“Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor” (Mateus 9:36).

“Compadeceu-se” em grego é “splanchnízomai“, que tem origem na palavra “splánchnon“, que significa vísceras ou entranhas. Na Bíblia, podemos encontrar essa palavra muitas vezes sendo utilizada para expressar um sentimento humano puro, íntimo e profundo, tanto de amor como de ódio.  As vísceras são um conjunto de órgãos responsáveis por várias funções, dentre elas a digestão e a eliminação de excrementos. Nesse versículo, Jesus pôde compadecer-se da multidão, pois estava nutrido do amor mais puro e profundo pelas pessoas. Para cuidar de pessoas precisamos estar bem nutridos da vida e da Palavra divinas, pois dessa forma o amor de Cristo poderá ser expresso por meio de nossas atitudes. Além disso, necessitamos aceitar o trabalhar do Senhor na nossa vida para eliminar todas as coisas negativas do nosso caráter.

Em Filipenses 1:8, Paulo fala da saudade que sentia dos irmãos na “terna misericórdia de Cristo Jesus”. A expressão “terna misericórdia” aqui também é splánchnon, que significa entranhas, e demonstra o profundo e sincero amor de Paulo pelos irmãos. Devemos ser como Paulo, semeando entre nós o mais puro amor que vem do próprio Senhor Jesus. Nos versículos 9 e 10, na oração de Paulo, vemos a preocupação de alguém que realmente ama os irmãos de todo o coração, pois, mesmo a igreja em Filipos sendo ativa na causa do evangelho, ele intercedia para que o amor deles aumentasse mais e mais. Paulo sabia que somente quando estamos cheios do amor de Deus é que conseguimos  expressar o mais profundo sentimento na terna misericórdia de Cristo Jesus.

Continuando em Mateus 9:36, o texto diz: “porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor”. Ao olhar para a multidão, o Senhor Jesus conseguia perceber a necessidade das pessoas. Muitas vezes olhamos para os irmãos nos colocando na condição de acusadores, analisando, criticando e julgando tudo o que não consideramos adequado. Quando tivermos algum sentimento negativo com respeito a alguém, devemos lembrar da condição lamentável em que o Senhor nos encontrou e quão misericordioso Ele foi. Vamos sempre nos voltar ao Senhor Jesus e seguir este modelo: olhar para as pessoas, perceber a necessidade delas e nos compadecer. Jesus pregava e era seguido por grandes multidões, mas parava tudo o que estava fazendo se uma única pessoa estivesse clamando por Seu precioso nome. Nada do que fazemos deve estar acima do cuidado pelas pessoas, mesmo que sejam coisas ligadas à obra de Deus.

Em João 21:17 lemos: “Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas”. Quando Pedro respondeu que amava o Senhor, Jesus não pediu: “construa um grande templo” ou “faça muitas obras”, mas simplesmente disse: “apascenta minhas ovelhas”.

Para finalizar, em João 3:16 vemos a grandiosidade do amor de Deus e em 1 João 3:16 vemos qual deve ser a nossa atitude com respeito a isso: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos”.

Jovem, qual é o seu sentimento ao olhar para a multidão? Você consegue se compadecer e ajudar? Consegue dividir o guarda-chuva com alguém que não possui nenhum? No dia a dia temos contato com muitas pessoas em vários tipos de ambiente e, em cada um deles, o Senhor conta com você! Ele quer usar você para fazer a diferença na vida de alguém! Para isso, devemos viver intensamente a vida da igreja, pois é o lugar que o Senhor preparou para nos nutrir. Essa é a maneira de sermos capazes de nos compadecer assim como Deus é. Louvado seja o Senhor!

Colaboração enviada por Júnior Barreto.

Deixe seu comentário