Oseias foi profeta de Israel no século VII a.C., durante o reinado de Jeroboão, filho de Joás (2 Rs 14:23-24), período em que o povo de Israel havia se entregado a outros deuses e se desviado do Senhor. Oseias faz parte de um grupo chamado Profetas Menores, um conjunto de livros que fecha o antigo testamento e que, muitas vezes, não é tão explorados no meio cristão. A história de Oseias começa quando o Senhor lhe diz para se casar com um prostituta:

“Quando, pela primeira vez, falou o SENHOR por intermédio de Oseias, então, o SENHOR lhe disse: Vai, toma uma mulher de prostituições e terás filhos de prostituição, porque a terra se prostituiu, desviando-se do SENHOR.” Oseias 1:2

Por mais que o pedido de Deus não fizesse muito sentido, Oseias obedeceu e casou-se com Gômer (Os 1:3), e eles tiveram três filhos. Mesmo tendo tudo em sua casa, seus filhos e seu marido, Gômer voltou para a vida da prostituição (Os 2:2). Ela praticou adultério se entregando a outros acreditando que estes poderiam lhe oferecer sustento e satisfação (Os 2:5). Oseias poderia ter desistido dela neste momento. Porém o Senhor lhe disse: “Vai outra vez” (Os 3:1).

O SENHOR disse para Oseias não desistir de Gômer.  “Então o SENHOR me disse: Vá e ame a sua esposa outra vez, embora ela cometa adultério com um amante.” Os 3:1a – NVT. E Oseias a comprou. “Comprei-a, pois, para mim por quinze peças de prata e um ômer e meio de cevada;” Os 3:2. Por mais que Gômer já fosse sua esposa, ele ainda assim precisou comprá-la de volta. Ele não olhou para situação de sua esposa, ele a amou e a trouxe de volta para casa (Os 3:3).

Essa história, que é descrita nos três primeiros capítulos do Livro de Oseias, é uma metáfora do relacionamento de Deus com Israel. O povo, na época, havia sido tomado pela idolatria e estava distante de Deus. Os reis da época, em momentos de angústia, ofereciam sacrifícios ao deuses de outros povos e não recorriam ao Senhor (2 Rs 14-17; 2 Cr 26-28). Na história, Gômer representa o povo de Israel e Oseias representa Deus. “Então o SENHOR me disse: “Vá e ame sua esposa outra vez, embora ela cometa adultério com um amante. Isso mostrará que o SENHOR ainda ama Israel, ainda que o povo tenha se voltado para outros deuses e sinta prazer em lhes trazer ofertas(Os 3:1) – NVT. O trecho mostra que o povo estava mais interessado em olhar para as coisas terrenas que para as coisas celestiais, eles preferiam recorrer aos deuses terrenos que ao Deus eterno. Porém, Deus foi outra vez atrás de seu povo.

“Contudo, eu a conquistarei de volta; ao deserto a levarei e lhe falarei com carinho. Devolverei suas videiras e transformarei o vale de Acor* numa porta de esperança. Ela se entregará a mim, como fez há muito tempo, quando era jovem, quando eu a libertei da escravidão no Egito. Nesse dia, diz o SENHOR , “você me chamará de ‘meu marido’, e não de ‘meu senhor’. Limparei de seus lábios os nomes de Baal, e você nunca mais os pronunciará.” Os 2:14-17 – NVT

*Vale de Acor significa vale de aflição

E além de buscar novamente o povo, o SENHOR promete uma aliança: “Eu me casarei com você para sempre, e lhe mostrarei retidão e justiça, amor e compaixão. Serei fiel a você e a tornarei minha, e você conhecerá a mim, o SENHOR .” Os 2:19-20. – NVT

Além da comparação com Israel, é possível ver outra interpretação dessa história. O relacionamento de Oseias com Gômer pode ser enxergado como o relacionamento de Deus com o homem. Gômer estava bem longe de seu marido, se prostituindo e se entregando a outros deuses. Oseias a procurou e a comprou de volta, por mais que ela já fosse sua mulher. Ele precisou comprá-la. Consegue ver alguma semelhança com você? Alguém também pagou para lhe ter de volta. Muitos anos depois da história de Gômer e Oseias, alguém precisou pagar para ter de volta algo que já o pertencia: Deus. Porém, desta vez, o preço não foi apenas quinze peças de prata. O preço, caro leitor, foi o próprio filho: Jesus (Jo 3:16). Ele precisou derramar o sangue do Seu Filho para cumprir toda a justiça do pecado e ter você de volta. Mais que apenas uma comparação, a história de Oseias (assim como várias outras do Antigo Testamento) é uma figura do que ocorre no Novo Testamento. O amor de Oseias por sua mulher infiel é como o amor de Deus pelo pecador (Rm 5:8). Um amor incompreensível e imensurável (Ef 3:18-19) aos olhos humanos, mas que alcançou pecadores que não mereciam tal graça e que, hoje, podem viver e testemunhar desse amor todos os dias.

Deixe seu comentário