Deus nos fez um reino de sacerdotes (1Pe 2:9). Como tais, nosso viver passou a ser um serviço a Ele. Ao servirmos, o que Deus espera de nós é simplesmente que tenhamos comunhão com Ele! Nosso viver precisa ser absoluto para Deus. Ele quer, tão somente, que nossa vida seja uma oferta a Ele. Em todas as oportunidades podemos nos apresentar a Deus (Rm 12:1).

Dentre as cinco ofertas mencionadas em Levítico, gostaria de apresentar a você, querido leitor, a oferta pacífica. No Antigo Testamento (Lv 3:1-7), para a oferta pacífica, o ofertante deveria levar gado vacum, carneiro ou cabrito, assim como no holocausto. O que diferenciava a oferta pacífica do holocausto é que o animal não precisava ser exclusivamente macho. Ser macho, no contexto, significa ser forte; ou seja, ofertar uma experiência forte ao Senhor. Porém, para desfrutar paz, o ofertante poderia oferecer uma fêmea. Aplicando a nossa realidade: podemos ter paz tanto ao ofertar uma experiência grande, quanto pequena. Talvez, durante o dia de hoje você tenha conseguido desfrutar tanto da leitura da Bíblia, mas isso não é motivo para desanimar! Você ainda pode experimentar da paz do Senhor invocando Seu nome e clamando por renovo! A nossa oferta é proporcional à experiência desfrutada. O importante é ofertar, apresentando ao Senhor aquilo que desfrutamos (Ex 23:15).

Temos grande  necessidade de ter experiências com a oferta pacífica. Independente da crença de cada indivíduo, todos procuram ter paz. Nós, que já conhecemos o Senhor, precisamos experimentá-Lo como nossa paz. A paz que o mundo nos oferece é tão líquida que facilmente escorre pelas mãos, mas a paz de Cristo é capaz de nos dar segurança duradoura! Sendo assim, não há necessidade de ter um coração turbado e atemorizado (Jo 14:27).

Você consegue enxergar os olhos atenciosos e cheios de cuidado de Cristo nas palavras: “A minha paz vos dou” (Jo 14:27)? Só Ele pode nos dar paz, pois Ele é o nosso Consolador, o Espírito Santo. Ele sabe que passamos por aflições, mas ainda assim, Ele nos dá ânimo mostrando-nos que Ele foi vitorioso como homem. Dia após dia o Senhor nos diz: “Venham a mim. Em Mim vocês terão paz”. Isso é uma grande promessa para nós.

A nossa paz só chega a nós por meio da graça. Quando a graça nos alcança, temos paz. Por Cristo ter vindo a nós e ter satisfeito o coração de Deus, hoje desfrutamos a paz perfeita e completa. Sem a graça, não há paz. Para ter a graça de Cristo é preciso desfrutar de Cristo! Quanto mais desfrute de Cristo, mais graça provamos, portanto, mais paz experimentamos. Não há segredo para ter paz, desfrutar de Cristo é o ponto de partida!

Quando o Senhor apareceu aos discípulos, após Sua morte e ressurreição, Ele os encorajou e enviou: “Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo 20:21). Essa palavra também é direcionada para nós hoje. Somos portadores da paz, por isso podemos dizer às pessoas: “Paz seja nesta casa” (Lc 10:5). Somos enviados! Temos a paz abundante que as pessoas precisam.

Nós somos filhos de Deus, filhos da paz. Por meio de Cristo estamos reconciliados com o Pai. Agora, somos chamados para o ministério da reconciliação (2 Co 5:19). Deus nos confiou um grande encargo, um comissionamento de reconciliar as pessoas com Ele. Essa deve ser nossa motivação e sentimento ao pregar o evangelho! Carregamos uma palavra de valor muito elevado, a palavra da reconciliação, a esperança da verdadeira paz!

Que dia após dia possamos ter um encontro com a graça do Senhor e desfrutar a paz que há entre nós e Deus. Experimente fazer ofertas pacíficas, apresente-se ao Senhor com o que você tem. Sua paz mudará a esfera que você vive pelo fato de ter agradado a Deus. Que possamos ter a paz de Cristo como a característica mais marcante do nosso viver! Temos o que muitos procuram. Mostre através de seu viver que é possível ter paz, mesmo em um mundo tão agitado e inquieto.

Graça e paz!

Baseado no livro “Como Servir a Deus?”,  de Dong Yu Lan, publicado pela Editora Árvore da Vida.