Alguma vez você observou alguém e disse: “O que será que aquela pessoa fez para chegar onde está?” ou “um dia quero ser como essa pessoa”?

Fomos criados por Deus para viver em grupo ou em sociedade. A todo momento estamos aprendendo e ensinando outras pessoas. Isso é muito interessante, não é?

Sociólogos dizem que até mesmo o mais introvertido influenciará cerca de dez mil pessoas ao longo de sua vida!

Lanço uma pergunta para você, querido jovem: por quem você está sendo influenciado? Ou melhor ainda: como e quem você está influenciando hoje? Pare um momento e reflita sobre isso.

Estamos cercados por pessoas, sejam elas os nossos pais, irmãos, amigos etc. E a todo momento estamos aprendendo coisas novas, não é mesmo?

Imagine-se mudando para uma cidade diferente da sua, com linguagens e modos de comportamento diferentes daqueles com que você está acostumado desde pequeno. Isso aconteceu comigo. Sou paulista e me mudei para Goiânia/GO, e me veio a pergunta: como estarei daqui a um ano?

Lembro-me que na primeira semana em Goiânia, na reunião da igreja, um irmão chegou para mim e disse: “irmão, pega o trem ali pra mim?”. Olhei para o irmão e fiquei pensando: “como assim? Ele quer que eu vá embora agora?”. Depois que fui entender que “trem” é uma expressão usada nesta região. Passado um tempo, comecei a pegar um pouco do sotaque e algumas características de Goiânia.

Jovem, Deus nos criou com uma capacidade incrível de assimilar as características de outras pessoas. Porém, com a queda em Adão, o homem passou a não somente captar virtudes como também as falhas de pessoas que estão em nosso ciclo de convivência.

Nossa vida é um amontado de hábitos, por exemplo: em casa, o que você faz ao levantar pela manhã? Vai ao banheiro, bebe água, lê a Bíblia, ora… e na escola, o que faz? Senta sempre no mesmo lugar ou conversa com os mesmos colegas?  

Um irmão renomado no mundo dos negócios e na gestão de pessoas, que já dormiu no Senhor, chamado Stephen R. Covey, disse a seguinte frase: “Plante um pensamento, colha uma ação; plante uma ação, colha um hábito; plante um hábito, colha um caráter; plante um caráter, colha um destino”.   

Conheci um irmão, há um tempo, que tudo o que fazia dava certo. Ele era eloquente e extrovertido. Havia se mudado para minha localidade por causa do trabalho e começou a reunir-se conosco. Logo no primeiro mês, começou a trazer novidades para os jovens: palestras. E que palestras!  Em pouco tempo, “conquistou” a amizade dos jovens e passou a visitá-los. Com isso, criou um vínculo muito forte com eles. Fiquei observando aquele irmão e disse para mim mesmo: “Puxa, quero ser como esse irmão”.  Mais tarde esse irmão me disse:

“Para sermos pessoas com excelência, precisamos cultivar hábitos saudáveis e ter foco naquilo que queremos alcançar”.

Assim como nós, Jesus também se espelhava em alguém, você sabia disso?

No capítulo 5 do Evangelho de João, ao explicar sua missão, ele disse: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai; porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz.  Esta porção da Bíblia nos mostra que o próprio Senhor Jesus tinha um modelo para vida dele, semelhante a nós hoje!

Na gestão de pessoas, existe um conceito que se aplica a nós como filhos de Deus, que diz o seguinte: “Se uma pessoa passar a conviver com outra durante 30 dias, a primeira pessoa assimilará as características da segunda, e essas características se tornarão um hábito em sua sua vida”.  Isso é fantástico!!!

Em 2 coríntios 3:18 Paulo diz: E todos nós com o rosto desvendado, contemplando como por espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito. Esta porção é maravilhosa, pois nos diz que a medida que contemplamos o Senhor, somos transformados de glória em glória, ou seja, pouco a pouco na imagem do Senhor.

Agora vem a pergunta: como contemplar o Senhor? Como irei ter tais características em mim?

A resposta está em três princípios que podem se tornar hábitos saudáveis para nós: oração, palavra e amizades.

Oração: nos conecta com Deus e cria intimidade com Ele;

Palavra: infunde em nós princípios e valores que irão nos transformar e trazer as características da pessoa maravilhosa do Senhor Jesus, e nos envolve em um relacionamento íntimo e profundo com Ele.

Amizades: 70% do nosso caráter é formado pelas pessoas e o meio social em que convivemos todos os dias, por isso é fundamental buscarmos estar com pessoas que nos conduzam ao Senhor e tragam crescimento e amadurecimento tanto espiritual como humano.

No livro de Daniel, vemos esses três princípios: Daniel tinha verdadeiros amigos, que também serviam a Deus e que não negaram sua fé, aceitando ser lançados na fornalha por não adorarem a estátua que o rei Nabucodonosor havia erguido (Dn 3:13-17). Ele era um jovem que tinha Palavra, pois entendeu pelos livros as profecias que estavam para se cumprir (Dn 9:2). E, por fim, Daniel era alguém que tinha um viver de oração (Dn 6:10) e, mesmo em face dos seus inimigos e adversidades, não deixava de orar e buscar a comunhão com Deus.  

Aprendemos com esses três jovens hebreus que, mesmo vivendo em um lugar onde pessoas falam coisas mundanas e vivem de qualquer maneira, podemos sim preservar e cultivar bons hábitos, procurando estar junto com aqueles que de coração puro invocam o nome do Senhor (2 Tm 2:22).

Tendo tais hábitos e atitudes, certamente seremos transformados e nos tornaremos exemplos para transformar a vida de muitos jovens que estão ao nosso redor. Assim, atingiremos o padrão não apenas das pessoas que admiramos, mas o do próprio Deus.                                 

Louvado seja o Senhor!!!!

Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens, estando já manifestos como cartas de Cristo.
(2 Coríntios 3:2-3a)

Jesus é o Senhor!!!    

Colaboração de Denis Oliveira

Deixe seu comentário