Enquanto esperava um resultado decisivo, fui até o Senhor buscando sustento para lidar com a resposta que viria. Orei e continuei minha leitura diária, que na época era o livro de Êxodo. Durante a leitura do capítulo 16 o Senhor ensinou-me mais um pouco sobre o maná.

O maná era um pão que caía do céu todas as manhãs durante os quarenta anos que o povo de Israel esteve no deserto. O maná deveria ser colhido diariamente, não podiam guardar para o dia seguinte. A exceção era às sextas-feiras, quando deveriam colher porção dobrada, porque no sábado, dia do Senhor, o maná não caía.

Cada  um desses pequenos detalhes ensinou-me algo importante sobre a minha relação com Deus e a Sua palavra:

Porção diária

É interessante considerar que o Senhor poderia ter feito cair do céu algo que precisasse ser comido uma única vez e o povo ficasse saciado até chegar na Boa Terra. Entretanto, o Senhor mandou o maná, que caía todos os dias para que diariamente eles se lembrassem de quem os sustentava.

“e te sustentou com o maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor viverá o homem.” Dt 8:3b

Deus nos ensina a ter um relacionamento com a palavra como o que temos com o alimento. Não é porque estamos bem supridos depois de algum evento cristão que no dia seguinte não precisamos ser sustentados pela palavra. Por vezes, nos alimentamos da palavra e esperamos desfalecer até o último suspiro para buscar de novo. Vivemos uma vida espiritual miserável e instável enquanto o maná cai do céu para nós todos os dias.

Todos os dias precisamos desfrutar e provar a glória, o amor, a graça e o cuidado de Deus através da palavra. Diariamente, devemos lembrar que Ele morreu e ressuscitou. Em todos os momentos temos que reconhecer que Ele é Deus, e nenhum fio cai da nossa cabeça sem que Ele saiba (Lc 12:7).

“quem de mim se alimenta por mim viverá.” Jo 6:57b

Obedecer e confiar

O maná caiu do céu enquanto o povo permaneceu no deserto (Ex 16: 35). Nesses quarenta anos, a palavra de Deus se cumpriu, independente dos erros ou acertos deles. Naquele período, o povo muito murmurou, rebelou-se (Nm 16), fez Moisés ferir a rocha duas vezes (Nm 20), adorou a um bezerro de ouro (Ex 32) e entre tantos outros episódios. Os erros não ficaram impunes, mas o maná não deixou de cair por causa da condição deles.

Neste contexto, o povo, sabendo que falhou e ainda falharia muitas vezes, precisava confiar que o que Deus prometera se cumpriria. Eles estavam em um deserto, não podiam estocar o maná que caía do céu, tinham que obedecer e confiar que quando acordassem pela manhã, o maná estaria ali.

“Nenhuma promessa falhou de todas as boas palavras que o Senhor falara à casa de Israel; tudo se cumpriu.” Js 21:45

Na nossa vida, a única certeza é a palavra de Deus. É preciso confiar que Ele vai nos sustentar todos os dias até chegarmos à boa terra. Tentar buscar um “plano b”, caso a promessa de Deus não se cumpra, nos leva a exaustão. Descanse e confie na palavra de Deus. Confie que Ele conhece as suas falhas e não deixará de cuidar de você por causa delas.

Conclusão

Espero que essas palavras, que Ele escreveu no meu coração, transmitam a paz que eu trago comigo em saber que há um Deus cuidando de mim todos os dias, eu só preciso recolher o maná. Não precisamos temer, o Senhor nos alimenta, desfrute-O.

“Sacia a alma com maná, dá paz ao coração” (Hino 45 – EAV)

Deixe seu comentário