Pessoal, é com muita alegria que chegamos a mais um post da nossa série.

Como vocês puderam ver no último post, Sara e eu nos reencontramos enquanto ela estava no CEAPE, mas nós nem conversamos. Jovem, para você que quer um bom casamento, abençoado por Deus, consagração é essencial. Mas também não quer dizer que agora todos vão para o CEAPE para sair de lá casados, muito pelo contrário, para que a sua consagração seja verdadeira, é necessário um coração limpo.

Pois bem, passado algum tempo que reencontrei Sara, ela voltou para sua cidade. Alguns dias depois, adicionamos um ao outro no famoso Facebook. Sério, nós não sabemos, não nos lembramos quem adicionou quem, mas o importante é que alguém adicionou alguém.

Um belo dia, estava eu dando uma passadinha pelo “face” e resolvi chamá-la pra conversar, afinal, eu não tinha nada a perder, não é verdade? Apenas queria cultivar uma boa amizade. Foi muito bom, tivemos uma boa conversa, posso dizer que nesse dia começamos a nos conhecer.

Na semana seguinte, voltamos a conversar, e na outra também, e na outra, e na outra…, e isso durou mais ou menos uns quatro meses. Em uma dessas conversas, descobrimos que já nos conhecíamos lá de São Mateus (ES), quando eu ainda estava no CEAPE. Acredito que essas conversas, de certa forma, foram alimentado um sentimento em mim, mas como estava meio decepcionado com experiências passadas, não quis dar importância a isso. Nós ficávamos até tarde conversando. Teve uma vez que ficamos até umas três da manhã; acho que já estava gostando dela, mas não queria criar expectativas. Eu já estava até pingando de sono, mas não queria parar de conversar. Não estou falando que isso é certo, hein pessoal, na época ela não estava trabalhando, e eu trabalhava com meu pai.

Depois disso, veio o WhatsApp. Ele foi uma salvação, sabe? Imagina eu, aqui em Minas, ela, lá no Espírito Santo, como que faz? É meio complicado. Então, com a chegada do WhatsApp, nós começamos a conversar todo dia. De verdade, não teve nem um dia em que não conversamos.

Um dia, nós estávamos indo para uma Conferência de Jovens na Estância Árvore da Vida. Por um lado, eu estava muito feliz, pois estava indo para uma conferência buscar o Senhor, e ainda ia rever meu amor, mas por outro lado estava triste, porque ia ficar sem conversar com ela. Até que, de repente, eu recebo uma mensagem de texto: ela que não tinha conseguido ficar sem conversar comigo.

Nessa conferência, o Senhor pôde falar muito comigo e bem no meio da conferência, em um determinado dia, ficamos conversando, dessa vez olho no olho, e para mim foi muito bom. Nessa conversa o Senhor falou comigo: “É ela”.

A conferência chegou ao fim. Eu voltei para casa antes dela, e no dia em que eu fui embora, combinamos de ir almoçar juntos, pois eu iria embora logo após o almoço. Fui o último a entrar no ônibus, na verdade, eu nem queria ir embora, mas infelizmente não tinha jeito e quando íamos nos despedir começou a chover, como em filmes, sabe? Só que era realidade.

Cheguei em casa decidido a abrir meu coração a ela, e foi isso que eu fiz. Mas agora já chega. Já falei muito por hoje. Até a próxima pessoal!