O amor é talvez um dos sentimentos mais difíceis de definir. Não é como a alegria ou a tristeza, que se expressam por um sorriso ou por lágrimas. Amor é simplesmente um abraço ou um beijo? Não! O amor é muito mais complexo que demonstrações físicas ou emocionais.

De acordo com o dicionário Aurélio, o amor é definido como “um sentimento que induz a aproximar, a proteger ou a conservar a pessoa pela qual se tem a afeição ou atração”. Porém será que o amor se restringe a isso?

Inúmeros filósofos tentaram (e tentam até hoje) buscar uma definição mais fiel sobre o que é o amor. No ramo da filosofia temos três palavras que definem diferentes tipos de amor: Eros, Philos e Ágape.

  • Eros seria o amor do desejo, da paixão, ou seja, desejar ficar com a pessoa de quem se gosta muito (relacionado com a “sexualidade”);
  • Philos seria um amor entre amigos e parentes, que gera alegria ao se estar junto deles (melhor definido como “amizade”);
  • E, finalmente, Ágape. Dentre os três é o mais forte. Também chamado de amor verdadeiro. É a palavra que melhor define amor, pois implica em não esperar um retorno ao tomar qualquer atitude para com a pessoa amada e envolve renunciar sua própria vontade em favor do outro.

Entretanto, mesmo com essas três palavras, ainda não chegamos perto de definir esse sentimento tão profundo.

Você pode mergulhar na filosofia, em livros de romance, pesquisas, estudos aprofundados, filmes e novelas, porém todas essas coisas não irão definir amor adequadamente.

Enquanto foram elaboradas inúmeras definições, a verdadeira e única definição foi abandonada pelos pensadores, a qual é: amor é igual a Deus! (1 Jo 4:8). Somente Aquele que é a personificação do amor dará a você uma resposta precisa e o entendimento correto. Por isso, se quer entender a perfeita definição de amor, sua resposta está no nome de Deus! Ele é o amor único e puro!

Somente Aquele que é a personificação do amor dará a você uma resposta precisa

Quando uma mãe está prestes a ter um filho, ela prepara todo o enxoval para antecipar a sua chegada com amor. Com o homem não foi diferente. Deus preparou um universo para ele (Gn 1). Houve diferença até mesmo em sua  criação em relação aos demais seres. Enquanto tudo foi criado pelo simples falar de Deus, o homem foi criado por suas próprias mãos, à Sua imagem e semelhança (Gn 2:7). Logo, cada movimento de Deus na criação é uma expressão crescente de Seu amor, a qual resultou na criação do homem.

Na Bíblia, a melhor demonstração de amor se encontra na passagem: Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16). Esse versículo mostra que por um amor tão intenso e forte, em favor de nós, nada merecedores, Jesus veio à terra, sofreu, morreu, ressuscitou e, hoje, habita dentro de todos aqueles que creram Nele! Aleluia! Essa foi a maior demonstração do amor que renuncia à sua própria vontade sem esperar nada em troca. A fonte de um amor tão verdadeiro e elevado assim só pode ser Ele mesmo.

Logo, querido jovem, a razão pela qual podemos amar é porque Deus nos amou primeiro (1 Jo 4:19) e o Seu mandamento é que amemos uns aos outros, porque Ele nos amou (Jo 15:12). Que possamos valorizar tamanha obra de amor e abrir mão de todas as brigas insensatas, de tudo o que gera ódio e separação, pois Jesus almeja a unidade de Seu povo, e que Seu amor seja manifestado por meio de nós!

Jesus é o Senhor!

Deixe seu comentário