Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8:12), e Ele também diz isso de nós: “vós sois a luz do mundo” (Mt. 5:14). Isso porque Sua vida está em nós e essa vida é totalmente estranha ao mundo, sendo uma fonte de luz para mostrar aos homens o que realmente o mundo é. Jesus continua: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a Vosso Pai que está nos céus” (Mt 5:16). Assim, fica claro que nos separar do mundo, tirando dele sua única fonte de luz, não é o que Deus deseja, pois Ele nos colocou aqui para iluminar os que ainda estão perdidos nesse sistema.

É verdade que João Batista se retirou do mundo e foi para o deserto, e Deus realmente pode usá-lo naquele lugar. Mas Jesus estava no mundo sendo a luz para ele (João 1:9, 10), e Ele deseja a mesma coisa para a Sua Igreja. Não é a intenção de Deus que a Igreja viva pelo princípio da abstinência. Na verdade, “não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro” são simplesmente mais um elemento no sistema mundial (Cl. 2:20-23). O cristão não deve estar sob regras acerca do quanto ele pode se misturar com os homens. Como Paulo diz em Romanos 14:17, “o reino de Deus não é comida nem bebida” – ou seja, ele não pode ser entendido nesses termos terrenos – , “mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo”, coisas de uma esfera totalmente diferente que o Espírito traz ao nosso interior.

Vamos ver um pouco sobre a paz. No próprio Deus há uma paz absoluta e inabalável diante de conflitos. “No mundo tereis aflições”, Jesus diz, mas “em Mim tereis paz” (Jo 16:33). Nós nos perturbamos muito facilmente quando as coisas começam a dar errado. Mas quantas vezes paramos para pensar em tudo o que aconteceu com a criação de Deus? Satanás interveio e o resultado é que os homens se desviaram de seu propósito, amando mais as trevas do que a luz. Ainda assim, em Si mesmo, Deus está em grande paz. Assim, também Cristo, diante de tudo o que sofria, estava sempre em paz. É essa paz que guarda nosso coração e nossa mente em Cristo Jesus (Fp 4:7). Essa paz nos protege, uma paz que o mundo não conhece (“Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá” – Jo 14:27).

Por um lado, Deus nos colocou no mundo, onde temos pressões e aflições, mas, por outro, Ele nos colocou em Cristo, onde temos paz e podemos permanecer inabaláveis em meio a tudo. Nós temos paz, amor e alegria que o mundo não pode dar, coisas que os homens precisam desesperadamente.

Em vez de evitar o mundo, precisamos ver como somos privilegiados por estar nele, cumprindo a missão que Deus nos deu. “Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo” (Jo 17:18). Que declaração! O Senhor que nos colocou aqui, como ele mesmo foi enviado para cá! A igreja continua o Seu trabalho, como uma colônia dos céus em meio ao território de Satanás. E isso é algo que Satanás não pode suportar!

Como vemos em Filipenses 2:15 (“Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo”), estamos no kosmos a fim de desmascará-lo, mostrando aos homens seu estado de rebelião contra Deus e suas vidas vazias sem Ele. E o trabalho não termina aqui: devemos proclamar aos homens as boas novas de Cristo, a fim de que sejam libertos do mundo e preenchidos com a plenitude de Deus.

“A Igreja é um espinho na carne para o adversário de Deus, uma constante fonte de irritação e aborrecimento. Causamos muitos problemas a Satanás simplesmente estando no mundo”. Nosso estudo ou trabalho são campos missionários! Não podemos separar nossa vida no estudo ou profissão de nossa vida da igreja, pelo contrário, vivemos a vida cristã nesses lugares também, e isso tem muito valor para Deus! Estando ali somos problema para Satanás. Ou ele tenta nos envolver com o mundo, ou tenta nos assustar para que deixemos de cumprir nossa missão nele.

“Nossa presença no mundo, ainda que com todas as nossas esperanças, todos os nossos interesses e perspectivas fora do mundo, significa a derrota de Satanás e a glória de Deus.”

“Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?” (1 Jo 5:4-5). Como vencer o mundo? A chave para a vitória sobre o mundo está no nosso relacionamento com o Filho de Deus. Porque nascemos de novo, fomos colocados nAquele que venceu o mundo. Por isso podemos estar no mesmo mundo que Ele esteve e ao mesmo tempo estar totalmente separados do mundo, sendo luz para ele. “qual Ele é, somos nós também neste mundo” (1 Jo 4:17).

Artigo inspirado no livro Não Ameis o Mundo, de Watchman Nee, Editora dos Clássicos (2008).
Artigos da série:

A Mente Por Trás do Sistema – Série “Não Ameis o Mundo” (1)

Tendência Oposta a Deus – Série “Não Ameis o Mundo” (2)

Um Mundo Sob a Água – Série “Não Ameis o Mundo” (3)

Crucificado para Mim – Série “Não Ameis o Mundo” (4)

Diferenciação do Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (5)

Luzes no Mundo – Série “Não Ameis o Mundo” (6)‏

Desapego – Série “Não Ameis o Mundo” (7)

O Refrigério Mútuo – Série “Não Ameis o Mundo” (8)

Minhas Leis em Seus Corações – Série “Não Ameis o Mundo” (9)

Os Poderes do Mundo Vindouro – Série “Não Ameis o Mundo” (10)

Roubando o Usurpador – Série “Não Ameis o Mundo” (11)

 

Deixe seu comentário