Você já parou para pensar no que o impede de entregar o seu futuro a Deus? De ofertar o pouco dinheiro que você ganha, ainda que dos seus pais? Ou o que o impede de consagrar um pouco do seu tempo, ainda estando no colégio? Será a falta de confiança em Deus ou acaso você ainda julga que Ele não suprirá suas necessidades?

Neste texto, vamos citar três exemplos de ofertas e apresentar três situações que possuíam um só objetivo: expressar gratidão. Por fim, meu sentimento é que você perceba que é mais fácil se entregar a Deus que o que você pensa e que você pode se consagrar ainda hoje.

O Derramar de Abel

Deus criou o homem para desfrutar sua presença, mostrar-lhe Seus caminhos (Gn 2:16) e suprir cada uma de suas necessidades (v. 18). Porém o homem caiu, o pecado entrou no mundo (3:3-7) e consequentemente o homem perdeu a presença de Deus. Logo, o sofrimento humano teve início, a começar pelo trabalho e a necessidade de ir em busca de seu próprio alimento:

…em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. No suor do teu rosto comerás o teu pão até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás” (vs. 17-18).

O homem percebeu que, mesmo conhecendo o bem e o mal (Gn 3:5), necessitava da misericórdia de Deus (4:1-2). Certo dia, “Abel, trouxe uma oferta das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta (v. 4). A entrega das primícias foi uma expressão do fato de ele colocar Deus em primeiro lugar em sua vida. Abel preparou sua oferta com fé, visando à vontade de Deus como regra indispensável, separando para o Senhor o que tinha de melhor.

O Derramar de Jacó

Outro exemplo em que vemos a entrega das primícias é o de Jacó. Após enganar seu pai e receber a bênção que seria dada ao seu irmão Esaú, o primogênito, Jacó fugiu de casa. Em visão, Deus lhe prometeu uma descendência, bênção e amparo:

Em ti e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra. Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a esta terra, porque não te desampararei, até cumprir eu aquilo que te hei referido (Gn 28:14b-15).

A promessa de proteção indicava que Jacó vivia num ambiente hostil e que por si só não poderia preservar-se. Deus, então, prometeu o cuidado. As terras eram uma das dádivas mais importantes que o Senhor deu a Seu povo. Proviam-lhes uma identidade e uma fonte de riqueza e segurança financeira. Deus prometeu a Jacó que não o desampararia, e isso lhe trouxe paz para seguir o caminho. Por meio dessa visão, o Senhor Se revelou a ele como Aquele que é o centro da segurança humana, a fonte suprema de bênçãos. Jacó, como reconhecimento, finaliza: E, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo” (v. 22).

O Derramar da Viúva

Há também uma terceira história da Bíblia que mostra que, quanto às ofertas, Jesus vê o coração. Em Lucas 21:1-4, lemos:

Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento”.

As viúvas eram a parte mais frágil da sociedade israelita. Naqueles tempos, a mulher era dependente do homem, pois ele era o responsável por prover o sustento da família. Quando o marido falecia, se não houvesse a figura de outro homem em sua casa (cunhado, filho, pai), a mulher ficava totalmente desamparada. Essa viúva ofertou apenas duas moedas. Talvez essa quantia compraria pouca coisa, mas diante de Deus foi uma grande oferta. Se é certo que recebemos tudo de Deus, é justo que lhe façamos uma oferta como gratidão.

Três Princípios para o Derramar

Podemos ver aqui três princípios ao ofertar:

Sacrifício: Na Bíblia, o conceito de oferta está ligado à ideia de sacrifício. Não devemos ofertar a Deus o que tem pouco ou nenhum valor para nós. Abel ofereceu as primícias do seu rebanho, mostrando que agradar ao Senhor era sua prioridade.

Fala aos filhos de Israel que me tragam oferta; de todo homem cujo coração o mover para isso, dele recebereis a minha oferta” (Êx 25:2).

Fé: Jacó compreendeu que tudo o que obtivesse no futuro sempre seria uma dádiva de Deus. Para ele, o dízimo era uma expressão de gratidão, o reconhecimento de que tudo vinha Dele. Deus abençoou Jacó e, mesmo sem ainda receber nenhum bem material concreto, ele já oferecia uma parte a Ele. Isso mostra que ele confiava em Deus e sua prioridade era honrá-Lo e reconhecer Sua bênção. Esse voto foi o derramar de um coração cheio de gratidão pela promessa da misericórdia e do amor de Deus.

Amor: A viúva amou as coisas de Deus e esse amor a levou a entregar tudo o que possuía. As necessidades de Deus foram prioridade na vida dela.

E o Seu Derramar? Comece Hoje…

Jovem, Deus só trabalha em nós na medida em que permitimos. Se consagrarmos nosso viver, Ele operará em nós. A consagração é uma decisão consciente e pessoal. E por que se consagrar? O amor deve ser o motivo. Quando tocados por ele, o resultado é um coração cheio de gratidão, e um coração grato se consagra e oferta. Consagre ao Senhor seus estudos, seu emprego, sua família, seus bens, seu tempo e principalmente sua pessoa. Não espere ter o emprego dos sonhos para se entregar a Deus. O melhor momento para isso é hoje e a confiança em Deus deve começar desde agora! Derrame-se!

Não espere ter o emprego dos sonhos para se entregar a Deus.

Deixe seu comentário