Quem estando com sede não ficaria feliz em beber água?  E, ao ter fome, alimentar-se? Tão essencial quanto comer e beber, é o exercitar do espírito. Pode parecer óbvio, mas às vezes demoramos muito para entender nossa real e vital necessidade de fazê-lo. Muitas vezes, sentimos um vazio desesperador quando nos consideramos perdidos, quando a situação foge do nosso controle, ou quando enfrentamos algo que não sabemos como superar. E, ainda, prorrogamos todo esse sofrimento com nossos arrazoamentos, o que acaba por nos tornar mais escravos da situação.

Davi, homem de Deus, passou por momentos assim. Seus clamores resultaram em muitos salmos, que mostram claramente os conflitos e o caminho que o tornou uma pessoa íntima de Deus.

“Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por tí, ó Deus suspira a minha alma.

A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. (Sl 42:1-2a)

Por que está abatida ó minha alma. Por que te perturbas dentro de mim? (Sl 42:5)”

Nesse clamor, podemos perceber que havia algo incontrolável dentro de Davi. Ele conhecia o caminho da fonte para “saciar sua sede” porque, em sua experiência, tinha visto que só Deus poderia ajudá-lo a acalmar o que havia dentro dele.

Assim como Davi, conforme passamos experiências com o Senhor, conseguimos perceber que só Ele consegue acalmar a nossa alma. Não adianta querer enganar a si mesmo e buscar métodos que só vão nos fazer “sentar” no problema. Uma hora teremos que levantar e ele ainda vai estar lá.

De tanto passar tempo na presença de Deus,  Davi não somente via seus problemas sem solução serem resolvidos, mas, a cada experiência, tornava-se mais íntimo de Deus.

Mas, o que fazer quando a ansiedade e as dificuldades encobrem as experiências que já tivemos com Deus?

Devemos nos voltar para a fonte, porque o Senhor pode nos suprir independentemente da nossa dificuldade. Há um trecho de um hino que fala exatamente do caminho que devemos tomar:

“Com meu corpo toco as coisas materiais,

Minha mente uso pra pensar,

Mas só vou a vida de Cristo desfrutar,

Se o meu espír’to liberar.

Liberar! Liberar!

Quero meu espír’to liberar,

Pois só vou a vida de Cristo desfrutar,

Se o meu espír’to liberar.”

O liberar do espírito é estar junto a fonte que pode saciar a nossa sede. Essa fonte só pode ser encontrada em Cristo, só Ele pode nos preencher para liberar o Espírito em nós.

“Bendito seja o Senhor que dia a dia leva o nosso fardo. (Sl 68:19)”

Nesse outro versículo, Davi confessa a fidelidade diária de Deus. Isso nos mostra que a nossa busca tem que ser diária, conhecer a Deus é uma experiência de intimidade, que requer constância, de forma que o que recebemos é tão intenso quanto o que procuramos.

Nossas necessidades só Deus pode suprir!  Independentemente da situação, quanto mais passamos tempo na presença de Deus, mais seremos supridos. Aqueles que, como Davi,  tiveram essa experiência, indicam o caminho:

“Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso e refrigera a minha alma (Sl 23:2)”

Aqui está o segredo de Davi:  pasto significa lugar de alimento e as águas são para saciar a sede, dessa forma, o repouso e o descanso vêm através de comer e beber do que é oferecido por Deus, ou seja, sua palavra! Esse é o único caminho para calar a nossa alma dentro de nós.

Não permita que o que você está passando te aprisione, há liberdade ao desfrutar da palavra! Mesmo que, no começo pareça não funcionar, lembre-se que este é um exercício constante e então, tornar-nos-emos mais íntimos, libertos e saciados.

“Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais , de novo, a jugo de escravidão.” (Gl 5:1)

“A intimidade do Senhor é para os que temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança. Os meus olhos se elevam continuamente ao Senhor, pois ele me tirará os pés do laço.” (Sl 25:14-15)

Apresente-se diante do Senhor, o Espírito conduzirá sua oração à intimidade de Deus. Jesus é o Senhor!

 

Deixe seu comentário