Existem perguntas que nos acompanham ao longo de várias fases da vida. O que vou ser quando crescer? Qual curso farei na universidade? Qual será meu emprego? Com quem vou me casar? Quantos filhos terei? Essas coisas fazem parte do crescimento de qualquer ser humano normal que respira, anda, come e dorme. Porém, para um cristão, as perguntas se estendem e os conflitos são mais constantes. Por que passar por conflitos? Alguma vez você já se perguntou o real motivo de tantos conflitos, montes e vales, altos e baixos, pelos quais um cristão precisa passar? Porque Deus nos abala?  

Há vários exemplos bíblicos de homens e mulheres de Deus que tiveram oportunidade de crescer por meio de seus conflitos. Moisés precisou escolher entre viver como egípcio ou assumir sua nacionalidade como hebreu; Daniel precisou escolher entre as finas iguarias do rei e sua identidade como pertencente ao povo de Israel; Rute precisou escolher entre voltar para os deuses de Moabe e seguir com Noemi o único Deus do povo de Israel; os discípulos poderiam ter escolhido seguir suas vidas, porém abandonaram tudo para seguir a Jesus. Dentre tantos exemplos de homens e mulheres da Bíblia que passaram por vários conflitos, um se destaca: Jó.

O livro de Jó conta a história de um homem íntegro, reto e temente a Deus (Jó 1:1). Jó possuía uma família unida, muitas propriedades, servos e muitos amigos (Jó 1:3-5). A vida de Jó era ótima aos olhos humanos, tudo corria em total perfeição até que…

O Senhor permitiu que Satanás tocasse em Jó e ele perdeu tudo o que tinha: família, bens e servos. De início, Jó permaneceu firme, não pecou e adorou o Senhor diante da provação (Jó 1:21-22). Entretanto, mais uma vez o Senhor permitiu que Satanás tocasse em Jó, dessa vez, em sua saúde (Jó 2:4-5). A partir desse ponto o livro do Jó passa por longos 28 capítulos de discussões, reclamações e contendas entre ele e seus três amigos Elifaz (Jó 4;5;15;22), Bildade (Jó 8;18;25) e Zofar (Jó 11;20). O conflito deste homem íntegro não é tão difícil de entender. Dentre os vários questionamentos que perpassam o livro, Jó se questiona o porquê de estar passando por tantas dificuldades se ele sempre fazia o que era certo, se sempre foi um homem justo aos olhos de todos? Jó precisava deste conflito.

O sofrimento de Jó o levou a entrar em conflito com sua fé. Por ser um homem justo, ele pensava que não passaria por sofrimentos e, olhando para isto, Jó acusou Deus de ser injusto. Porém o próprio Deus lhe mostrou o que realmente estava acontecendo em seu coração. Deus apareceu a ele no meio de um redemoinho (Uma perguntinha para reflexão: você tem deixado Deus aparecer no meio do seu redemoinho de dificuldades?). Nesta situação, Deus mostrou-lhe a sua real condição. O orgulho havia consumido a sua integridade. Após enxergar tudo que estava em seu interior, a Bíblia relata que Jó, não apenas se arrependeu, mas abominou a sua própria existência (Jó 42:1-6)

“Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza.” Jó 42:5-6

Jó só conseguiu ver Deus quando seu orgulho caiu por terra. A justiça humana é como trapos de imundícia (Is 64:6). A justiça humana de Jó murchou. Apenas quando ela murchou, secou, Jó pôde ver o Senhor. O que era frágil como a erva, que era a própria justiça de Jó, secou com o hálito do Senhor.

O que essa experiência mostra para nós? O conflito que Jó passou serviu para mostrar quem ele é e o que estava em seu coração. Muitas vezes, jovem, o Senhor permite que passemos por conflitos para enxergarmos a real situação do nosso interior. Deus nos abala para nos mostrar quem realmente somos. Ele nos leva ao vale para que olhemos para cima e reconheçamos de onde viemos e para onde estamos indo.

A caminhada de um cristão é repleta de montes e vales. Muitas vezes estes sofrimentos são formas que o Pai usa para nos disciplinar (Hb 12:6-8). E esses momentos também são oportunidades de louvarmos ao Senhor e perseverarmos nesta caminhada (Tg 1:2-4). Deus apareceu no redemoinho da vida de Jó e também quer aparecer no seu. Não deixe de recorrer a Ele quando os conflitos estiverem te sufocando.

O Senhor permite que passemos por sofrimentos.  Somos abalados  para que nos tornemos inabaláveis (1 Co 15:58). Muitos dos salmos escritos por Davi foram inspirados em momentos em que sua alma passava por profunda angústia. Quando Jó permitiu que Deus trabalhasse em seu interior por meio de seu conflito, recebeu o dobro de tudo que possuía (Jó 42:10). Se você permitir que o Senhor esteja presente nos seus conflitos, você será abençoado em cada uma de suas decisões e dificuldades.

Por fim, deixarei dois versículos que me confortaram muito enquanto eu passava por um redemoinho de conflitos:

“Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o SENHOR tem sido generoso para contigo.” Sl 116:7

“aquele, cuja voz abalou, então, a terra; agora, porém, ele promete, dizendo: Ainda uma vez por todas, farei abalar não só a terra, mas também o céu. Ora, esta palavra: Ainda uma vez por todas significa a remoção dessas coisas abaladas, como tinham sido feitas, para que as coisas que não são abaladas permaneçam. Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor; porque o nosso Deus é fogo consumidor.” Hb 12:26-29

Texto baseado em uma experiência pessoal da autora, que sempre teve muita dificuldade em lidar com seus conflitos pessoais, mas que descobriu no meio de seu redemoinho de decisões um Deus que está disposto a sanar as suas dificuldades. Desde então, ela tem aprendido a ser mais grata pelos conflitos que passa porque eles são sinais de seu crescimento.

Caso você queria se inspirar mais um pouco, leia este texto.

Deixe seu comentário