Bom pessoal, tanto eu, Marcos Felipe, como Sara, ficamos muito felizes em sermos o primeiro casal a passar a vocês um pouco da nossa experiência com respeito a relacionamento. Achamos por bem cada um escrever a sua parte dos fatos, então aqui vou eu. Nessa primeira parte, gostaria de compartilhar com vocês sobre o meu período de oração.

Eu sempre soube que o casamento é algo que está no coração de Deus e oro desde meus 12 anos de idade. O queeee?! 12 anos? Isso mesmo, 12 anos. Não orava por uma pessoa específica, mas sim para que Senhor a guardasse desde já.

Nesse tempo sentimentos vieram, sentimentos foram, e pra falar a verdade esses sentimentos foram muito bons, pois de certa forma eles me guardaram e impediram que eu me desviasse dos caminhos do Senhor e buscasse algo no mundo. Eu sempre pensava: “vou me guardar para tal pessoa”.

Quando atingi meus 18 anos pensava: “acho que agora já é hora de correr atrás!” Só que o meu tempo não era o tempo do Senhor e por causa disso tive algumas decepções. Também não existe esse negócio de correr atrás, com o Senhor o negócio é dormir, descansar, que Ele próprio trará a sua Sara.

Diante disso eu me guardei de procurar qualquer coisa no mundo, vivi a vida da igreja de maneira bem assídua, ia em todas as conferências possíveis, participei do CEAPE.

Ah! O CEAPE! Uma das melhores épocas da minha vida! Ainda estava bem fechado nessa questão de relacionamento, então eu li aquele livrete: “O casamento dos sonhos de Deus” (recomendo a todos). Depois que li eu realmente pude descansar no Senhor. Tive certeza que o melhor estava guardado pra mim.

Busquei ainda mais o Senhor, me entreguei a Ele, aproveitei intensamente o CEAPE, tive várias experiências com o Senhor, visitei várias igrejas, em varias cidades. E em uma dessas visitas, ocorreu um pequeno problema no carro em que viajávamos, que nos obrigou a dormir na casa de uma irmã muito preciosa, que posteriormente ficou mais conhecida por mim como minha sogra. Esse pequeno problema fez  com que eu conhecesse a pessoa mais importante da minha vida. Pessoa com a qual escolhi viver o resto da minha vida. Mas não foi aí que tudo começou. Querem saber como tudo começou? Então, não vou contar. Isso fica para o próximo capítulo.

Aguardo vocês, até a próxima!