O adolescente é um caldeirão de hormônios fervendo. Isso faz seu humor oscilar muito. Ora está feliz, ora triste; ora desanimado, ora empolgadíssimo. E isso ocorre, na maioria das vezes, de forma desequilibrada. Sua vida é feita de extremos: é oito ou oitenta. Ainda que essa fase seja natural, se o comportamento não for trabalhado pode se tornar um verdadeiro problema na vida adulta. Qual será a solução?

De forma muito sábia, o apóstolo Paulo apresenta a saída para a situação: domínio próprio (Gálatas 5:23). Adolescente, esse não é um traço de caráter que nasce com a gente, mas que tem de ser aprendido. Até os que dizem: “Eu sou assim mesmo” podem ser beneficiados; basta confiar na ação do Espírito e ter vontade de amadurecer. Mesmo as mais poderosas e fortes personalidades podem ser colocadas sob a influência transformadora da vida de Deus.

Foi assim com o apóstolo João. Ele era conhecido como “filho do trovão” (Marcos 3:17). Isso significa que ele tinha um temperamento explosivo. Era “esquentadinho” ao ponto de perguntar ao Senhor se podia pedir que o fogo destruísse a aldeia dos samaritanos que não haviam recebido Jesus (Lucas 9:54).

No entanto João, com certeza, percebeu quem era e não simplesmente se limitou a dizer: “Não consigo mudar”. Ele certamente se arrependeu, pediu perdão e permitiu o trabalhar de Deus em sua vida. Como resultado, João se tornou extremamente útil ao final da vida ajudando igrejas a restaurar o primeiro amor (1 João 2:7-11; 3:11-18; 4:7-21).

Adolescente, suas decisões, pensamentos e emoções são intensos, eu sei. Nesse sentido, sua alma é poderosa. Porém, esse poder tem de ser colocado sob o controle do Espírito de Deus. Lembre-se, você possui três partes: corpo, alma e espírito (1 Tessalonicenses 5:23). A parte que deve governar-lo é o seu espírito humano, a habitação do Espírito de Deus (Efésios 2:22), a partir do qual você pode ser cheio da vida divina que vivifica e transforma (Romanos 8:11; 12:2).

Se isso ocorrer, você terá suas emoções sob o controle de Deus. Assim, em vez de ser o furacão que destrói tudo à volta, você pode ser uma brisa refrescante no calor do dia; em vez de ser o remédio em superdose, que é intoxicante, mortal, você pode ministrar cura; em vez de agir como um cavalo selvagem que derruba quem o monta, você pode cooperar para a vitória do cavaleiro.

A correnteza do mundo leva ao descontrole total e ao caos. Em vez de se perder nos extremos, que tal explorar as setenta e duas possibilidades que existem entre oito e oitenta? Sua energia merece equilíbrio e seu brilhantismo a intensidade adequada para se tornar útil ao Senhor. Tudo é possível ao que crê e nada é impossível para Deus. Você crê? Sim? Então, faça como João, reconheça sua situação, arrependa-se e permita que Deus o ajude na transição de “temperamental” para “transformado”.

Uma versão deste texto foi publicada no Jornal Árvore da Vida (JAV), um periódico cristão mensal com diversas colunas. Clique aqui caso queira saber mais sobre o JAV ou clique aqui para fazer sua assinatura desta maravilhosa ferramenta.

Deixe seu comentário