Você já passou por aqueles momentos em que se sente inútil? Refletindo sobre todos os seus erros e dificuldades, você acaba pensando: “Tudo que eu faço dá errado! Eu sinto que não tenho função e utilidade para ninguém!”. Não sei você, mas eu já passei por isso muitas vezes.

Já passou por alguma prova em que você deu tudo de si para estudar e mesmo assim foi mal e tirou nota baixa? Já tentou participar de alguma coisa por causa de outra pessoa e acabou não alcançando as expectativas que essa pessoa tinha de você?

É… realmente somos muito limitados. E esses limites só fazem com que nos sintamos cada vez piores e sem utilidade.

Em todos os problemas em nossas vidas, antes de sabermos como vamos resolvê-los, precisamos saber a sua causa. Às vezes, parece que tudo que tentamos fazer dá errado – tentamos fazer o bem e acabamos prejudicando tudo e todos a nossa volta. Um exemplo de uma pessoa que reconheceu isso em si mesmo foi o apóstolo Paulo.

Em Romanos 7:24, Paulo escreve: “Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” A palavra no grego traduzida para “desventurado” é talaiporos, que significa literalmente “desgraçado”. É como se Paulo tivesse criado um ódio por si mesmo. Um pouco antes, ele explica o que aconteceu para ele estar naquela situação. Nos versículos 15 e 19, Paulo escreve: “Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e sim o que detesto. (…) Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.”

Nós fazemos o mal que não queremos, pois existe a lei do pecado e da morte. Também existe a lei da mente, que não é forte o bastante para atravessar a barreira da lei do pecado e da morte e nos fazer alcançar a lei de Deus, mas se colocarmos nossa mente no espírito, a lei do Espírito da vida é forte para nos levar até a lei de Deus. E como colocar a mente no espírito? Pense no que é do Senhor, consulte- O, converse com Ele. Quando você menos perceber, estará com a sua vida entregue nas mãos do Senhor.

Talvez você esteja pensando: mas como isso vai me ajudar nas coisas do cotidiano que não têm a ver com as coisas de Deus? Eis que o problema está exatamente nessa pergunta – não existe diferença entre as coisas do cotidiano e as coisas de Deus. Somos filhos de Deus em formação. Quando um pai está criando seu filho pequeno, tudo que acontece na vida do filho o pai quer controlar para que o filho amadureça e aprenda o que é bom. Deus quer controlar tudo em nossa vida – nossa vida deve ser de Deus! Então, se você depender do Senhor para as coisas do cotidiano, verá o quanto  pode ser útil quando está nas mãos de Deus! O poder que liberta da autodesvalorização é muito simples – basta depender de Deus em toda situação e você será útil. Não estou aqui para dizer que você pode ser útil sozinho, porque não é isso que Deus quer – Deus quer que você seja útil nas mãos Dele!

Às vezes, nos desvalorizar pode até mesmo atrapalhar o plano de Deus, como no exemplo de Moisés quando Deus o repreendeu:

“Então, disse Moisés ao SENHOR: Ah! Senhor! Eu nunca fui eloquente, nem outrora, nem depois que falaste a teu servo; pois sou pesado de boca e pesado de língua. Respondeu-lhe o SENHOR: Quem fez a boca do homem? Ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o SENHOR? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar. Ele, porém, respondeu: Ah! Senhor! Envia aquele que hás de enviar, menos a mim. Então, se acendeu a ira do SENHOR contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão? Eu sei que ele fala fluentemente; e eis que ele sai ao teu encontro e, vendo-te, se alegrará em seu coração.”

Deus queria que Moisés falasse diretamente ao povo, mas, por Moisés se desvalorizar, Deus se irou e não pôde usá-lo diretamente. Mas Deus disse: “Quem fez a boca do homem? Ou quem faz o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o SENHOR?” Ele é nossa força – só precisamos confiar Nele e estar no espírito, e Ele agirá por nós. Se Deus nos confia algo é para que Ele se manifeste em tudo o que fazemos.

CONFIE NELE! DEUS SERÁ NOSSA FORÇA! SE ACHAMOS QUE NÃO PODEMOS É MAIS UM MOTIVO PARA CONFIAR NO SENHOR, E ELE SUPRIRÁ NOSSA INCAPACIDADE!

Se você quer saber mais sobre sentimento do apóstolo Paulo no final de Romanos 7, recomendo outro texto nosso: Conflito Interior: Entenda Porque Você Faz o Mal Que Não Quer!

Deixe seu comentário