “eu acho, eu sinto, eu não sinto…”. Assim, quando se sentem bem, supõem que Deus está lhes preparando um sofrimento, mas ao passarem por um dia de tribulação, consideram que “o amanhã será melhor”.

Certa vez, Watchman Nee disse: “Entre os filhos de Deus não há nada mais pernicioso para a alma do que a introspecção. Tenhamos em mente que a coisa mais destrutiva para a alma é voltarmos nosso olhar para dentro de nós mesmos. A introspecção é uma doença.” Dessa forma, é preciso diagnosticar, curar e prevenir esse mal. Esse é o meu objetivo nesse texto, não pretendendo te encher de teorias, e sim conduzir um papo do meu coração para o seu.

Cuidado: Na Introspecção Você Pode Perder o Que É Mais Importante para Você

Tudo começou há alguns anos, quando vivi uma experiência intensa: eu conheci o Senhor. Antes já conhecia a história da criação, da arca de Noé, da crucificação, mas foi a partir desse momento que percebi que eu O amava e era amada por Ele.

Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu;” (Ct 6: 3a)

Essa experiência com o Senhor me deixou louca de amor por Ele:

Pois desfaleço de amor” (Ct 2: 5b)

Tudo o que eu mais queria era ficar nos braços do meu Amado, mas Ele passou a me dizer cheio de compaixão: “Eu tenho muito mais para você. É muito bom ser amado e amar, mas desejo confiar-lhe pessoas, lhe escrever uma linda história e, para isso, você precisa amadurecer e deixar de ser conduzido pelos sentimentos e emoções.”

No entanto, meu coração não queria sair da intimidade entre eu e o meu Amado, não entendia por qual motivo eu não podia ficar ali nos braços Dele para sempre, sem me preocupar com mais nada.

Foi aí que tentei me isolar de toda dificuldade externa em meus sentimentos imaturos e centrados em mim mesma, esperando que o Senhor habitasse ali comigo. Mas Ele insistia que eu avançasse, porque aquilo que construí era insuficiente pra contê-Lo.

A minha vida passou a ser conduzida pelos sentimentos e circunstâncias. Nessa introspecção, perdi Aquele que mais importava pra mim:

Noites e noites, na minha cama, eu procurei o meu amado; procurei, porém não o encontrei.” (Ct 3:1)

Essa esfera de falta de comunhão com o Senhor, fez-me acreditar em tudo o que a minha mente dizia, colocando-me sob um fardo pesado, a tal ponto que eu não aguentei e explodi.

Eu nunca havia experimentado algo tão negativo. Eu, que sempre fui alegre, de repente me vi chorando sem motivo, esperando constantemente que o pior fosse acontecer. Perdi o sentido do meu viver e passei a me sentir sozinha e vulnerável. A minha prisão interior, que eu mesma criara, fez com que me sentisse prisioneira da minha rotina. Parecia o fim, mas não era.

A Palavra e O Contato com A Família Salvam da Introspecção

João 16:22: “Assim acontece também com vocês: agora estão tristes, mas Eu os verei novamente. Aí vocês ficarão cheios de alegria, e ninguém poderá tirar essa alegria de vocês.”

A palavra do Senhor me salvou. Reconheci que Ele nunca me deixara sozinha, mas que eu havia deixado Ele partir. Então, passei a entregar as minhas ansiedades ao Senhor, orando pela manhã:

Porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer; porém os nossos olhos estão postos em Ti.” (2 Cr 20:12b).

Esse versículo me levou a colocar meus olhos, antes centrados nos meus sentimentos, no Senhor. Os filhos de Deus não devem olhar para a “grande multidão” de problemas, nem para o medo que sentem ao reconhecerem que sozinhos não têm força para resistir, mas devem colocar os olhos no Deus de vitórias e de amor.

Além do mais, todas as vezes que a minha mente tentava me falar algo, passei a reconhecer que era mentira e que Satanás tentava me atacar. Aprendi, então, a expulsar essas mentiras de dentro de mim, em nome de Jesus. E, por último, mas não menos importante, passei a me abrir com as pessoas que me amavam. Sem a ajuda e socorro da minha família, eu não teria me libertado.

Se você se encontra nessa situação, eu quero te lembrar que o Senhor ainda está cuidando de você. Quando olhar para trás, tudo vai fazer sentido e te trazer paz. No entanto, a primeira coisa que você precisa fazer, e rápido, é procurar ajuda dos seus pais ou irmãos da igreja. Você não deve passar por isso sozinho, não tente se convencer de que você consegue por si próprio.

Hoje o Senhor me trouxe a maturidade do Seu amor. Eu pensava que a minha primeira experiência era a melhor, mas ainda tinha muito mais, na verdade ainda tenho muito mais para experimentar!

Encontrei logo o amado da minha alma; agarrei-me a ele e não o deixei ir embora.” (Ct 3:4b)

Eu só descobri o que era introspecção quando já estava me recuperando! Espero que essas palavras tenham atingido o seu coração na hora e de maneira perfeita. Confesso que esse assunto é complexo, pouco comentado, e foi um dos textos mais difíceis que já escrevi. Eu abri meu coração e espero que tenha alcançado o seu.

Se você precisa de ajuda, eu quero te ajudar com as minhas orações e, além disso, você sabe onde me encontrar. Curta esse texto e comente, compartilhe para que outros possam ser salvos. Que a graça do Senhor continue te fazendo feliz e abençoado!

Leitura de apoio

“Cântico dos Cânticos: Os oito estágios do Crescimento Espiritual” de Dong Yu Lan. Editora Árvore da Vida.

Deixe seu comentário