Não Mais Eu, Mas Cristo: Um Livro sobre o “Jó” que Existe em Nós

 

Recentemente terminei a leitura do livro “Não mais eu, mas Cristo” de Dong Yu Lan, publicado pela Editora Árvore da Vida. Através desse texto, gostaria de recomendar essa maravilhosa obra, cujo conteúdo é impactante, real e aplicável.

Desejo que você sinta o mesmo que eu senti, seja tocado e encorajado, de modo que haja mudança de vida diante do Senhor e das pessoas ao aprender a importância de se despojar de si mesmo e confiar mais em Cristo – afinal, em resumo, é disso que o livro vai tratar.

A seguir, destaco algumas partes do livro e faço comentários. Cada subtítulo corresponde aos trechos que mais me impactaram. Espero que gostem.

A Aprovação de Cristo Nos Ajuda em Momentos de Conflitos Internos

“Em colossenses 3:15 lemos: ‘Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos’. Nós necessitamos viver de modo que tenhamos a paz de Cristo em todo o tempo. Isso significa que a vida de Cristo em nós, a qual define o que é certo ou errado, se manifesta como paz: a presença de paz indica a aprovação de Cristo, enquanto sua ausência significa que algo não está de acordo com a vida de Cristo.” (p. 30).

 

Aqui vemos, de maneira direta,  como é possível saber se o que estamos praticando ou desejando está sob a aprovação de Cristo. Isso me ajudou muito nas minhas decisões e também pode ajudar você em momentos de conflitos internos. Quando passamos por provações e sentimos a paz de Cristo em cada uma delas , estamos no caminho correto, mas, se não sentimos essa paz, melhor rever o caminho em que estamos.

Sofrimentos nos levam ao Senhor e nos fazem experimentar sua vitoriosa compaixão

“Os sofrimentos devem levar-nos ao Senhor. As situações de provação e tribulação servem para levar-nos a perceber que nada podemos por nós mesmos. Devemos sempre ter consciência de que somos incapazes por nós mesmos. Assim, quando nos voltamos ao Senhor, desistindo de nossas tentativas de sair dos problemas, conscientes de nossa insuficiência, então, teremos largado todas as coisas e dado lugar para o Senhor mesmo trabalhar.

Cristo passou por todas as provações em Sua vida humana, e hoje é capaz de socorrer-nos. Desse modo as tribulações e sofrimentos servem para levar-nos a ter comunhão com Ele.” (p. 56)

 

Esse trecho nos mostra a importância do sofrimento e como devemos lidar com ele no nosso dia a dia. Encoraja-nos a enxergar o trabalhar do Senhor em todas as coisas e confiar Nele. O que às vezes parece impossível e complicado demais para resolver sozinho,torna-se uma experiência incrível de ver o Senhor nos fazendo vencer. Assim, podemos crescer em cada uma dessas situações. Isso acontece porque Ele se compadece de nós e fica ao nosso lado até que vençamos! Logo, situações difíceis são para nos levar para Ele e nos fazer experimentar sua vitoriosa compaixão!

Aprenda sua própria lição e encontre seu caminho com Deus

“Pedro viu a João que estava ao seu lado, e perguntou ao Senhor: ‘E quanto a este? Respondeu-lhe Jesus: Se Eu quero que ele permaneça até que Eu venha, que te importa? Quanto a ti, segue-me’.(Jo 21:22) É como se o Senhor lhe dissesse: ‘Não fiques preocupado em saber como eu vou cuidar dos outros; aprende a tua própria lição.’” (p. 189)

 

De forma a restringir Pedro, o Senhor o corrigiu de maneira bem forte. Algo que precisamos realmente entender, de modo a não julgarmos as pessoas nem a forma como Deus trabalha nelas, é que cada um deve aprender sua própria lição. É necessário entender que, por vezes, o melhor a fazer é orar pelo outro e deixar nas mãos do Senhor, só Ele sabe o que é melhor pra cada um.

 

Todos nós temos um “Jó”, o nosso “eu” egoísta para combater.

Como esses trechos, vemos o quão rico e profundo é o conteúdo do livro “Não mais eu, mas Cristo”. Vale a pena ler cada capítulo e tema tratados no texto.

O que foi apresentado acima me ajudou a perceber a necessidade de deixar Cristo viver através de mim, de não ser eu, mas Cristo (Gálatas 2:20). Pois é isso que nosso Deus deseja: habitar em nosso espírito, alma e corpo para que sejamos cada vez mais parecidos com Ele.

Todos nós temos um Jó dentro de nós. Temos nosso “eu” egoísta que se acha o centro do universo, que reclama de tudo e até culpa a Deus por tudo que não ocorre de acordo com o que queremos em nossas vidas. Nós esquecemos que estamos sob o favor Dele e que Ele tem pensamentos favoráveis a nosso respeito (Jr 29:11).

Por essa razão, meu “eu” não pode mais prevalecer e deve ser combatido. Ele tem de “cair fora” e agora é Cristo que tem de ganhar espaço! E nessa linha, surge meu coração cheio de gratidão para reconhecer a maravilhosa obra de Deus com muito louvor e adoração. Graças a Deus!

Outra coisa impressionante é como o livro remodela a tradicional ideia da “paciência de Jó”. Isso porque, ao conhecer profundamente a real história de Jó, você verá que ele resiste às intempéries, mas quando abre a boca, acha-se a pessoa mais justa do mundo e culpa até Deus pelo caos que ocorre em sua vida. Ou seja, Jó só é paciente até seus amigos começarem a acusá-lo  A partir daí ele se parece muito conosco e começa a falar um monte de coisas sem sentido.

Talvez esse seja um dos melhores livros de Dong Yu Lan, principalmente por tratar do nosso ego, que leva a nos acharmos corretos o tempo todo.

A leitura me ajudou muito e mudou minha relação com Cristo, criando maior proximidade e confiança. Agora sei que Ele é capaz de saber os limites de todas as situações que passo em minha vida e que, em todas elas, Ele tem um propósito: fazer-me amá-Lo mais e mais. Espero que também mude cada um de vocês. Jesus é o Senhor!

 

Clique aqui para adquirir agora o seu exemplar do livro “Não mais eu, mas Cristo”.

Colaboração enviada por Max Lui.

Deixe seu comentário