Raramente prestamos atenção às raízes de uma árvore, exceto quando tropeçamos nelas, não é verdade? Podemos até notar os galhos, as folhas e os frutos quando passeamos pela rua ou colhemos algum fruto. Porém, na maior parte do tempo, caminhamos sem prestar atenção nas raízes, de onde provém o sustento para todo restante.

Do mesmo modo, dar atenção às raízes da nossa vida, e mais ainda, cuidar delas, parece secundário quando temos troncos para escalar, galhos nos quais subir e frutas para colher. O sucesso óbvio de nossos dias nos atrai e toma a maior parte de nossa atenção, contemplação e de nosso tempo. E isso pode ser em qualquer âmbito, até mesmo no “espiritual” e eclesiástico. Acabamos vivendo para o que vemos enquanto Deus nos chama para viver pelo que é invisível, aprofundar nosso relacionamento com Ele e habitar o Seu esconderijo.

Em muitas fases da vida podemos estar despercebidos em relação a nosso relacionamento com Deus. Muitas vezes podemos pensar que o crescimento espiritual é evidenciado apenas pelos grandes e majestosos ramos vistos sob o sol e um céu azul. Desta forma, são ignoradas as raízes, os momentos a sós com o Senhor para uma comunhão íntima e nos quais recebemos Seu alimento. Mas diante de alguns acontecimentos que Deus permite que passemos, Ele nos mostra que não somos capazes de crescer Nele sem cuidar das raízes, sem reconhecer que o que está enterrado  é responsável por receber e dar vida ao tronco e aos galhos que percebemos visualmente e por gerar os frutos que tanto queremos colher.

Perceber e cuidar das raízes, vida íntima e escondida em Deus, talvez esteja sendo  secundário para você. Entretanto Deus está gentilmente chamando você de volta ao que não está na superfície, chamando para se esconder Nele ao invés de somente trabalhar para Ele, para dar atenção não somente aos galhos, mas também às raízes, priorizar a comunhão íntima com Ele, antes de fazer algo para Ele. Não existem galhos saudáveis sem raízes saudáveis. Não existirá frutos se as raízes não conduzirem vida. Não adianta pensar e desejar os galhos e frutos, se não cuidar de suas raízes. 

Você pode ter deixado de cuidar das raízes por ter sido levado pelas muitas circunstâncias e preocupações da vida, muitas delas legítimas. Talvez você tenha sido  incompreendido, desprezado, tenha sofrido uma perda ou pressão para alcançar resultados. Isto pode ter levado você a hiperfocar nos galhos visíveis e desejar logo obter frutos. Mas nenhuma fuga irá suprir suas necessidades, nada que você faz por esforço pode gerar vida. Se você precisa fugir, fuja para o refúgio do Senhor. Se precisa se esconder, vá para o esconderijo Dele. Deus está nos chamando para voltar nossos olhos para Ele com a intenção de que O encontremos como nosso refúgio e nos escondamos em Seu esconderijo. Ele está nos convidando para ter uma vida íntima e oculta Nele, de onde obteremos suprimento.

Estar oculto pode soar estranho, mas de modo algum significa ser punido ou se encontrar sob o desprazer de Deus. O salmista diz que aquele “que habita no esconderijo do Altíssimo” tem um refúgio e fortaleza em Deus (Salmos 91:1). Deus não nos bane para o lugar oculto. Ele nos convida a estar ali. Encontrar Deus em secreto nos ensina a ser mais parecidos com Ele, como também mais sobre o Seu amor e cuidado por nós. Ao conhecer mais o Senhor e desfrutá-Lo, mais de Sua vida você experimentará. Essa vida será a força, o suprimento, para todos os outros aspectos do seu viver. A vida divina dará força para você enfrentar as circunstâncias difíceis, para realizar as atividades diárias, para ter ânimo para perseverar, para oferecer ao Senhor um serviço fresco e adequado, e gerará frutos espontâneos. Fuja, mas fuja para o esconderijo certo. Fuja para o esconderijo do Altíssimo. Cuide de suas raízes.

O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio. Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro; a sua verdade é pavês e escudo. Não te assustarás do terror noturno, nem da seta que voa de dia, nem da peste que se propaga nas trevas, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido. Somente com os teus olhos contemplarás e verás o castigo dos ímpios. Pois disseste: O Senhor é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada. Nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Pisarás o leão e a áspide, calcarás aos pés o leãozinho e a serpente. Porque a mim se apegou com amor, eu o livrarei; pô-lo-ei a salvo, porque conhece o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia eu estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade e lhe mostrarei a minha salvação” (Salmos 91).

Deixe seu comentário